Pesquisar
 
 
 
 
Alterar tamanho do texto
Desporto
Cota social desportiva para jovens desfavorecidos
    14-07-2017
    A partir de hoje, todas as crianças e jovens do concelho de Vila Nova de Famalicão que queiram praticar uma modalidade desportiva vão poder fazê-lo, independentemente da sua condição social. Cerca de 40 coletividades do concelho celebraram esta sexta-feira, protocolos com a Câmara Municipal para a instituição da cota social desportiva.

    O objetivo é integrar crianças e jovens até aos 18 anos de idade, sem condições financeiras e socialmente vulneráveis, nas atividades desportivas promovidas pelas associações e coletividades do concelho, que promovem as mais diversas modalidades, do futebol, ao andebol, da dança ao atletismo, das artes marciais ao hóquei, e ainda modalidades desenvolvidas especificamente com as pessoas portadoras de deficiência. Pretende-se que a cota atinja os 10 por cento da totalidade de jovens a praticar desporto em cada clube.

    “Este programa tem a cara de Famalicão”, começou por realçar o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, mostrando-se muito satisfeito, com “a forte adesão das associações a esta iniciativa municipal”. “Há uma faixa da nossa comunidade juvenil que não pratica o desporto que gosta por razões económicas”, salientou o autarca. Com esta medida, “estamos a ultrapassar barreiras e a chegar a essa faixa. Queremos chegar a todos os jovens e queremos envolver todas as associações nesta iniciativa”, adiantou, referindo que “estamos só no início deste percurso”.

    Paulo Cunha lembrou ainda a importância do desporto na formação dos cidadãos. “Este projeto contribuiu muito para a inclusão social, para o combate ao abandono escolar e para a formação de cidadãos”, referiu.

    Da parte das coletividades, Rui Santos do Riba d’Ave Hóquei Clube elogiou a iniciativa da autarquia e frisou que “o protocolo assinado demonstra que o desporto deve estar ao serviço do povo e deve estar de uma forma plena”. O responsável assinalou ainda que “muitas vezes as questões financeiras são um entrave à formação desportiva e provocam exclusão social e neste âmbito o desporto significa inclusão social”. Também Gouveia Ferreira, presidente do Famalicense Atlético Clube salientou a importância da medida.

    A partir de agora, as famílias que queiram inscrever as crianças e jovens na prática de um desporto devem dirigir-se aos serviços da Ação Social, sitos na Rua Camilo Castelo Branco, nº. 94 - 1º. Andar, junto aos Paços do Concelho. Os serviços municipais irão depois fazer a avaliação da carência económica e encaminhar a família para uma coletividade que tenha aderido ao projeto.
    Receber Notícias
 
 
Subscrever RSS  
 
Enviar por email  
 
Imprimir  
2747 leituras
 
 
TOPO
 
   
  Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão © copyright 2017 | handmade by brainhouse