Pesquisar
 
 
 
 
Festival Teatro Amador - Terras de Camilo
Alterar tamanho do texto
É com Seide S. Miguel como pano de fundo e com a inspiração da Casa de Camilo, que de 17 de Março a 20 de maio, volta a decorrer mais uma edição do Festival de Teatro Amador “Terras de Camilo”. A iniciativa, promovida pela Câmara Municipal de Famalicão e o Grupo de Teatro Amador Camiliano – Grutaca, é de entrada livre e para além da apresentação de perto de uma dezena de peças de teatro, conta também com uma componente formativa, com a realização de vários workshops, de comemoração do Dia Mundial do Teatro, a 27 de Março. Todas as sessões realizam-se aos fins de semana.




Apoios/Patrocínios:

União de Freguesias de Seide
Restaurante S. Miguel (Seide S. Miguel)
Restaurante O Toneco (Bente)
Café Snack-Bar Novo Milénio (Seide S. Paio)
Café Camiliano (Seide S. Miguel)
Confeitaria Amor de Perdição, (Seide S. Miguel)
Café Popular, (Seide S. Miguel)
Cervejaria Avenida, (Santa Marinha – Landim)


PROGRAMAÇÃO


Data de Realização: 17 de Março a 20 de Maio 2018


Município de Vila Nova de Famalicão
Informações: animacaocultural@vilanovadefamalicao.org
Telefone: 252 320 900

GRUTACA – Grupo de Teatro Amador Camiliano
E-mail: grutaca@gmail.com
Telefone: 938 420 394


XII FESTIVAL DE TEATRO AMADOR TERRAS DE CAMILO

DE 17 DE MARÇO A 20 DE MAIO DE 2018
Casa de Camilo | Centro de Estudos Camilianos |  São Miguel de Seide

Dia 17 de Março (Sábado) | 21h30
Abertura do Festival de Teatro Amador
GRUTACA, Grupo de Teatro Amador Camiliano
Apresenta: “OS BRILHANTES DO BRASILEIRO”, de Camilo Castelo Branco
Classificação: M/6   Duração: 75'

Sinopse: Assistimos aqui a uma luta entre o círculo da sociedade e o círculo do amor, ambos com direitos sobre as personagens. Já sabemos que Camilo não assiste como árbitro ao conflito entre o coração e a sociedade. Camilo toma partido. Não se limita a julgar Hermenegildo Fialho Barrosas e a pôr convencionalmente Ângela "debaixo duma amendoeira florida". Começa logo pelas proeminências morais características dos três velhos amigos do brasileiro. Pantaleão Mendes, Atanásio da Silva e Joaquim Bernardo. "Abriram-se os buchos e fecharam-se as consciências" destes membros do tribunal de honra onde Ângela foi condenada à infâmia e à pobreza. O mundo do dinheiro, a opinião pública portuense, a sociedade são sujeitos ao sarcasmo e à troça ou ao severo juízo do novelista. A nossa ousadia em empreendermos um trabalho de tanta responsabilidade deve ser relevada pelo desejo que tivemos de tornar conhecida, no teatro, uma das melhores produções do fecundo e glorioso romancista.

Ficha Artística/Elenco:
Hermenegildo Fialho Barrosas – Fernando Lima
Angela – Diana Catarina
Joana – Cláudia Campos
Rosa Catraia – Bárbara Araújo
Médico, Francisco da Costa – Hélder Araújo
Pantaleão Mendes – José Alves
Atanásio da Silva – Francisco Cereja
Joaquim Bernardo – Reinaldo Ferreira
Vitorina e Juca – Serafim Costa
Ourives e Padre – António Alves
Testemunhas – António Alves e Cláudia Campos
Figurantes/vídeo – Atores dos Grupos de Teatro: Grutaca (S. Miguel de Seide), Projeto Amarcultura (Calendário)

Ficha Técnica:
Texto - Camilo Castelo Branco
Adaptação de texto – Gaudêncio Carneiro
Encenação - Reinaldo Ferreira
Figurinos – Grutaca
Cenografia – Grutaca
Sonoplastia e Desenho de Luz – José Carvalho
Realização e Pós-Produção Vídeo - Pedro Zimann e Dalila Dano
Género – Comédia


Dia 25 de Março (Domingo) | 16h00
QUATRO VENTOS, Companhia de Teatro (Santo Tirso)
Apresenta: “JOÃO SEM MEDO”, uma adaptação de, As Aventuras de João Sem Medo de, José Gomes Ferreira

Sinopse: João Sem Medo vive em Chora-Que-Logo-Bebes, uma aldeia onde o medo e o choro reinam dia e noite. Esta peculiar povoação fica aninhada perto do “...muro construído em redor da Floresta Branca, uma floresta mágica, onde os homens, perdidos dos enigmas da infância, haviam instalado uma espécie de parque de reserva de entes fantásticos.” Farto da choraminguice dos seus habitantes, decide saltar o muro e partir em busca de aventuras.
Na floresta, os caminhos árduos que conduzem à felicidade estão repletos de personagens mágicas que não lhe dão tréguas e insistem em apresentar-lhe as mais infindáveis e surreais contrariedades, que só um rapaz cheio de valentia e teimosia na luta poderá aguentar.

Ficha Artística | Elenco:
João Sem Medo 1 – José Magalhães
João Sem Medo 2 – Marta Costa
Mãe – Marlene Meireles
Choraquelogobebenses – Marta Costa, Bruno Bernardo
João Medroso – Bruno Bernardo
Guarda – Diana Pereira
Fada Homem – Bruno Bernardo
Gramofone – Marta Costa
Fada do Sonho – Diana Pereira
Manipulação de Marionetas – Marta Costa, Diana Pereira, Alda Machado,
Bruno Bernardo

Ficha Técnica:
Adaptação do texto: Pedro Ribeiro, Isménia Leite e Sara Costa
Encenação: Coletiva
Cenografia: Pedro Ribeiro e Sara Costa
Apoio Técnico:
Joaquim Ribeiro
Isménia Leite
Hugo Válter Moutinho/Luís Magalhães


Dia 27 de Março (terça-feira) | 10h00, 14h30 e 21h30
COMEMORAÇÔES DO DIA MUNDIAL DO TEATRO

10h00 | Workshop de Marionetas de Esponja – “Monstros marinhos”
Público| Escolas de Ensino Básico
Monitorização: Teatro e Marionetas de Mandrágora
Local | Sede da Junta de Freguesia de Seide S. Paio

14h30 | Workshop de Teatro de Papel – “Caixa das histórias ensarilhadas”
Público| Escolas de Ensino Básico
Monitorização: Teatro e Marionetas de Mandrágora
Local | Sede da Junta de Freguesia de Seide S. Paio

21h30 | Oficina de Teatro: “Construção de uma personagem”
Público | Atores de grupos de teatro amador e profissional;
Público em geral

Monitorização: Teatro e Marionetas de Mandrágora
Local | Auditório do Centro de Estudos Camilianos | Seide S. Miguel



Dia 07 de Abril (Sábado) | 21h30
GRUPO DE TEATRO DO CENTRO CULTURAL LORDELENSE (Vila Real)
Apresenta: “ O CHÁ DE SÃO CORNÉLIO”, uma Adaptação de A MANDRÁGORA, obra-prima de Maquiavel e da comédia humanista da Renascença.
Classificação: M/12   Duração: 90'

Sinopse: A história roda em torno de um emigrante que se apaixona por uma senhora casada e tenta a todo o custo dormir com ela, suplantando o marido, o maior tonto de Vila Real, que busca o mesmo fim.
Bruno Alves - Calímaco, emigrante em França e no Luxemburgo, apaixonado
Emília Monteiro - Ligúria, cabeleireira e prima de Calímaco
Manuel Veiga - Nicias, marido de Lucrécia e advogado em Vila Real
Joaquim Ferreira - Timóteo, padre da paróquia de Lordelo
Mila Brigas - Sóstrata, mãe de Lucrécia
Carina Sampaio - Lucrécia, esposa de Nicias
Lúcia Sousa - irmã de Sóstrata
Adozinda do Carmo - Sira, criada de Calímaco

Ficha Artística:
Calímaco - Bruno Alves,
Ligúria - Emília Monteiro
Nícias - Manuel Veiga
Timóteo - Joaquim Ferreira
Sóstrata - Mila Brigas
Lucrécia - Carina Sampaio
Irmã de Sóstrata - Lúcia Sousa
Sira - Adozinda do Carmo

Ficha Técnica:
Encenação - Coletiva
Adaptação do texto - Ricardo Ferreira de Almeida
Direção de Atores - Ricardo Ferreira de Almeida
Figurinos - Dália Carmo
Cenografia - Grupo de Teatro C. C. Lordelense
Sonoplastia - Grupo de Teatro C. C. Lordelense




Dia 14 de Abril (Sábado) | 21h30
GRUPO DE TEATRO DE CAMPELOS (GUIMARÃES)
Apresenta: A JORNA, de Paulo Teixeira
Classificação: M/6   Duração: 60'

Sinopse: A peça resulta de um conjunto de histórias hilariantes que aconteceram na região a que o Grupo de Teatro pertence e foram compiladas, trabalhadas e posteriormente encenadas para a apresentação em palco, por Paulo Teixeira.

Ficha Artística | Elenco:
Rui e o Alfredo - Arlindo
Afiador - João
José e Carteiro - Diogo
Manuela - Ana
Fernando e João - Simão
Joana - Maria
Rosa e a Beatriz - Maria João
Zé - Matias
Zélia e Josefa – Isabel
Alberto e Domingos - Paulo

Ficha Técnica:
Estilo - Comédia
Encenador e Autor – Paulo Teixeira (Recolha e compilação de histórias)
Cenografia e guarda-roupa – Emília Marinho
Som e Luz – Tiago
Produção – Centro Social Recreativo e Cultural de Campelos




Dia 21 de Abril (Sábado) | 21h30
GRUPO DE TEATRO OLIMPO (Ansião - Leiria)
Apresenta: “OS MENTIROSOS” de, Pedro Ventura Cabral
Classificação: M/6   Duração: 60'

Sinopse:  Farsa sobre a importância da mentira na manutenção da paz social e no normal funcionamento da sociedade… Exibindo uma sucessão de peripécias provocadas por algumas mentiras…
Aquelas mentiras que marcam o nosso dia-a-dia, sem causar estragos…
Aliás, evitando grandes e irreversíveis estragos!…

Ficha Artística | Elenco:
Ricardo Vinagre,
Casimiro Simões e
Wilson Subtil

Ficha Técnica:
Luz e som - Martina Mendes
Cenografia e guarda-roupa - Daniela Neto e Casimiro Simões
Material gráfico - Daniela Neto
Encenação - Casimiro Simões



Dia 28 de Abril (Sábado) | 21h30
NOVA COMÉDIA BRACARENSE (Braga)
Apresenta, " AS ARTIMANHAS DE SCAPIN” de Moliére
Classificação: M/10  Duração: 75'

Sinopse: Num momento em que a cena vem sendo tomada por projetos que procuram apenas o riso pelo riso, em exercícios de grande solidão estética, e em que muitas companhias são tentadas a representar peças de fundo literário, já para não falar de um pseudo-teatro incipiente, carecido de forma e conteúdo, convém regressar àqueles clássicos que constituem uma fonte inesgotável de ensinamentos.
É o caso de Molière, cuja lição precisa de ser recuperada. Sem dúvida que foi considerado o maior comediógrafo da história do teatro; mas para chegar a essa excelência, foi um assíduo frequentador dos teatros de Paris, aprendeu com grandes mestres, particularmente com Scaramouche e os cómicos italianos, estudou em profundidade a sociedade do seu tempo, adquiriu a difícil técnica do ator rigoroso e versátil, escreveu peças de fundo social e desempenhou os papéis das suas personagens principais. Ele soube como nenhum outro descobrir a missão histórica, social e cultural do teatro; a qual, para atuar sobre a consciência do público, tinha de ser necessariamente estruturada em linhas claras, em juízos pertinentes e em diálogos e movimentos leves e graciosos.
Depois de toda essa aprendizagem, Molière usou a comédia para atacar impiedosamente os males que minavam a sociedade em que viveu, expondo nas tábuas do palco toda uma imensa galeria de libertinos, hipócritas, maníacos, ignorantes, devassos, avarentos... Contrariamente, celebrou em cena a liberdade amorosa dos jovens amantes, a dignidade sentimental da mulher, a inesgotável capacidade sobrevivente dos simples. Em As Artimanhas de Scapin, para lá do seu impagável histrionismo, Molière “explica” como a avareza da velha burguesia parisiense pode concorrer para a infelicidade dos jovens, e como o estado da justiça é um empecilho para o desenvolvimento da França do séc. XVII. E dourou tudo isso com um cómico de situação só ao alcance daqueles a quem as musas da poesia concedem as suas liras de sonho e encantamento. Não sem razão ficou para a história a sua máxima de que “o dever da comédia é corrigir os homens divertindo-os”.

Ficha Arística | Elenco
Scapin – Fernando Pinheiro
Silvestre – Fernando Duarte
Argante – Diamantino Esperança
Geronte – Manuel Barros
Octávio – Vítor Machado
Leandro – Miguel Araújo
Jacinta – Sofia Teixeira
Zerbineta – Liliana Braga
Nerina – Rosa Carvalho
Carlos – Carlos Barbosa

Ficha Técnica:
Encenação - Fernando Pinheiro
Som e Luz – Francisca Barbosa
Produção – Nova Comédia Bracarense 2017



Dia 05 de Maio (Sábado) | 21h30
ASSOCIAÇÃO AMARCULTURA (CALENDÁRIO)
Apresenta, “SALSADA DE COMÉDIA” - Sketches de, Monty Python; Barbixas e outros autores anónimos
Classificação: M/6  Duração: 64'

Sinopse: Desde a sua formação que o grupo de teatro da Associação Amarcultura tem levado a cena inúmeros sketches humorísticos. De autores anónimos a grupos mundialmente conhecidos como os britânicos Monty Python, ou os brasileiros Barbixas, o grupo de Calendário tem adaptado e dado uma nova roupagem aos textos, especializando-se, por assim dizer, neste género teatral. Assim, a Amarcultura apresenta neste festival um conjunto dos seus melhores sketches. O humor refinado e o característico nonsense dos Monty Python farão parte desta miscelânea, ela própria repleta de momentos completamente desligados entre si, mas que prometem as maiores gargalhadas.
Ficha Artística | Elenco:
João Antunes;
Bruno Rodrigues;
Carlos Mesquita;
Armando Costa;
Patrícia Fernandes;
Filipe Ribeiro;
Ângela Figueiredo;
Agostinho Costa;
Micaela Ribeiro;
Isabel Carneiro
Ana Antunes e
Clara Rodrigues


Ficha Técnica:
Encenação: Agostinho Costa
Som: Pedro Rodrigues
Guarda-Roupa: Associação Amarcultura (Calendário) e Casa São José (Viana do Castelo)



Dia 20 de Maio (Domingo) |16h00
GRUTACA, Grupo de Teatro Amador Camiliano
Apresenta “EU, TU, ELE, NÓS, VÓS, ELES”, de Sérgio Godinho
Classificação: M/6   Duração: 60'

Sinopse: André, Barnabé, Cristina e Daniela são quatro pessoas que ocupam um determinado espaço. Têm as suas ocupações, o seu círculo de amigos, os seus passatempos e, aparentemente, vivem felizes. A dado momento um novo personagem, o outro, entra em cena. Tenta captar a sua atenção, tornar-se amigo deles. A princípio é ignorado mas, pouco a pouco, vai-se fazendo notar e é aceite pelo grupo que o vai ensinar e que com ele vai aprender o valor da amizade e da partilha.
Ficha Artística | Elenco
André – Hélder Araújo
Barnabé – Cláudia Campos
Cristina – Bárbara Araújo
Daniela – Diana Catarina
Ele – Luís Miguel Ferreira

Ficha Técnica:
Encenação – Reinaldo Ferreira
Apoio Musical - G.M. Pedra D’Agua
Som – Francisco Cereja
Luz – António Alves
Apoio Técnico - José Alves
Cenários e Guarda-roupa – Grutaca, Grupo de Teatro Amador Camiliano
 
 
TOPO
 
   
  Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão © copyright 2018 | handmade by brainhouse