Pesquisar
 
 
 
 
Alterar tamanho do texto
Roteiro da Inovação e Empreendedorismo e Inovação e Economia
EatTasty: o sucesso serve-se à mesa
    16-04-2018
    Na incubadora Famalicão Made IN, instalada em pleno ambiente empresarial da Riopele, em Pousada de Samaragos, está o cérebro de uma das mais bem-sucedidas startups nacionais.
    A EatTasty produz e entrega refeições caseiras e prontas a comer, em várias zonas de Lisboa, idealizadas por um chef e confecionadas por cozinheiros amadores da cidade. Uma ideia que marca pela diferença em relação a outras idênticas, numa área de negócio com muita concorrência e onde já há muito pouco para ser inventado, pelo facto de que todos os cozinheiros que colaboram com a EatTasty têm sempre um rendimento mensal garantido, assim promovendo o emprego local e a possibilidade de retaguarda familiar.
    O sucesso da EatTasty despertou a atenção do Presidente da Câmara, Paulo Cunha, que, na sexta-feira passada, 13 de abril, realizou um Roteiro pela Inovação dedicado à startup.
    Tudo começou em meados de 2015. Rui Costa, um famalicense de Pousada de Saramagos, e Orlando Lopes, seu colega numa empresa de marketing digital, jantavam num restaurante do Porto quando tiveram a ideia de “criar uma comunidade de refeições caseiras”. Ambos pensavam em criar um negócio próprio e, durante algum tempo, estudaram o assunto a fundo até encontrarem aquela solução inovadora. “Os cozinheiros teriam sempre o seu dinheiro assegurado. O risco de não haver procura seria da EatTasty”, contou Rui Costa, acrescentando que cada cozinheiro recebe, em média, 700€ mensais por três horas diárias de trabalho.
    Procuraram mentores e investidores que dessem corpo ao projeto. Em dezembro conseguiram fechar contrato com seis pequenos investidores. Mais tarde, em junho de 2016, vieram os tubarões: a Caixa Capital, através do programa Lisbon Challenge, e a Sonae. No total, a EatTasty angariou 245 mil euros.

    375 mil euros de financiamento

    Ao cliente são oferecidas três opções de menu pelo valor fixo de 5,90 euros, que incluem o transporte e os talheres. As refeições são já entregues em mais de 100 empresas e escritórios lisboetas, diariamente, à hora de almoço.
    Dois anos passados, a startup acaba de anunciar uma segunda ronda de investimento. “São agora mais 125 mil euros que servirão para expandir as entregas a seis novas zonas, desta vez, em Oeiras. O objetivo, a curto prazo, é atingir as 400 refeições diárias”, adiantou.
    Empresas como a Google, a Unbabel e a Talkdesk já fazem parte dos clientes da EatTasty. E, quem sabe, um dia também a Riopele. O seu administrador, José Alexandre Oliveira, também ele presente neste Roteiro pela Inovação, mostrou interesse em testar a ideia na empresa que dirige.
    Para Paulo Cunha, a EatTasty é sinónimo de “projeto deslumbrante, repleto de sinais de excelência e de um empreendedorismo muito vincado, conseguindo fazer algo pouco comum: associar a dimensão global à dimensão local”.

    EatTasty em números

    Desde a sua criação, a empresa já produziu mais de 40 mil refeições, das quais 25% este ano. Em 2017, o melhor cliente encomendou 200 vezes em 231 dias úteis, sendo que 30% dos clientes continua a comprar ao fim de 12 meses. Nos dois primeiros meses deste ano já produziu o equivalente a 50% da produção total de 2017 e, para este mês de abril, está previsto um crescimento de 400% nas encomendas face a março do ano passado.

    Receber Notícias
 
 
Subscrever RSS  
 
Enviar por email  
 
Imprimir  
695 leituras
 
 
TOPO
 
   
  Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão © copyright 2018 | handmade by brainhouse