Município de Famalicão: Notícias e Informações Úteis http://www.vilanovadefamalicao.org Últimas 10 notícias 15 asdad asdasd dasdad <![CDATA[Famalicão liga-se ao verão com exposições, cinema, música, romarias, artesanato e gastronomia]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_ligase_ao_verao_com_exposicoes_cinema_musica_romarias_artesanato_e_gastronomia </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96320&h=264f6" width="303px" height="202px" border="0"/></p> A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão publicou pela primeira vez a agenda de eventos do município no mês de Agosto. A decisão da autarquia tem a ver com a crescente dinâmica cultural e associativa que o município tem vindo a registar e que garante propostas variadas durante o mês de férias por excelência, tanto para os famalicenses como para aqueles que visitam o concelho.
“Famalicão não pára, nem em agosto, nem em mês nenhum” afirma a propósito o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, convidando as pessoas a consultarem a Agenda de Eventos do município e a usufruírem das propostas programadas.

E são muitas e suculentas as sugestões! A começar pelas exposições, há motivos mais do que fortes para visitar Famalicão demoradamente durante o mês de agosto. Atenção à Fundação Cupertino de Miranda onde podem ser apreciados trabalhos de Paula Rego, Graça Morais, Vieira da Silva, Ilda David e Isabel Meyrelles, entre outros nomes maiores da arte nacional. A exposição “O que Elas nos dão a ver” pode ser visitada de forma gratuita até ao dia 5 de setembro.

Igualmente gratuita é a visita à Ala da Frente onde Jorge Molder expõe “Un Dimanche…”. A nova galeria municipal de Vila Nova de Famalicão dedicada à arte contemporânea, situada no palacete Barão da Trovisqueira, mostra cinco fotografias inéditas de grande dimensão feitas com a bailarina Ivana Jozic num domingo, num teatro vazio em Antuérpia.

Já na Casa do Território, situada no incontornável Parque da Devesa, onde durante agosto há cinema ao ar livre às quartas e música intimista às sextas ao pôr do sol, há duas propostas expositivas que justificam a melhor atenção. A recém inaugurada exposição permanente “Tempo, Espaço e Ser”, que dá a conhecer a génese e a história do território famalicense de uma forma apelativa e interativa e onde podem ser vistos o documentário “Famalicão”, produzido por Manoel de Oliveira em 1940 e a Pedra Formosa o ex-libris da arqueologia famalicense. O território é também o tema da exposição temporária "Território: Casa Comum", desenvolvida por um grupo de investigadores do Centro de Estudos de Arquitetura e Urbanismo da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto, a mostra explora a evolução e dinâmica do território famalicense e convida o visitante a participar ativamente no processo de construção coletiva de imaginários em torno do território do Vale do Ave e, em particular, de Vila Nova de Famalicão.

Depois há as romarias e as festas por todo o concelho, os concertos de música nas praças da cidade aos sábados e o Festival de Fado a 14 e 15, na Praça D. Maria II. Sem esquecer os atrativos da gastronomia famalicense que é uma tentação o ano inteiro, mas muito particularmente em agosto onde há uma maior disponibilidade das pessoas para desfrutarem das coisas boas da vida.
A agenda de eventos é uma boa ferramenta para ajudar as pessoas a tirarem partido de tudo aquilo que Famalicão oferece. Pode ser adquirida gratuitamente nas valências municipais com atendimento público, pode ser consultada a partir do portal do município na internet em www.vilanovadefamalicão.org e pode inclusivamente ser requerido o seu envio gratuito pelo correio através de e-mail enviado para agendacultural@vilanovadefamalicao.org com indicação de nome e morada completa.
]]>
<![CDATA[Fim-de-semana Zen em Famalicão]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_fimdesemana_zen_em_famalicao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96141&h=cc263" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Yoga, meditação, relaxamento são algumas das atividades que vão decorrer este fim-de-semana, dias 1 e 2 de agosto, no Parque da Devesa, em Vila Nova de Famalicão, em mais uma edição do “Famalicão Zen”.
Depois do sucesso verificado no ano passado, o evento foi alargado a todo o fim-de-semana, com demonstrações gratuitas de terapias zen, como yoga, tribal dance, mediação com taças tibetanas, mantras e cristais, taiji, mandalas entre muitas outras. Haverá ainda um momento para os mais novos com bodhi mind kids, prática corporal integrativa, e um momento para experimentar sumos detox.

“Famalicão Zen” visa sensibilizar e divulgar as terapias complementares e alternativas para que as pessoas possam procurar as opções mais adequadas para reencontrar e manter o equilíbrio do corpo e da mente, crucial para a saúde e a qualidade de vida.

Promovida pela Câmara Municipal de Famalicão através do Gabinete de Saúde Pública e da Equipa Multidisciplinar do Parque da Devesa, a iniciativa conta ainda com a colaboração de duas entidades locais e terapeutas diversos. Haverá atividade e aulas de grupo, bem como terapias individuais.
A iniciativa vai decorrer junto ao Citeve, nos seguintes horários: no dia 1, das 14h00 às 23h00 e no dia 2, das 9h30 às 19h30. A entrada é livre.
]]>
<![CDATA[Música ao pôr-do-sol na Devesa]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_musica_ao_pordosol_na_devesa </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96191&h=f5222" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Arranca na próxima sexta-feira, dia 7 de agosto, em Vila Nova de Famalicão, a iniciativa “Devesa Sunset”. Todas as sextas-feiras, até ao final do mês, o pôr-do-sol na Devesa terá música a acompanhar.
Gil Candeias (Pop/ Rock) será o primeiro a atuar, depois do concerto de Sandy Kilpatrick (Folk) ter sido cancelado, devido às condições atmosféricas adversas. A iniciativa irá decorrer num ambiente que promete levar a cultura e o lazer ao encontro da natureza. Os concertos irão decorrer a partir das 19h00, junto ao lago. Segue-se no dia 14 Inês Kilpatrick (Soul), no dia 21 André Silvestre (piano) e no dia 28 Hugo Ciríaco and friends (Jazz).
]]>
<![CDATA[“Famalicão é uma cidade amiga da Juventude”]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_e_uma_cidade_amiga_da_juventude </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96092&h=822c2" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Entre 2014 e 2015, a Agência Nacional Erasmus + já aprovou mais de uma dezena de projetos apresentados por associações juvenis oriundas do concelho de Vila Nova de Famalicão. Este facto é por si só “a prova do dinamismo e empreendedorismo das associações juvenis famalicenses, mas também do apoio e incentivo que o município dá aos jovens”, como afirmou o diretor Regional do Norte do Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ), Manuel Barros, esta segunda-feira, durante a apresentação de mais um projeto juvenil de grande relevo, a Plataforma ADN, promovido pela associação PASEC. Para Manuel Barros, “pela constelação de infraestruturas que tem, pela dinâmica associativa que tem, pelas políticas de educação, juventude e desporto que a Câmara Municipal tem desenvolvido, sem duvida que Famalicão é uma cidade amiga da juventude.” E acrescentou: “A dinâmica é muito grande ao nível dos projetos que são aprovados a nível nacional e internacional”, assinalou.

De resto, Vila Nova de Famalicão assume-se mesmo como um dos municípios com mais projetos aprovados na área da juventude. De acordo com o diretor do Programa Erasmus + da União Europeia, Pedro Soares, “Famalicão tem muitos projetos aprovados, fruto das políticas que têm vindo a ser desenvolvidas, que criam boas condições para as associações, que têm bom conteúdo, boa qualidade, muito atualizadas em relação aquilo que são os objetivos da União Europeia definidos para o programa Erasmus +”.

O responsável desfiou ainda as associações juvenis a apresentarem as suas candidaturas diretamente aos programas centrais em Bruxelas “porque há mais dinheiro disponível para apoiar os jovens”.
Por sua vez, o vereador da Juventude famalicense, Mário Passos destacou que o objetivo principal destes programas juvenis é “capacitar os jovens para o mercado de trabalho”. E acrescentou: “É uma maneira de incorporar competências e isso para nós é essencial”.

Refira-se que a PASEC ADN é a área de intervenção da PASEC direcionada para a intervenções e projetos em contexto escolar, nomeadamente com jovens em especial risco de exclusão e abandono escolar. É um programa de promoção da Educação para a Cidadania, da Democracia Participativa e Protagonismo Juvenil, apoiado pelo Programa Erasmus + e neste momento é implementado também em Itália, Cabo Verde e Turquia.
]]>
<![CDATA[Famílias famalicenses poupam com o Banco de Livros Escolares]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_familias_famalicenses_poupam_com_o_banco_de_livros_escolares </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96076&h=d5032" width="304px" height="202px" border="0"/></p> “Quase duzentos euros”. Foi o valor que Bento Torres Lima conseguiu poupar, este ano, com o Banco de Livros Escolares de Vila Nova de Famalicão. Com um filho no 9.º ano de escolaridade, Bento Torres Lima conseguiu encontrar no Banco de Livros Escolares, todos os manuais de que necessitava. “Já tínhamos visto na internet os preços e rondavam os 200 euros”, refere. Desde há três anos, que este famalicense doa os manuais escolares que já não necessita, e procura aqueles que lhe fazem falta. “É já um hábito cá em casa, quando o ano letivo acaba, juntamos os livros usados e levámo-los ao Banco de Livros, se forem reutilizados é excelente, porque estamos a ajudar outras famílias e isso é ótimo”, salienta.

A cedência de manuais do Banco de Livros Escolares arrancou no passado sábado, dia 25 de julho, e no primeiro dia de funcionamento 43 famílias levaram 193 manuais escolares emprestados. A primeira fase decorre até ao próximo dia 10 de agosto e destina-se, especificamente, às famílias que cederam manuais ao banco de livros. A partir de 11 de agosto, todos os restantes interessados poderão dirigir-se à Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco e beneficiar, dos manuais escolares ainda disponíveis.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, o Banco de Livros Escolares é “uma aposta ganha da autarquia”. Pois trata-se de uma iniciativa que para além de “incentivar a solidariedade e a partilha social, promove a reutilização dos manuais escolares e o respeito pelo livro, diminuindo os custos de aquisição de livros e promovendo a educação ambiental. São só vantagens”, afirma.

Refira-se que este ano foram já angariados um total de 1200 manuais escolares, do 5.º ao 12.º ano de escolaridade, disponíveis para empréstimo e reutilização. A lista dos manuais escolares angariados para cedência encontra-se disponível para consulta, no site da Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco, no endereço http://www.bibliotecacamilocastelobranco.org/. A Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco é a entidade responsável pela constituição e gestão do banco de manuais escolares entregues pela população.

]]>
<![CDATA[Famalicão vai pôr toda a gente a “bulir” ]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_vai_por_toda_a_gente_a_bulir </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96086&h=30752" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Este fim-de-semana há um bom motivo para visitar Oliveira de Santa Maria, em Vila Nova de Famalicão. Está aí mais uma edição do “Bulir em Terras de Santa Maria”, que promete encher de artesãos, mercadores, dança, música e boa disposição a Alameda do Mosteiro. A iniciativa, promovida pela Câmara Municipal em parceria com a Junta de Freguesia, pretende ser uma montra do que de melhor se faz no concelho famalicense tanto ao nível da gastronomia como do artesanato.

Das várias atividades previstas o destaque vai mais uma vez para o Concurso de Licores Tradicionais Famalicenses, que nesta sua terceira edição conta com uma dezena de licores em prova. O concurso divide-se em três categorias - frutos, ervas aromáticas e leite. O júri será composto por vários especialistas na área sendo presidido pelo enólogo Nuno Grosso e os resultados serão conhecidos no domingo, 2 de agosto.

Este ano, a festa do associativismo associa-se também ao “Bulir em Terras de Santa Maria”, com a realização da mostra associativa de Oliveira de Santa Maria durante os três dias do evento.
O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, acredita que nesta sua terceira edição, o “Bulir” tem todas as condições para repetir, e quem sabe superar, os êxitos de anos anteriores.

“A realização das mostras associativas tem levado os famalicenses a percorrer o concelho e a conhecer as tradições, as histórias e as gentes que dão força e identidade a Vila Nova de Famalicão. Estamos a criar hábitos nas pessoas e acredito que esta nova realidade se vai refletir também na edição deste ano do Bulir”.


PROGRAMA


]]>
<![CDATA[Mais de 100 artesãos trabalham ao vivo na Feira de Artesanato e Gastronomia]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_mais_de_100_artesaos_trabalham_ao_vivo_na_feira_de_artesanato_e_gastronomia </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96046&h=54d26" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Foi um convite que levou Adozinda Loureiro a participar, pela primeira vez, há 32 anos, na Feira de Artesanato e Gastronomia de Vila Nova de Famalicão. Esta artesã de artes decorativas é a participante mais antiga no evento e uma das que mais cativa a atenção dos visitantes. “Tenho sempre muita gente à minha volta, a ver-me trabalhar, as pessoas gostam e têm curiosidade de ver o meu trabalho”. É a encaustica, uma técnica de pintura que se caracteriza pelo uso da cera, que mais atrai a atenção das pessoas. O trabalho ao vivo dos artesãos é, aliás, uma das principais caraterísticas da Feira de Artesanato e Gastronomia de Vila Nova de Famalicão, que este ano se realiza entre 28 de agosto e 6 de setembro.

“Este convívio entre os visitantes e os artesãos é muito saudável e interessante, as pessoas fazem perguntas, querem saber como se faz e isso é muito giro”, afirma Adozinda, que atualmente é professora aposentada. Organizado pela Câmara Municipal, o evento vai já na sua 32.ª edição, e irá ocupar o recinto da antiga feira semanal. Com a presença confirmada de mais de cem artesãos e cerca de uma dezena de restaurantes e tasquinhas, o certame oferece aos visitantes a oportunidade de assistir ao vivo ao trabalho dos artesãos, que vão elaborando as suas peças nas mais diversas artes, da cestaria à tamancaria, serralharia, barro, tecelagem, ourivesaria, marcenaria, entre muitas outras.

À beleza e originalidade do artesanato, a feira junta os verdadeiros e genuínos sabores da gastronomia nacional. Tudo isto, num ambiente marcadamente popular animado pela presença de grupos folclóricos, cantares ao desafio e muita música tradicional portuguesa.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “o artesanato e a gastronomia têm, em Vila Nova de Famalicão, raízes históricas e culturais muito fortes e de muitos séculos. Por isso, entendemos que a preservação e valorização deste património histórico, através desta Feira, representa uma aposta de futuro como um cartaz turístico-cultural de referência que singulariza e destaca as nossas tradições, projetando-as no país de uma forma absolutamente inigualável.”

Um dos pontos altos da Feira de Artesanato e Gastronomia será, a emissão em direto do programa da SIC, “Portugal em Festa” com João Baião, que acontece pelo segundo ano consecutivo. Será na tarde de domingo, 30 de agosto e promete atrair milhares de visitantes ao certame.Destaque ainda para os concertos de Quim Barreiros, na noite do dia 2, e dos Rosamate, no dia 5 de setembro. Em continuidade com aquilo que tem sido a tónica do evento nas últimas edições referência para a aposta na prata da casa, que se reflete na atuação de Maria do Sameiro, dos Ranchos Folclóricos do concelho, da Associação de Cantadores e Tocadores ao Desafio, da academia de dança, dos Pedra d’Água, entre outros.

Todos os eventos têm entrada livre. De resto, este ano, a Feira é de entrada gratuita durante todos os dias, o que vai permitir um acesso mais facilitado aos eventos.

“São dez dias de festa repletos de animação, boa cozinha e artesanato, em que esperamos receber vários milhares de turistas, que certamente aproveitarão a sua estadia em Vila Nova de Famalicão para conhecer melhor a nossa história, a nossa cultura, o nosso património”, afirma ainda a propósito Paulo Cunha.

Consulte aqui o programa de animação completo do evento.
]]>
<![CDATA[Famalicão e Viana de Angola querem intensificar laços económicos]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_e_viana_de_angola_querem_intensificar_lacos_economicos </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96021&h=a90a8" width="307px" height="202px" border="0"/></p> A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e o município de Viana, nos arredores de Luanda, considerado como o mais industrializado de Angola, vão avançar com uma geminação para intensificar as relações económicas e empresariais entre ambos. A novidade foi avançada pelo autarca famalicense, Paulo Cunha, durante a visita de trabalho que efetuou no inicio desta semana a Luanda, no âmbito da FILDA – Feira Internacional de Luanda.

"Cheguei à conclusão que há bastantes afinidades, já há inclusive empresas famalicenses sediadas em Viana e estou certo que outras se podem sedear, desde que nós possamos aproximar os dois municípios", explicou Paulo Cunha, que na segunda-feira visitou aquele município de Luanda.

O autarca falava à margem do Luanda Investment Forum, um evento promovido pela associação empresarial de Luanda, e que teve como objetivo captar investimentos para os vários municípios daquela metrópole de 6,5 milhões de habitantes, nomeadamente do norte de Portugal.

O administrador municipal de Viana (Angola ainda não realizou eleições autárquicas), Manuel Mateus Caterça, confirmou o interesse neste protocolo, mas defendeu este que tipo de geminação devia servir para apoiar, reciprocamente, em processos burocráticos, de vistos em passaporte ou para ajudar a regularizar a instalação de empresas em cada um dos municípios.

"Podíamos pegar nesses acordos para facilitar a vida a esses cidadãos", apontou Manuel Mateus Caterça, ao intervir no fórum, sobre o interesse empresarial nas geminações dos munícios angolanos.
Já o autarca português acrescentou que o objetivo passa por utilizar a futura geminação, juntamente com os aspetos culturais e históricos, para "ajudar empresas e empresários" de Famalicão e de Viana a "consolidar projetos", mas também analisando "ganhos duplos" nesta relação ao nível das exportações entre os dois países.

Por exemplo, apontou, tendo em conta a produção de algodão em Angola e as necessidades de importação desta matéria-prima por parte das empresas que integram o "'cluster' têxtil" de Famalicão.
"Há que perceber o que podemos trazer para Portugal e o que podemos levar para Angola", enfatizou o autarca de Famalicão.

"Mas vamos a partir deste momento começar a desenhar aquilo que será o conteúdo do protocolo de geminação. Sei que em dezembro se assinalam 50 anos da criação do município de Viana, podia ser uma ocasião simbólica e emblemática para a outorga do protocolo", concluiu.
]]>
<![CDATA[Famalicão Made In em destaque na Feira Internacional de Luanda, em Angola]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_made_in_em_destaque_na_feira_internacional_de_luanda_em_angola </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96014&h=e69ba" width="312px" height="187px" border="0"/></p> A iniciativa Famalicão Made In, promovida pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, e a InvestPorto, da Câmara Municipal do Porto, estiveram em destaque na 32.º Feira Internacional de Luanda, Angola (Filda), que está a decorrer até domingo. Esta é maior feira intersectorial de Angola, contando com a presença de cerca de 800 expositores de 40 países. Os municípios portugueses participaram no evento a convite da Associação Empresarial de Luanda. O presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, apresentou a iniciativa Famalicão Made In, perante empresários e vários responsáveis angolanos, durante o "Luanda Investement Fórum" que integrou a FILDA. Paulo Cunha destacou a capacidade exportadora do concelho, como terceiro município mais exportador de Portugal, com uma fileira industrial muito forte nos setores agroalimentar, têxtil e metalomecânica.

Para Paulo Cunha, a participação neste evento, revelou-se de grande importância, pois “para além de darmos a conhecer as potencialidades económicas do concelho, houve um encontro com os empresários famalicenses em Luanda e tivemos ocasião de visitar duas empresas famalicenses a Certave, ligada à Caixiave, e a Valinho que é uma empresa ligada ao grupo Primor. Foi uma oportunidade excelente para conhecermos a realidade angolana e para percebemos as circunstâncias que envolvem os empresários famalicenses.” Além disso, de acordo com o autarca, “a visita a Angola proporcionou ainda encontros importantes com governantes, como ministro da Agricultura, o governador da Província de Luanda, Administradores Municipais, entre outros”.

Outro dos assuntos que estiveram em cima da mesa foi a aproximação com o município de Viana, que, segundo Paulo Cunha “é um município com grande implantação industrial, onde vivem mais de dois milhões de pessoas e onde existe um polo industrial fortíssimo”. E acrescenta: “o objetivo é que no futuro próximo possamos desenvolver um acordo de geminação que aproxime os municípios, para dessa forma ajudarmos as nossas empresas que estão em Angola, e quem sabe possamos apoiar outras para que lá possam sediar os seus projetos”.

O autarca famalicense esteve ainda presente no "Luanda Investement Fórum" que decorreu em paralelo com a Feira Internacional de Luanda. Durante o evento foram abordados temas como "Investir na província de Luanda", "Oportunidades de negócios e investimentos com Porto, Vila Nova de Famalicão e Cabo Verde" e "Bolsa de contactos e negócios com empresas do Porto e Vila Nova de Famalicão", além da mesa redonda "Geminações, desenvolvimento e parcerias empresariais".
]]>
<![CDATA[Verão é na Devesa]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_verao_e_na_devesa </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=95997&h=cd99e" width="304px" height="202px" border="0"/></p> São duas mãos cheias de atividades a decorrer até ao início do mês de setembro, no Parque da Devesa em Vila Nova de Famalicão, destinadas a crianças a partir dos 3 anos, que podem chegar em grupo, mas também individualmente. Todas as atividades são gratuitas e estão sujeitas a marcação prévia. É assim o Verão na Devesa, um programa de férias promovido pela Câmara Municipal para ocupar os tempos livres dos mais novos, de uma forma divertida, saudável e educativa.

“No total, são dez atividades pedagógicas e de caráter ambiental e cultural que irão alegrar as férias dos mais novos, mas também das suas famílias”, refere o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha que considera o programa uma mais-valia para as famílias e instituições. “Muitas vezes os centros de atividades de tempos livres e mesmo as famílias não sabem como ocupar o tempo das crianças de uma forma saudável durante as férias de verão, com este programa não faltarão ideias”, acrescenta o autarca.

Por entre as várias propostas destaque para a oficina de caixas para aves com “Encontros Arte e Natureza”, promovida em parceria com a Fundação Cupertino de Miranda. Na Devesa, os participantes terão a oportunidade de conhecer e construir em madeira diferentes ninhos artificiais para os chapins, estorninhos, trepadeiras, piscos ou tordos. Na Fundação Cupertino de Miranda vão dar cor aos ninhos através de várias técnicas utilizadas por artistas representados nas coleções do Museu. “As Fábulas do Tio Quim” é outra das atividades promovidas. Através das Fábulas do Tio Quim, descobre-se a fauna e a flora da Devesa, em histórias onde os animais e as plantas falam. Referência ainda para o desafio “A minha horta é uma lagarta!” em que se aprende a importância dos animais na horta e o seu contributo para a saúde do solo, num jogo muito divertido. Semear, plantar, regar e colher é outra das propostas com a iniciativa “Hortelão por um dia”.

Mas há muito mais. Nestas atividades todos os sentidos são colocados à prova, desde o olfato, a visão, a audição, o paladar mas, principalmente o tato, o mexer na terra e sentir a natureza.

Consulte aqui o programa completo
]]>