Pesquisar
 
 
 
 
Alterar tamanho do texto
Economia
Tradição, qualidade e competência
    19-06-2017
    A palavra de ordem é diferenciar pela qualidade aliando a tradição à modernidade. Ainda hoje a Couto & Brandão não prescinde de fabricar 150 mil bolinhos de bacalhau diariamente de acordo com a “receita caseira”, que é como quem diz, compondo a massa à mão e recorrendo às colheres para que a forma e o sabor dos bolinhos sejam os que a maioria de nós traz da infância.

    A empresa famalicense de pré-cozinhados ultracongelados chegou a planear o investimento em equipamentos para automatizar a produção, mas não ficou convencida com os resultados e voltou à receita fiel. “Utilizando bacalhau que comprámos já esfiado, sem espinhas e sem pele, os nossos bolinhos são confecionados com matérias-primas selecionadas de forma rigorosa e reconhecidos como feitos em casa e na hora. O mesmo sucede com todos os outros nossos produtos graças à evolução tecnológica dos melhores meios de produção, ultracongelação e embalagem, aliada a um intenso programa de formação dos nossos colaboradores”, sublinhou Fernando Couto, administrador, na visita que o Presidente da Câmara Municipal realizou à empresa nesta segunda-feira, 19 de junho, no âmbito do roteiro Famalicão Made IN, iniciativa que Paulo Cunha protagoniza para contribuir na divulgação das empresas famalicenses que se destacam pela capacidade empreendedora e de inovação e pela vocação exportadora.

    Corria o ano de 1991 quando a Couto & Brandão se instalou na freguesia de Requião, Vila Nova de Famalicão, por iniciativa dos irmãos Fernando Couto e Manuela Brandão, que ainda hoje cuidam dos destinos da empresa.

    Quase três décadas depois, o passado orgulha, o presente motiva e o futuro desenha-se seguro. O sucesso da Couto & Brandão mede-se também pelos números que apresenta e que traduzem uma aposta clara na qualidade: 1.284 toneladas de produtos em 2016, a que corresponde um volume de negócios de 5 milhões de euros, 50 produtos na gama de oferta e 55 colaboradores.

    A empresa tem apostado cada vez mais na internacionalização. “Estratégia que vamos reforçar nos próximos anos com a entrada em novos mercados”, adiantou Fernando Couto. Para o exterior vende 30 por cento da produção. A França é o principal mercado de destino. Relevantes são também a Suíça, o Luxemburgo e o Brasil. No mercado nacional trabalha só com grandes distribuidores que fazem chegar os produtos às superfícies comerciais.

    Na ampla gama de produtos encontram-se, para além dos bolinhos de bacalhau, os rissóis com os mais variados recheios, os croquetes e as pataniscas, por exemplo, estes com produção automatizada.

    Paulo Cunha sublinhou a importância da Couto & Brandão em Vila Nova de Famalicão no contexto agroalimentar. “Conseguiu associar aquilo que normalmente não é possível: a quantidade, a qualidade e a dimensão artesanal do processo de produção. A qualidade das matérias-primas, a competência dos colaboradores, a excelência do processo de produção fazem com que o resultado desta equação seja francamente positivo”, assinalou o edil. “Para o município, e particularmente para a Câmara Municipal, é muito gratificante ter empresas como a Couto & Brandão, que levam longe o nome de Vila Nova de Famalicão”, concluiu.

    Receber Notícias
 
 
Subscrever RSS  
 
Enviar por email  
 
Imprimir  
327 leituras
 
 
TOPO
 
   
  Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão © copyright 2017 | handmade by brainhouse