Pesquisar
 
 
 
 
Património Classificado - Monumentos Nacionais
Alterar tamanho do texto
 
Igreja do Mosteiro de Arnoso - Santa Eulália de Arnoso

Decreto nº 28536 de 22-3-1938
Z.E.P.* , D.G. 2ª Série, nº 89 de 16-4-1971
Zona geral de protecção de 50 metros
Zona especial de protecção

A Igreja do Mosteiro, situada na freguesia de Santa Eulália de Arnoso, foi nos anos 40, objecto de obras de preservação, efectuadas pela Direcção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, que resultaram numa intervenção de acordo com a filosofia vigente neste período.
O imóvel em termos de construção destaca-se pelas cantarias, do ponto de vista ornamental merece destaque o portal axial.
Na porta lateral da nave, está uma inscrição no tímpano, onde se pode ler ERA MCLXXXXIII, a que corresponde na era de Cristo ao ano de 1156. Esta inscrição deverá corresponder à data da sagração da igreja.
Notam-se alguns desvios angulares, que constituem anomalias construtivas, que quase só por excepção é que não se verificam em edifícios medievais.
Destacam-se também os frescos quinhentistas, únicos no concelho, que se dispõem aos pares sob duas arcadas cegas. Os inferiores em painéis rectangulares são guarnecidos por molduras decoradas com motivos geométricos e representam figuras humanas, os superiores são constituídos por figuras isoladas.
Na zona envolvente do imóvel é de destacar a praia fluvial nas margens do Rio Guizande.
 
 
Marco Miliário – Cabeçudos
(pertencente ao conjunto classificado - 8 Marcos Miliários da Via Romana Braga-Porto / Série Capela)

Decreto 16/06 de 1910
Zona geral de protecção de 50 metros

No lugar de Santa Catarina na freguesia de Cabeçudos encontra-se um dos marcos da série Capela. Esta identifica diversos conjuntos de marcos miliários de diferentes concelhos que foram classificados em 1910, referenciados no inventário realizado por Martins Capela na sua obra sobre os Marcos Miliários do Conventus Bracaraugustanus datada de 1895. Nesse trabalho, no que diz respeito à via romana Braga - Lisboa, a Via XVI do Itinerário Antonino (TRANOY 1981/207, 213, 394 e 398-403), Capela identifica um conjunto de miliários, ou fragmentos de miliários, inventariando, isto é atribuindo nº de inventário, apenas a 8 miliários.
Este é o único marco referenciado que ainda se encontra actualmente no concelho.
 
 
Ponte da Lagoncinha – Lousado

Decreto nº 32973 de 18-08-1943
Z.E.P.* , D.G. 2ª Série, nº 31 de 06-02-1961
Zona geral de protecção de 50 metros
Zona especial de protecção (Z.E.P.*)

A Ponte da Lagoncinha, situada na zona sul do concelho, na freguesia de Lousado sobre o Rio Ave, é um notável exemplo de ponte românica, quer em termos de engenharia, quer a nível histórico, sendo um elemento patrimonial de primeiro plano no concelho e mesmo no país.
Foi em 1952 e 1953, objecto de obras relevantes de preservação, efectuadas pela Direcção Geral de Edifícios e Monumentos Nacionais.
É uma ponte com tabuleiro de perfil horizontal, com duas rampas, sobre 6 arcos desiguais, uns com arco de volta redonda e outros quebrados. Tem sistematicamente contrafortes com talhamares triangulares e talhantes quadrangulares. As guardas são de cantaria de granito e o pavimento é com lajes também em granito.
Na zona envolvente do imóvel é de destacar a Capela de S. Lourenço do Séc. XVIII e o cruzeiro, assim como as Alminhas de Nº Senhor dos Aflitos.
 
 
Ponte de Serves

Decreto nº 32973 de 18/08 de 1943
Zona geral de protecção de 50 metros

A Ponte de Serves faz a ligação entre as freguesias de Pedome (V.N. de Famalicão) e Gondar (Guimarães). Sofreu bastantes alterações ao longo dos anos. Apresenta uma estrutura pétrea de cantaria, com quatro arcos de volta perfeita, talhamares e tabuleiro plano, que terá sido erguida na Idade Média.
 
 
TOPO
 
   
  Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão © copyright 2017 | handmade by brainhouse