Município de Famalicão: Notícias e Informações Úteis http://www.vilanovadefamalicao.org Últimas 10 notícias 15 asdad asdasd dasdad <![CDATA[Regionalização, ética e liberdade marcam comemorações do 25 de abril]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_regionalizacao_etica_e_liberdade_marcam_comemoracoes_do_25_de_abril </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=125459&h=228e4" width="303px" height="202px" border="0"/></p> “Há uma tendência que evidencia um Estado cada vez mais afastado, cada vez mais indiferente, mais fechado no seu casulo, isolado do contexto nacional. Um estado que não conhece a realidade, que não pisa o terreno, que não fala com as pessoas”. O crescente centralismo dos órgãos do Estado foi uma das principais preocupações deixadas, esta quinta-feira, nas comemorações do 45.º aniversário do 25 de abril, pelo presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha. O autarca que abriu a sessão solene comemorativa que decorreu nos Paços do Concelho, com uma análise crítica ao Estado administrativo e legislativo atual, afirmou que “não queremos um Estado que seja indiferente ao território onde exerce as suas funções, não queremos um Estado que se refugie em Lisboa numa posição centralista, eximindo-se das suas responsabilidades e ignorando a realidade, onde os gráficos são mais importantes que as pessoas”.

Defensor assumido em diversas ocasiões da regionalização e reconhecido a nível nacional pelas suas ideias descentralizadoras do Estado, Paulo Cunha afirmou que “é fundamental reivindicar uma mudança”. “Queremos um Estado consciente, atuante, próximo, não só do ponto de vista físico, mas também da intuição, que consiga auscultar a comunidade”, afirmou acrescentando que “algo tem que ser feito”. “Nós queremos governantes que conheçam o país real, que respirem o mesmo ar das comunidades, não queremos governantes que tomem o todo pela parte”.

Mas o autarca famalicense aproveitou a presença de todos os partidos políticos com estrutura concelhia para abordar outra questão atual, a ética e o Estado legislador. Referindo-se mais uma vez a uma “tendência crescente” dos órgãos nacionais, Paulo Cunha afirmou “temos um Estado com tiques legislativos, um Estado que sente que fazer uma lei é sempre a melhor solução, como se as leis fossem resolver os problemas da comunidade”.

Para o autarca “é preciso saber combater esta tendência, que é mais uma tentação do Estado moderno”. Mas Paulo Cunha foi ainda mais longe e referiu que “mais recentemente legisla-se acerca da ética”, numa clara alusão às ligações familiares entre os membros do Governo.

“Aquilo que são os comportamentos, as condutas, as ações, aquilo que resulta da perceção que cada um tem acerca do exercício dos poderes públicos e políticos está agora a ser acoplado numa qualquer previsão legislativa e isto é o extremo do desnorte legislativo em Portugal”, salientou. Aliás para o presidente de Câmara, esta tendência “é um erro e é muito preocupante, porque constitui também um risco para a democracia”.

Apesar de todas as preocupações demonstradas, Paulo Cunha não tem dúvidas em afirmar que “o 25 de abril valeu a pena e sempre valerá a pena, mas é fundamental que não nos acomodemos pensando que tudo está feito para que eternamente tenhamos liberdade e democracia”.

Esta mesma ideia foi sublinhada pelo presidente da Assembleia Municipal de Famalicão, Nuno Melo, que encerrou a cerimónia. Para o responsável “o 25 de abril é muito mais do que esta cerimónia, é lutando todos os dias pela liberdade”, aliás “a democracia não se faz em sessões que se realizam uma vez por ano, a democracia exerce-se através da liberdade”. Neste âmbito, Nuno Melo fez um forte apelo ao voto, salientando que “o voto é a essência da democracia”, recordando a elevada taxa de abstenção nas eleições, principalmente entre os jovens “o que contradiz abril”.

Refira-se que a sessão solene do 25 de abril foi presidida pelo Presidente da Assembleia Municipal de Vila Nova de Famalicão, e contou com intervenção de representantes de todos os partidos políticos com estrutura concelhia – PSD, CDS, PS, BE e CDU.

O momento contou com transmissão em direto online através do site do município e lotou o salão nobre, com várias dezenas de pessoas a juntarem-se a este momento simbólico.
]]>
<![CDATA[Tradições fortes, festa animada]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_tradicoes_fortes_festa_animada </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=125447&h=b607b" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Maio é um mês de tradições fortes em Vila Nova de Famalicão, com a celebração de duas das festas mais populares do concelho: a Festa da Flor e a Feira das Trocas. São quatro dias intensos de muita animação, com uma das feiras mais emblemáticas a ser coroada por toda a beleza, perfume e esplendor das flores.  É a 8, 10, 11 e 12 de maio que arranca os festejos de rua e se prepara a cidade para a celebração dos santos populares e das romarias de verão.

Oito de maio é dia de cumprir a tradição com a Feira Grande, também conhecida como Feira das Trocas. O evento decorre no recinto da feira, entre as 7h00 e as 18h00. Instituída em 1205, aquando a atribuição do foral de D. Sancho I a Famalicão, a Feira das Trocas de Maio, conjuntamente com a feira semanal e a Feira Grande de S. Miguel, em setembro, deram um contributo importante na projeção e divulgação pública da imagem do concelho.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “é de primordial importância reanimar e reviver estas tradições como forma de preservação e valorização da identidade famalicense”.
É também isso que se pretende fazer com a Festa da Flor, uma tradição que remonta ao início dos anos 60 e que durante muitos anos foi incluída nas festas concelhias. O momento alto desta festa está marcado para a tarde do dia 12, domingo, com o desfile da batalha das flores a percorrer algumas das principais ruas da cidade, acompanhado de muita música e muita animação. Ao todo, desfilam duas dezenas de associações e coletividades do concelho.

Promovida pela Câmara Municipal, a Festa de maio terá como epicentro a Praça D. Maria II, onde estarão reunidos os expositores de artesanato regional e as tasquinhas de doçaria tradicional, licores e produtos da terra. A festa estende-se também à Praça 9 de Abril, que por estes dias se transformará no lugar da arte e beleza, com exposições, ateliês, oficinas de olaria e cerâmica e workshops.

A animação percorrerá toda a cidade com vários momentos musicais e artísticos. Danças, um arruada de tocadores de concertina e cantares ao desafio, grupos de bombos e concertos marcam a programação. Destaque ainda para a tradicional Procissão de velas em Honra de Nossa Senhora de Fátima, que se realiza na noite de domingo, dia 12 de maio. Saindo pelas 21h30 na Igreja Matriz Antiga.

Para acompanhar estes dias de grande animação popular, nada melhor que os “Dias à Mesa”, a nova iniciativa gastronómica de Famalicão que conjuga os melhores paladares com uma agenda cultural diversificada e animada, proporcionando uma experiência completa dos sentidos. Para acompanhar as Festas de Maio, os restaurantes participantes recomendam Rojões.

Consulte aqui o programa
]]>
<![CDATA[Quinzena da Educação arranca segunda-feira com inúmeras iniciativas]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_quinzena_da_educacao_arranca_segunda-feira_com_inumeras_iniciativas </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=125439&h=dcb59" width="303px" height="202px" border="0"/></p> É já na próxima segunda-feira, 29 de abril, que arranca em Vila Nova de Famalicão mais uma edição da Quinzena da Educação, uma iniciativa que decorre até 17 de maio com uma série de atividades, algumas em estreia, que envolverá os principais agentes educativos e toda a comunidade, cruzando vivências e mostrando a dinâmica educadora municipal.

A programação da Quinzena da Educação inclui ações que vão desde o teatro, à oferta de saídas profissionais, formação e qualificação, debate de ideias e convívio.

A Feira de Formação é uma das grandes iniciativas que terá lugar nos dias 8 e 9 de maio, num espaço do Lago Discount, em Ribeirão. Nesta oportunidade, toda a comunidade é convidada a tomar contacto com toda a rede de ensino e qualificação de Vila Nova de Famalicão, bem como com dezenas de empresas, que apresentarão as ofertas formativas e de emprego existentes, facilitando-lhes a escolha de um futuro profissional.

Outra das atividades que mais mobiliza a comunidade na Quinzena da Educação é a Mostra de Teatro Escolar (MOTE). De 29 de abril a 17 de maio, é esperada uma dezena de espetáculos teatrais, nos palcos da Casa das Artes (pequeno e grande auditórios) e do Centro de Estudos Camilianos, executados por centenas de alunos de escolas da rede de ensino concelhia.

“Social Innovathon” é uma estreia na programação da Quinzena da Educação. A realizar nos dias 6 e 7 de maio, na Casa da Juventude e na Didáxis Vale S. Cosme, esta será uma maratona de inovação e empreendedorismo social, com o objetivo de desenvolver ideias e soluções para uma necessidade específica na área social e/ou empresarial. O objetivo passa por sensibilizar e envolver os jovens em atividade de promoção e desenvolvimento de competências pessoais e sociais. Será dada a oportunidade de networking entre jovens, empresas e empreendedores.
Às 14h00 do dia 3 de maio, realiza-se a Assembleia de Estudantes, nas instalações do Agrupamento de Escolas D. Sancho I.

Os Paços do Concelho, a Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco e o Parque da Devesa são os espaços que vão acolher, no dia 4 de maio, entre as 10h00 e as 18h00, a iniciativa “Há histórias na cidade”.
O Ciclo de Conferências em Educação promove, no dia 10 de maio, às 21h00, a conferência “Libertem as crianças, mais risco, mobilidade, autonomia e participação”, com Carlos Neto, no auditório da CESPU. No seguimento desta conferência, no dia 11 de maio, o Agrupamento de Escolas D. Sancho I, acolhe entre as 9h30 e as 12h30, um workshop para técnicos.
Outra das novidades da programação desta edição da Quinzena da Educação prende-se com a realização de um “bootcamp”, no dia 11 de maio, no Parque de Sinçães, das 10h00 às 18h00, como forma de efetivar o Encontro Concelhio das Associações de Pais com um programa de alto impacto.

Programa da Quinzena

MOTE
29 abril – 19h00 – Pequeno Auditório CA – Peça ACE
29 abril – 21h00 – Grande Auditório CA – Peça AE D. Sancho I
02 maio – 14h30 – Centro Estudos Camilianos – Peça AE Pedome
06 maio – 14h30 – Grande Auditório CA – Peça Ass. Palco do Ave
06 maio – 21h00 – Pequeno Auditório CA – Peça AE Gondifelos
07 maio – 14h30 – Grande Auditório CA – Peça INA
08 maio – 21h00 – Grande Auditório CA – Peça AE D. Maria II
13 maio – 14h30 – Grande Auditório CA – Peça CIOR
13 maio – 21h00 – Grande Auditório CA – Peça Duques e Cenas AE Ribeirão
17 maio – 21h00 – Centro Estudos Camilianos – Peça OLE AEPBS
Assembleia de Estudantes – 03 de maio – 14h00 – AE D. Sancho I.
Social InnovAthon – 6 e 7 de maio - Casa da Juventude e Didáxis Vale S. Cosme
Feira de Formação – 08 e 09 de maio – Lago Discount
“Há histórias na cidade” – 04 de maio – das 10h00 às 18h00 – Paços do Concelho, Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco e Parque da Devesa
Ciclo de Conferências em Educação – 10 de maio – 21h00 – CESPU | 11 maio – 09h30 – AE D. Sancho I
Bootcamp – 11 de maio – 10h00 às 18h00 – Parque de Sinçães
]]>
<![CDATA[Candidaturas aos Selos Famalicão Visão’25 arrancam a 29 de abril]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_candidaturas_aos_selos_famalicao_visao25_arrancam_a_29_de_abril </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=125432&h=775c8" width="303px" height="202px" border="0"/></p> É já a partir da próxima segunda-feira, dia 29 de abril, que as empresas, associações, escolas e movimentos informais do concelho se vão poder candidatar aos Selos Famalicão Visão’25, iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Famalicão que reconhece e valoriza publicamente iniciativas, ações, projetos, produtos ou serviços que contribuem para a afirmação do município. O período das candidaturas decorre até 31 de maio.

O formulário de inscrição já está disponível online, na página oficial do município, e traduz-se num processo simples e rápido com apenas cinco passos. Os projetos podem ser integrados em quatro categorias. A categoria Famalicão Made IN abrange os projetos empreendedores que potenciam a incorporação tecnológica e a aplicação de soluções de futuro, desenvolvendo uma economia baseada no conhecimento e na inovação e que aumentam a competitividade e internacionalização. A categoria B -Smart Famalicão irá reconhecer os projetos que promovam uma economia mais eficiente na utilização dos recursos. A categoria Força V – Famalicão Voluntário inclui os projetos que reforçam o capital social presente nas práticas de intervenção e animação comunitária e impulsionam novos ambientes de participação e envolvimento ativo. Por fim, na categoria Famalicão Comunitário serão reconhecidos os projetos que promovam a corresponsabilização dos cidadãos e que se distingam enquanto projetos coletivos, de cooperação e colaboração entre atores públicos e privados e potenciadores dos valores do futuro.

No formulário de inscrição devem ser identificados a identidade promotora e o projeto a candidatar. Deve ainda constar uma breve caracterização da iniciativa, ação, projeto, produto ou serviço, e os documentos que considerem necessários anexar à candidatura.

Entretanto, no dia 15 de maio será promovida uma oficina de preparação e apoio às candidaturas, na Casa do Território, pelas 10h00. Os interessados em saber mais sobre os Selos Visão’25 podem inscrever-se através do envio de nome e entidade que representa para o e-mail dpee@famalicao.pt.

Recorde-se que a atribuição dos Selos Famalicão Visão’25 acontece pelo quarto ano consecutivo, tendo sido já reconhecidos cerca de quatro dezenas e meia de projetos. No fundo, o selo representa um prémio que identifica e reconhece as boas práticas com impactos positivos no território, na economia e na sociedade, que sejam inovadoras e inspiradoras, que expressem os valores e reforcem a identidade famalicense.

A atribuição do selo será decidida por um júri, constituído por diversas pessoas de diferentes áreas. Os vencedores serão divulgados na sessão solene comemorativa do Dia do Concelho, no dia 28 de setembro de 2019.

Candidaturas aqui
]]>
<![CDATA[Revitalização do Centro Urbano em discussão pública a partir de sexta-feira]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_revitalizacao_do_centro_urbano_em_discussao_publica_a_partir_de_sexta-feira </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=125410&h=f5d95" width="202px" height="202px" border="0"/></p> Arranca sexta-feira, a 26 de abril, e decorre até 17 de maio o período formal de discussão pública sobre o processo da revitalização dos Espaços Públicos da Área Central da Cidade. A proposta de projeto, as plantas e as memórias descritivas das várias intervenções ficarão disponíveis no site do município, em www.famalicao.pt, nesta sexta-feira, assim como uma ficha para sugestões e ideias sobre este processo de reabilitação e revitalização do centro urbano de Famalicão. Os contributos podem também ser apresentadas presencialmente, no Departamento de Ordenamento e Gestão Urbanística de Vila Nova de Famalicão, localizado no edifício dos Paços do Concelho.

Com esta intervenção pretende-se revitalizar e requalificar as praças urbanas da cidade, nomeadamente a Praça Dona Maria II, Praça Mouzinho de Albuquerque e ruas adjacentes, criando condições para uma maior atratividade do centro da cidade de Vila Nova de Famalicão, através da criação mais espaços pedonais e zonas sociais, permitindo uma maior mobilidade de pessoas e de meios de transporte suaves no centro urbano.

A intervenção insere-se no âmbito do desenvolvimento do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, que prevê a promoção de estratégias de baixo teor de carbono na cidade, a melhoria do ambiente urbano e a sua revitalização e a recuperação de espaços públicos. Neste contexto insere-se a obra de reabilitação do Mercado Municipal, que foi adjudicada no passado dia 7 de março, em Reunião de Câmara, e a criação de uma rede de ciclovias urbanas, entre outras ações.

“Trata-se de uma intervenção de fundo que vai criar condições para que, do ponto de vista económico, do recreio e do lazer, daquilo que é a capacidade de acolhimento do centro da cidade, haja uma melhoria muito substancial em Vila Nova de Famalicão”, refere a propósito o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha. E acrescenta: “As cidades são para as pessoas que devem ter condições para desfrutarem dos espaços públicos”.

Refira-se que no início de março, no auditório da Fundação Cupertino de Miranda, decorreu já uma sessão de esclarecimento sobre o processo da revitalização dos espaços públicos da área central da cidade com o lançamento da discussão e troca de ideias, com a presença do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha e de várias dezenas de populares.
]]>
<![CDATA[Famalicão assinala Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor com uma Maratona da Biblioteca ]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_assinala_dia_mundial_do_livro_e_dos_direitos_de_autor_com_uma_maratona_da_biblioteca </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=125395&h=ab4e9" width="303px" height="202px" border="0"/></p> No fim de semana de 27 e 28 de abril, a Praceta Cupertino de Miranda, em Vila Nova de Famalicão, recebe uma Feira do Livro de Banda Desenhada, que promete fazer as delícias dos amantes das histórias aos quadradinhos.
A iniciativa é um dos destaques da Maratona da Biblioteca, iniciativa que a Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco vai promover de 23 a 28 de abril, em vários espaços do concelho, para comemorar o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor que se assinala no dia 23 deste mês.
No dia de arranque da iniciativa, a Biblioteca Municipal recebe, às 10h15 e às 14h30, uma oficina criativa intitulada “Almoço Literário”, e no polo de Joane há “Dois dedos de conversa com…Andreia Varela” com a apresentação do livro “O grande e ruim GRAOU”.
No dia 24, para além das várias iniciativas destinadas ao público escolar, os polos de Riba de Ave e Ribeirão recebem, às 21h00, uma tertúlia literária sob o tema “Abril, Livros Mil”.
Na sexta-feira, dia 26, destaque para uma ação formativa que decorrerá às 14h00 no polo da biblioteca de Riba de Ave sobre pesquisa no catálogo bibliográfico do fundo documental da Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco.
Para além da Feira do Livro de Banda Desenhada, a Praceta Cupertino de Miranda recebe ainda, no dia 27, pelas 10h30, uma sessão de contos com a Cláudia Pinheiro, narradora itinerante que dinamiza sessões de contos para crianças com recursos narrativos em tecido, executados por si. Nas suas sessões apresenta canções, histórias e lengalengas que despertam o gosto pela leitura, pela música e que cultivam o valor do respeito pela natureza e pelas diferenças humanas.
Já no dia 28, às 10h30, a praça recebe a atividade “Histórias para Sonhar”, uma narração teatralizada de um encontro entre duas histórias de Sophia de Mello Breyner - “A fada Oriana na floresta da menina do mar”.
Recorde-se que o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor foi instituído pela UNESCO, em 1996, para homenagear o aniversário da morte dos escritores Shakespeare e Cervantes, reconhecidos dramaturgos que escreveram histórias imortais como “Romeu e Julieta” e “D. Quixote de la Mancha”.
Programa completo disponível para consulta em www.bibliotecacamilocastelobranco.org.
]]>
<![CDATA[“Memórias da Devesa” fazem a história]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_memorias_da_devesa_fazem_a_historia </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=125374&h=b84d8" width="285px" height="202px" border="0"/></p> O Parque da Devesa lança hoje, neste Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, o seu novo projeto intitulado “Memórias da Devesa”, com o objetivo de salvaguardar o passado e o legado daquele espaço que sofreu profundas alterações com a construção do parque, valorizando as suas memórias, as vivências de quem lá morou, trabalhou ou utilizou para o seu lazer, etc.
Para isso, desafia todas as pessoas que detenham em sua posse fotografias, documentos, artigos, objetos, sobre aquele lugar, sobre as famílias que lá habitaram, as casas, sobre factos e acontecimentos relacionados com o espaço. Será reunido espólio material, mas também imaterial através de testemunho oral.
De resto, pretende-se com este projeto construir um arquivo de memória on line “Memórias da Devesa”, acessível a todos; estimulando e apoiando trabalhos de investigação; mantendo vivo o legado da “Devesa” e produzindo conhecimento histórico.
Para além deste trabalho, será desenvolvido paralelamente um levantamento de informação já conhecida e, eventualmente, já sistematizada, nomeadamente através da Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco (Fundo Local), Arquivo Municipal, Gestão Urbanística do município, entre outros.
Trata-se, por isso, de um projeto aberto no tempo, sendo que, em qualquer altura, se poderá fazer a incorporação e atualização de informação.
]]>
<![CDATA[A arte da cerâmica da Fundação Castro Alves em exposição exclusiva nos Paços do Concelho]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_a_arte_da_ceramica_da_fundacao_castro_alves_em_exposicao_exclusiva_nos_pacos_do_concelho </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=125382&h=49179" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Oito peças únicas, produzidas minuciosamente com a chancela de qualidade da Escola de Cerâmica Artística da Fundação Castro Alves, compõem a exposição “Agnus Dei”, inaugurada esta quinta-feira, 18 de abril, nos Paços do Concelho de Vila Nova de Famalicão.
O tempo pascal dá o mote para esta nova mostra da escola e museu da freguesia de Bairro, que vai estar patente no átrio do edifício principal da Câmara Municipal até dia 24 de maio.
“Natividade”, “Esplendor do Nascimento”, “O amor de Deus que se fez criança”, “Sagrada Família”, “Última Ceia”, “Crucificação”, “Deposição de Cristo no Túmulo” e “Ressurreição”, assim se chamam as oito peças de cerâmica, moldadas em barro, expostas nesta exposição de natureza religiosa.
Uma coleção heterogénea e única que pretende divulgar o património de arte sacra em cerâmica desenvolvido em Vila Nova de Famalicão pela Escola de Cerâmica Artística da Fundação Castro Alves.
A Fundação Castro Alves explica ainda que esta exposição, que pode ser visitada gratuitamente de segunda a quinta, entre as 09h00 e as 18h00, e à sexta-feira, das 09h00 às 12h00, se insere “no âmbito da sua política de promoção e descentralização cultural”.
“É uma pequena amostra da enorme riqueza e qualidade da arte da Fundação Castro Alves e uma nova razão para que venham até aos Paços do Concelho desfrutar deste magnífico espaço”, referiu hoje o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, na cerimónia de inauguração.
Recorde-se que a Fundação Castro Alves foi fundada em 1991 pela mão do Comendador Manuel Maria Castro Alves (1935-1998), como sequência natural e enquadramento jurídico para a meritória obra educativa, artística e cultural, iniciada em 1971 através da criação do então Centro de Arte e Cultura Popular de S. Pedro de Bairro. Em 1979 o Comendador Castro Alves aumenta as valências do centro, com a criação da Escola de Cerâmica Artística, que teve como grandes impulsionadores, os Pintores Júlio Resende e Francisco Laranjo, numa fase intermédia o oleiro Fernando Sousa e posteriormente o Arquiteto Fernando Lanhas, que frutificou o Museu de Cerâmica Artística.
A Escola de Cerâmica Artística, permitiu formar artesãos que pelos seus trabalhos e qualidade artística permitiram que em 1987 fosse edificado o Museu de Cerâmica Artística. O Museu tem em exposição permanente coleções constituídas por dois núcleos, um de olaria e outro de esculturas de cerâmica, o que representa um espólio de 1336 peças distribuídas por três salas com uma área total de 400m2.
Na atualidade a Fundação Castro Alves tem como valências âncora o Museu de Cerâmica Artística, a Escola Oficina de Cerâmica Artística e a Escola de Música que se encontra sob a direção pedagógica do CCM, e tem consolidado as suas respostas ao nível do Serviço Educativo e Social e da Programação Cultural.

]]>
<![CDATA[Cerca de 250 famílias famalicenses recebem apoio municipal para pagar as rendas]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_cerca_de_250_familias_famalicenses_recebem_apoio_municipal_para_pagar_as_rendas </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=125404&h=726c4" width="303px" height="202px" border="0"/></p> O programa municipal “Casa Feliz – Apoio à Renda” promovido pela autarquia de Vila Nova de Famalicão vai apoiar, ao longo de um ano, perto de 250 famílias do concelho nas suas despesas com a habitação. São famílias que por diversos motivos estão numa situação de carência económica, e que precisam de apoio para cumprir os seus compromissos com as rendas das suas habitações e evitar despejos por falta de pagamento.

A proposta para a atribuição dos apoios foi aprovada esta quinta-feira, em reunião do executivo municipal e prevê um investimento municipal de quase 252 mil euros. “Passamos de 199 famílias, em 2018, para 248 famílias, num envelope financeiro na ordem dos 200 mil euros para 252 mil euros”, adiantou o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, aos jornalistas no final da reunião.

Os apoios são divididos em três escalões A, B e C, correspondendo a 100 euros, 75 euros e 50 euros mensais. Com o escalão A foram beneficiadas 114 famílias, com o Escalão B 115 e com o Escalão C 19 famílias.

Para o autarca, este aumento de beneficiários “simboliza duas coisas”, por um lado mostra que a medida está a ser cada vez mais conhecida da comunidade e as pessoas estão informadas. “As famílias conhecem os apoios que a Câmara Municipal concede porque fazemos a informação chegar a toda a gente, quando criamos uma medida social, queremos que as pessoas beneficiem dela”, explica. Por outro lado, “há uma tendência nacional, que tem levado a um aumento do valor das rendas, o que tem provocado que mais pessoas procurem ajuda”.

Desde 2013, a autarquia já investiu mais de 800 mil euros com os apoios à renda. Sendo que o investimento municipal tem vindo sempre a subir, tendo iniciado com 55.500 euros em 2013, beneficiando 51 candidatos, chegou aos 127 mil euros em 2016 distribuídos por 121 famílias, e atinge este ano os 252 mil euros no apoio a 248 agregados.

Para Paulo Cunha, este é um investimento social importante e indiscutível. “A área social é uma área onde o orçamento não está previamente definido, a câmara municipal concede aos munícipes uma retaguarda social e a questão da habitação é absolutamente essencial”.

O autarca sublinhou ainda que a relação de proximidade e convivência com a comunidade permite às autarquias perceber quais são as suas principais necessidades. “A nossa sensibilidade social não é aferida com base naquilo que são as folhas de Excel que evidenciam as curvas económicas, que o PIB está a crescer ou que há mais exportações ou que o salário médio subiu, porque a vida das pessoas não se faz por médias nem por estatísticas, faz-se do ponto de vista real. E se é verdade, que em média o nível de vida das famílias está melhor, também é verdade que há muitas famílias que estão tão mal ou pior do que estavam há sete ou oito anos.”

Refira-se que a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão criou em 2005, o programa Casa Feliz com apoio às obras, onde as famílias que mais precisam têm direito a uma ajuda financeira que pode chegar aos 5 mil euros, para reabilitar as suas casas, proporcionando as condições mínimas de bem-estar. Neste âmbito, já foram beneficiadas muitas centenas de famílias.

Em 2012, o programa Casa Feliz foi alargado com o apoio à renda. Aqui o objetivo é, precisamente, apoiar as famílias famalicenses que se encontrem a viver em habitações arrendadas e que, de uma forma temporária e inesperada, se vejam sem condições financeiras para cumprirem os contratos celebrados com os seus senhorios.
]]>
<![CDATA[Festas de Maio trazem “Dias à Mesa” com Rojões e muita animação]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_festas_de_maio_trazem_dias_a_mesa_com_rojoes_e_muita_animacao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=125362&h=a1c7b" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Um dos restaurantes mais antigos de Vila Nova de Famalicão, a Casa Pêga que já conta mais de 60 anos, vai associar-se à iniciativa gastronómica “Dias à Mesa”, promovida pelo município famalicense durante a Festa de Maio – Flores e Trocas, que decorre nos dias 8 e de 10 a 12 de maio.

Os Rojões são a proposta para este fim-de-semana que promete atrair muitos turistas ao território, conjugando os melhores paladares com uma agenda cultural diversificada e animada, proporcionando uma experiência completa dos sentidos. Este é, aliás, o principal objetivo dos “Dias à Mesa”, que arrancou no Carnaval, com o cozido à portuguesa. Ao longo do ano, contam-se oito fins-de-semana gastronómicos sempre associados a eventos culturais e desportivos do município.

Para além da Casa Pêga, participam ainda nesta edição outros conceituados restaurantes, como a Colina do Ave, Fondue, O Tosco, O Prato, Outeirinho, Porta Enxerto, Sara Cozinha Regional e Torres. Os turistas que participarem na iniciativa usufruem de um desconto de 10 por cento no período correspondente nas casas de alojamento aderentes.

“Famalicão tem todas as condições para proporcionar uma estadia enriquecedora do ponto de vista cultural e gastronómico aos visitantes que nos procuram por esta altura do ano”, adianta o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, salientando que “Os Dias à Mesa” são um “projeto turístico com dimensão horizontal, que junta a gastronomia com outros atrativos, chamando até Vila Nova de Famalicão mais visitantes e com maior permanência”.

Tipicamente minhoto, os rojões são um prato confecionado com ingredientes diversos, que se associam às Festas de Maio, pela sua tradição e culturalidade. Enquanto a a Feira das Trocas se destaca pelas exposições de gado bovino, o mercado de produtos típicos da região e tabernas populares, a festa da flor é marcada pela batalha das flores, uma tradição secular que embeleza e perfuma toda a cidade. A animação essa é garantia com espetáculos e atividades culturais e musicais.

Programação dos Dias à Mesa disponível em https://www.famalicao.pt/_dias_a_mesa
]]>