Pesquisar
 
 
 
 
Apoios
Alterar tamanho do texto
ENSINO SECUNDÁRIO EUROPEU

Mais de 50% dos estudantes do Ensino Secundário Europeu estão matriculados no Ensino Profissional, mas persistem diferenças consideráveis entre os vários países.
Recentes desenvolvimentos sócio-económicos como a globalização, a reestruturação das empresas, a inovação e a transição para uma economia baseada no conhecimento implicaram uma força de trabalho mais qualificada. Educação e Formação Profissional inicial são de capital importância para a preparação de novos profissionais e um meio importante para melhorar a competitividade.
Com base em dados de 2007, 51,5% (cerca de 11,4 milhões) de estudantes do Ensino Secundário Europeu estão matriculados em vias profissionalizantes.
Os dados revelam diferenças que persistem entre os países da União Europeia. A percentagem de estudantes do Ensino Secundário inscritos em vias profissionalizantes varia entre 77,3% e 13,0%.
As percentagens mais elevadas surgem na Áustria, República Checa e Eslováquia, onde a componente profissional conta para mais de 70% de todos os estudantes do Ensino Secundário.
As percentagens mais baixas surgem no Chipre, Hungria e Lituânia, todos com percentagem situada abaixo de 30%.
 
 
Estágios Profissionais

Os Estágios Profissionais estão disponíveis nos centros de emprego, para jovens que tenham até 35 anos de idade, possuidores do 12º ano ou de um curso superior, seja de que área de estudos for.
Os empresários e as empresas podem recorrer aos Estágios Profissionais, proporcionando aos jovens o primeiro contacto com o mundo do trabalho e podendo, por esta via, recrutar, no fim do estágio, trabalhadores altamente qualificados.
O estagiário tem direito ao pagamento de uma bolsa mensal. Esta bolsa tem o valor de 629 euros para os formandos possuidores do Ensino Secundário, e de 838 euros para os formandos que tenham um curso superior. O Estado comparticipa estas bolsas entre 20% e 60% do total, suportando também o subsídio de alimentação e o seguro contra acidentes pessoais.
O estágio profissional é realizado em entidades privadas, com ou sem fins lucrativos. De referir que, para as micro e pequenas empresas, o montante de comparticipação do Estado é de 55% do valor global da bolsa de formação.
Os formulários para as candidaturas aos estágios profissionais estão disponíveis na Internet, com acesso em
www.impulsojovemportugal.pt
 
 
Estágios Qualificação - Emprego

Foi criado um novo instrumento de acesso ao mercado de trabalho, a que foi dado o nome de "Estágio Qualificação - Emprego", destinado a integrar todos os activos com mais de 35 anos que melhoraram as suas qualificações académicas e profissionais, em novos postos de trabalho e em actividades mais exigentes ao nível de competências e qualificações.
O estágio "Qualificação - Emprego" destina-se, assim, a pessoa desempregada, com mais de 35 anos, à procura do primeiro ou de novo emprego, que concluiu, há menos de três anos, uma das seguintes ofertas de qualificação: ensino básico ou secundário, formação modular certificada com duração igual ou superior a duzentas e cinquenta horas, curso de especialização tecnológica ou curso de ensino superior.
Podem candidatar-se ao programa entidades privadas, singulares ou colectivas, com ou sem fim lucrativo, e autarquias locais.
Os formulários para as candidaturas aos estágios "Qualificação - Emprego" estão disponíveis "online", com acesso em
www.impulsojovemportugal.pt
 
 
 Impulso Jovem

A iniciativa tem quatro grandes objectivos: contribuir para a manutenção do emprego, apoiar os jovens no acesso ao emprego, apoiar o regresso ao emprego e alargar a protecção social dos trabalhadores.
Quanto ao primeiro objectivo, "manter o emprego", a iniciativa "Emprego 2009" aponta dois caminhos principais: a redução das contribuições para a Segurança Social e a qualificação de activos em períodos de redução da actividade nas empresas.
A redução das contribuições para a Segurança Social é uma medida para as micro e pequenas empresas (até 50 trabalhadores) que contratem trabalhadores com 45 ou mais anos. Esta redução das contribuições é de 3 pontos percentuais das contribuições a cargo do empregador e vigora desde 1 de Janeiro de 2009, sendo possível renová-la para o segundo semestre, desde que a empresa mantenha o nível de emprego.
Quanto à qualificação de activos em períodos de redução da actividade, é uma medida que se dirige a empresas competitivas e economicamente viáveis que estejam a enfrentar uma redução conjuntural da procura; destina-se a aproveitar os períodos de redução da actividade para melhorar as qualificações dos trabalhadores.
 
 
Gabinetes de Reinserção Profissional

O Concelho de Vila Nova de Famalicão foi contemplado com 7 Gabinetes de Inserção Profissional (GIPS), no âmbito do concurso realizado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional para a instalação destas estruturas.
A Associação Comercial e Industrial de Vila Nova de Famalicão (ACIF), a "Engenho" - Associação de Desenvolvimento Local do Vale do Este, a ACIP - Ave, Cooperativa de Intervenção Psico-Social, de Joane, a Casa do Povo de Ribeirão, a LIPAC - Liga de Profilaxia e Ajuda Comunitária, de Calendário, o Centro Social Paroquial de Vale S. Cosme e a Didáxis - Cooperativa de Ensino, de Riba de Ave, foram as entidades contempladas.
Os Gabinetes de Inserção Profissional vão desenvolver um conjunto de actividades que passam pela informação profissional para jovens e adultos desempregados, pelo acompanhamento personalizado dos desempregados em fase de inserção ou reinserção profissional, encaminhamento para ofertas de qualificação, divulgação de programas comunitários que promovam a mobilidade no emprego e na formação no espaço europeu, no apoio à procura activa de emprego, divulgação de ofertas de emprego e actividades de colocação e realização de sessões colectivas de esclarecimento.
 
 
TOPO
 
   
  Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão © copyright 2017 | handmade by brainhouse