Município de Famalicão: Notícias e Informações Úteis http://www.vilanovadefamalicao.org Últimas 10 notícias 15 asdad asdasd dasdad <![CDATA[Famalicão vai poupar 355 mil euros por ano com a instalação da iluminação pública Led]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_vai_poupar_355_mil_euros_por_ano_com_a_instalacao_da_iluminacao_publica_led </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=107981&h=ef9c3" width="135px" height="202px" border="0"/></p> A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai alcançar uma poupança anual de cerca de 355 mil euros na eletricidade, com a substituição de cerca de cinco mil luminárias equipadas com lâmpadas convencionais por luminárias do tipo Led, na iluminação pública do concelho. A abertura do concurso público para a realização da 1.ª fase da empreitada foi aprovada durante a última reunião do executivo municipal.
Com um investimento base de cerca de 950 mil euros, a Câmara Municipal de Famalicão vai substituir, para já, cerca de 5 mil luminárias em todo o concelho, abrangendo inicialmente a zona urbana, as estradas nacionais e a VIM e ainda várias estradas e caminhos municipais.
A poupança permitirá uma amortização do investimento em três anos.
Para além da redução financeira, a medida permitirá uma taxa de poupança nos consumos energéticos na ordem dos 67 por cento e uma redução efetiva da percentagem de emissão de dióxido de carbono para a atmosfera.
Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “a melhoria da eficiência energética é o objetivo do Plano Nacional de Ação para a Eficiência Energética reduzindo uma ameaça preocupante para o país e para os municípios do ponto de vista económico, social e ambiental”.
De resto, segundo o autarca “o valor economizado é significativo”, mas igualmente importante é a “poupança ambiental, já que estamos empenhados em tornar Vila Nova de Famalicão num concelho cada vez mais amigo do ambiente e eficiente do ponto de vista energético”.
Refira-se que ainda recentemente a autarquia terminou a instalação de lâmpadas do tipo LED em mais de uma dezena de parques e praças do concelho. A medida implicou um investimento na ordem dos 67 mil euros e permitirá uma poupança anual de 25 mil euros para os cofres municipais.
]]>
<![CDATA[Mais de mil alunos celebraram o Dia Internacional das Cidades Educadoras]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_mais_de_mil_alunos_de_famalicao_celebraram_o_dia_internacional_das_cidades_educadoras </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=107989&h=883a7" width="302px" height="202px" border="0"/></p> Mais de um milhar de crianças e jovens do concelho de Vila Nova de Famalicão participaram nesta quarta-feira, 30 de novembro, nas comemorações do Dia Internacional das Cidades Educadoras que foi assinalado pela primeira vez pela Associação Internacional das Cidades Educadoras (AICE).

A educação atravessou os muros da escola e estendeu-se por toda a cidade, invadindo as ruas, os espaços públicos e instituições.

Vila Nova de Famalicão, como Cidade Educadora e membro da Associação Internacional das Cidades Educadoras, juntou-se à iniciativa lançando o repto à comunidade educativa para que explorasse e abordasse, de uma forma lúdica, o conceito de Cidade Educadora e os princípios subjacentes nos diversos contextos da escola.

Várias foram as escolas que aderiram à iniciativa, com a organização de atividades diversificadas, desde pintura de murais, peças de teatro, workshops, pintura de uma parede da paragem do autocarro junto a uma escola e leitura pública do manifesto pelo vereador da Educação, Conhecimento e Empreendedorismo, Leonel Rocha. A esta iniciativa juntaram-se escolas dos Agrupamentos de Escolas de Ribeirão e Camilo Castelo Branco.

Para além disto, foram preparadas algumas atividades na Praça e Alameda D. Maria II e junto às escolas Camilo Castelo Branco e D. Sancho I, nomeadamente a realização de uma exposição em movimento sobre os princípios das cidades educadoras, em que os alunos entregavam às pessoas que passavam na rua pequenos prospetos e explicavam o conceito de cidade educadora, previamente trabalhado nas respetivas aulas. Decorreu também uma exposição de Estátuas Vivas, retratando os diversos contextos e vivências de uma cidade. Estas atividades estiveram a cargo da ACE – Escola de Artes de Famalicão.

Ao mesmo tempo, junto às Escolas Camilo Castelo Branco e D. Sancho I, realizou-se também uma peça de teatro de rua intitulada “À procura de uma escola para o Ismael”, interpretada pela Companhia de Teatro ADN da PASEC.
]]>
<![CDATA[Em Famalicão há um novo hostel que desafia os hóspedes a apaixonarem-se pela cidade]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_em_famalicao_ha_um_novo_hostel_que_desafia_os_hospedes_a_apaixonaremse_pela_cidade </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=107924&h=26541" width="302px" height="202px" border="0"/></p> Fall in love for Famalicão (apaixone-se por Famalicão). Quem entra no novo hostel de Vila Nova de Famalicão não poderia encontrar mensagem mais apelativa para a cidade.

Num prédio no número 30 da Avenida Engenheiro Pinheiro Braga, junto à Rotunda de Santo António, às portas da cidade, abriu há uma semana o Hi!Go Hostel & Suites. Este novo espaço de alojamento local é provavelmente um dos nascimentos mais rápidos da história da hotelaria: Catarina Silva, Tiago Pimenta, Sílvia Souto e Andreia Montenegro precisaram de apenas três meses para receber os primeiros hóspedes.

O Hi!Go tem quatro quartos e um dormitório com cinco camas. Todos os quartos têm casa de banho privativa. Também há uma cozinha partilhada e uma sala de estar com televisão.

Os quatro amigos são os mesmos que em fevereiro deste ano abriram o Villa Prime Hotel, no centro da cidade, cuja capacidade de resposta já não corresponde a tanta procura. Voltaram agora a juntar-se com o objetivo de abrir um hostel, numa decisão que envolveu “muito pensamento lógico, análise de hipóteses, sensatez e pesquisa”, revela Catarina Silva.

Que qualificativos se podem atribuir ao Hi!Go? “Central, relaxante e descontraído”, aponta, acrescentando que o novo espaço de alojamento “foi totalmente renovado para receber com conforto e higiene todos os que o visitam”.

O preço das camas nos dormitórios é de 20 euros. No caso dos quartos os preços vão desde os 42 euros até aos 47 euros.

O Presidente da Câmara Municipal visitou ontem o hostel, considerando-o “uma solução muito bem-vinda para o concelho”. Realçou “a qualidade do projeto como uma mais-valia para a região”.

Paulo Cunha lembrou ainda que o aparecimento, nos últimos anos, de novas unidades hoteleiras em Famalicão é um sinal da crescente afirmação do concelho no plano regional e nacional, sobretudo nos domínios económico e cultural.
]]>
<![CDATA[Famalicão atrai primeiro grande investimento do Norte em helicicultura]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_atrai_primeiro_grande_investimento_do_norte_em_helicicultura </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=107836&h=77f51" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Vila Nova de Famalicão tem a primeira cooperativa de produtores de caracóis do Norte de Portugal, reflexo da cooperação institucional que a Câmara Municipal cultiva junto de quem quer abraçar iniciativas empresariais e investir no concelho.

A Widehelix, inaugurada pelo Presidente da Câmara, Paulo Cunha, e pelo Diretor Regional de Agricultura e Pescas, Manuel Sousa Cardoso, na sexta-feira, 25 de novembro, reúne já catorze produtores helicículas da região e quer abrir caminho para o desenvolvimento desta área de negócio do sector primário no concelho, num momento em que está a despontar no Norte do país. “Fico muito satisfeito por estarmos perante a concretização das intenções que estão na base deste projeto. É mais um bom resultado do Famalicão Made IN, que faz bem o interface entre os investidores e um concelho que tem potencial de investimento”, nota o autarca.

A cooperativa de helicicultores tem em Miguel Oliveira o seu principal impulsionador. Natural do Porto, 45 anos, e a residir atualmente na Trofa, Miguel Oliveira era diretor de departamento num laboratório farmacêutico. O gosto pela agricultura fê-lo pensar em novos desafios profissionais. Até que, há cinco anos, enveredou numa aventura pela helicicultura. Que é como quem diz, criar caracóis para fins comerciais.

Começou de raiz, numa exploração própria, ciente de que o caminho tinha que ser outro e mais arrojado, decidindo então convidar outros produtores para a criação de um projeto para dar escala ao negócio e enfrentar principalmente o mercado externo.

Pouco tempo depois, da vontade e união de sinergias de catorze helicicultores da região, nasce a ideia da criação de uma cooperativa de helicicultores. A Widehelix é única no Norte de Portugal, com objetivos muito bem definidos: valorizar o sector da helicicultura, garantir mais qualidade ao produto e impulsionar a produção e o volume de vendas.

Nenhum destes catorze helicicultores é de Vila Nova de Famalicão. Então, por que motivo a cooperativa veio para este concelho – em concreto, para as instalações da Frutivinhos, em Ribeirão, onde tem a sua plataforma logística? “Porque foi em Vila Nova de Famalicão que encontrei resposta para a ambição que este projeto empresarial incorpora, tendo sido acompanhado desde a primeira hora pela Câmara Municipal”, explica Miguel Oliveira.

A Widehelix controla todo o processo do negócio, desde a produção e transformação à comercialização, e ainda dá formações e consultadoria. “Criamos os caracóis bebés (alevins), que vão para estufas, parrais ou parques ao ar livre para engorda, e depois apanhamo-los. Cerca de 95% vendemos para o exterior e os restantes usamos e vendemos como reprodutores”, esclarece Miguel Oliveira.

Nestes primeiros três meses a cooperativa já comercializou 12 toneladas de caracóis (ultracongelados, cozidos e frescos), que tiveram como destino Itália, França e Espanha. Impulsionar as vendas para o exterior é principal meta para 2017, com previsões de vendas na ordem das 120 toneladas, a que se junta o aumento do número de associados.

Miguel Oliveira tem na manga alguns subprodutos, como paté e caviar de caracol, que pretende começar a comercializar no próximo ano. A cooperativa desenhou a sua fórmula de farinha para a engorda dos caracóis e também a vende.

E porque a imaginação não tem limites para esta iguaria, que se adora ou odeia, a Widehelix promove já nos próximos dias 10 e 11 de dezembro, nas suas instalações, um festival do caracol (assado e cozinhado). ]]>
<![CDATA[Nova Igreja de São Tiago de Antas abre os braços à comunidade]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_nova_igreja_de_sao_tiago_de_antas_abre_os_bracos_a_comunidade </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=107846&h=916ad" width="302px" height="202px" border="0"/></p> “Uma Igreja Nova para abraçar todos aqueles que a procuram.” Foi desta forma que o Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, se referiu ao novo templo de Santiago de Antas, inaugurado ontem, domingo, 28 de novembro, na presença de muitas centenas de fieis e das entidades religiosas e civis de Vila Nova de Famalicão, entre as quais de encontrava o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

Construída paredes meias com a Igreja Românica que desde o século XIII serve de local de culto da freguesia, a nova igreja, desenhada pelo arquiteto famalicense Hugo Correia, distingue-se pelo arrojo e pela modernidade, sobressaindo na paisagem famalicense. “Permite-nos ver a cidade. A Igreja tem de ver a cidade, o lugar onde vivem os homens, com os seus problemas e alegrias, com os seus dramas e as suas lágrimas”, referiu D. Jorge Ortiga. E acrescentou: “A ideia que o arquitecto quis dar a esta igreja vai ser permanentemente acolhida. A ideia de que é preciso acolher toda a gente. A Igreja é a senhora dos braços abertos. Esta é a Igreja que queremos nos tempos modernos”.

Pela nova centralidade criada pela construção do novo templo e pela requalificação urbanística da envolvente, Paulo Cunha fala “no início de uma nova realidade nesta região e na freguesia de Antas. Do ponto de vista arquitectónico é o fechar de um enquadramento, formado pela escola, pela igreja românica secular e pelos arranjos exteriores. É uma nova área ao serviço da comunidade que se abre à cidade e aos católicos, num contexto de proximidade”

Recorde-se que a nova igreja de Antas tem capacidade para 500 lugares sentados. O edifício integra também um Centro Pastoral constituído por um salão polivalente e sete salas para catequese. A construção da nova igreja implicou um investimento de 3,2 milhões de euros, para o qual se mobilizou a comunidade local. A Câmara Municipal para além da cedência do terreno, atribuiu vários apoios no valor total de 230 mil euros, que comparticiparam o projeto e obra. As obras de reabilitação urbana da zona envolvente, com projeto de Hugo Correia e Jorge Maia, implicaram um investimento municipal de 600 mil euros.
]]>
<![CDATA[Meia Maratona de Famalicão confirma credenciais]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_meia_maratona_de_famalicao_confirma_credenciais </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=107859&h=a9203" width="302px" height="202px" border="0"/></p> A manhã de domingo dos famalicenses foi desportiva. A correr ou a caminhar, foram quase 4 mil os que enfrentaram o frio para participar na Meia e Mini Maratona de Famalicão.

A 3.ª edição da prova, organizada pela Runporto em parceria com a autarquia e a Associação de Atletismo de Braga, veio confirmar Vila Nova de Famalicão como uma cidade do desporto, em particular no que diz respeito à prática do atletismo.

Nuno Lopes, do Centro de Atletismo de Seia, foi o primeiro atleta a cortar a meta com 01:05:58, confirmando a sua ascensão como atleta de destaque nacional, seguindo-se Hélder Santos e Rui Teixeira, ambos do Sporting CP, a terminarem a prova com 01:07:42 e 01:08:06, respetivamente.

No setor feminino, Cláudia Pereira, do GFD Running, foi a grande vencedora com 01:15:38, seguindo-se Filomena Costa, da ACD Jardim da Serra, com 01:17:45 e Daniela Cunha, do Sporting CP, com 01:20:27 a fechar o pódio.

A encabeçar os milhares de participantes estava o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, que voltou a percorrer os 21 quilómetros da prova.

A Meia e Mini Maratona de Famalicão assume-se como um importante fator de captação de turismo desportivo para a cidade, quer a nível nacional, quer a nível de participantes estrangeiros. Prova disso é a presença de seis nacionalidades na corrida: Portugal, Espanha, Polónia, Brasil, Reino Unido e França.

As classificações finais da 3.ª Meia Maratona de Famalicão podem ser consultadas no portal da Runporto.

Já as imagens da prova encontram-se disponíveis na página de Facebook do Município.
]]>
<![CDATA[A magia do Natal chega à Casa das Artes]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_a_magia_do_natal_chega_a_casa_das_artes </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=107888&h=d8bb4" width="303px" height="202px" border="0"/></p> O Natal é uma época especial. E que o digam as crianças, que vivem intensamente a quadra natalícia. A pensar nelas, a Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão reservou para o próximo mês de dezembro dois grandes espetáculos repletos de fantasia para toda a família: o bailado “A Bela Adormecida” e “Pinóquio: Um Musical para Sonhar”.

O primeiro é já no dia 9, sexta-feira. Uma deslumbrante obra-prima do bailado clássico, interpretado pela prestigiada companhia do Russian Classical Ballet, de Moscovo. Baseado no conto de Charles Perrault, “A Bela Adormecida” é considerado um dos bailados que maior interesse desperta no grande público. Uma produção clássica com uma cenografia de uma beleza e um realismo incríveis, figurinos manufaturados com detalhes sumptuosos e um elenco de solistas e corpo de baile irrepreensíveis liderados por dois grandes nomes da dança internacional – Evgeniya Bespalova e Denis Karakashev.

O espetáculo sobe ao palco do grande auditório pelas 21h30. O bilhete tem o custo de 18 euros, reduzindo para metade para estudantes e portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

Já nos dias 15 e 16, quinta e sexta-feira, é a vez do musical “Pinóquio: Um Musical para Sonhar” subir ao grande auditório. Uma aventura musical, sobre a mais conhecida marioneta de madeira do mundo, com todos os ingredientes para assegurar um serão em família bem divertido. Produzido pela Plateia de Emoções, o espetáculo conta com a participação de 6 atores que se desdobram em várias personagens utilizando mais de 25 figurinos.

O espetáculo vai estar em cena na quinta-feira, às 10h30 e 14h30, e na sexta, pelas 14h30 e 21h30. O bilhete tem o custo de 4 euros, reduzindo para metade para estudantes e portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

Ainda a pensar nos mais pequenos, a Casa das Artes de Famalicão reservou para dezembro uma sessão de cinema infantil, com a nova princesa da Disney – Vaiana. A exibição do filme está marcada para o dia 17, às 15h00, 18h00 e 21h30.

Mais informações no site oficial da Casa das Artes de Famalicão.
]]>
<![CDATA[Família do futebol português cresce com Famalicão]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_familia_do_futebol_portugues_cresce_com_famalicao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=107732&h=ddaaa" width="302px" height="202px" border="0"/></p> Os cerca de 1100 futebolistas famalicenses que competem na Liga de Futsal de Famalicão e no Campeonato Concelhio de Futebol de Cinco já fazem parte da família do futebol português.

É isso que determina o protocolo de cooperação assinado esta quinta-feira, 24 de novembro, entre a Câmara Municipal de Famalicão, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), a Associação de Futebol de Braga (AFB), a Liga de Futebol de Famalicão (LFF) e a Associação de Futebol de Salão Amador de Famalicão (AFSA), que vem assegurar mais condições de segurança e saúde aos participantes das provas organizadas por estas duas últimas entidades concelhias, uma vez que a prática da modalidade, ainda que de forma amadora, vai passar a ser balizada pelos critérios da Federação, que incluem a obrigatoriedade de seguro desportivo e exame médico.

Na cerimónia de ontem à tarde, a FPF fez-se representar ao mais alto nível, com a presença do seu presidente, Fernando Gomes, que considera este tipo de acordos “estruturantes para o futuro e crescimento do futebol português, já que vêm alargar de forma significativa o número de praticantes oficiais, dando maior escala à modalidade em todo o país”.

O responsável máximo da Federação apontou ainda a autarquia famalicense como um exemplo no que toca ao apoio à formação e ao desenvolvimento desportivo.

Na opinião do Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, este novo acordo “vem dar um apoio enorme às associações do concelho que diariamente se mobilizam para cativar cada vez mais praticantes”.

O edil famalicense, considera ainda que o protocolo assinado vem reforçar o esforço que a Câmara Municipal tem feito no sentido de dar cada vez mais condições aos atletas do concelho.
Presentes na cerimónia desta quinta-feira estiveram ainda os presidentes da Associação de Futebol de Braga, Manuel Machado, da Liga de Futebol de Famalicão, Manuel António Paiva, e da Associação de Futebol de Salão Amador de Famalicão, José Luís Sampaio.

Recorde-se que este protocolo resulta do disposto no DL 45/2015 de 9 de Abril, que define os direitos exclusivos das federações com utilidade pública desportiva, através da emissão de parecer prévio (homologação) por parte das federações (neste caso, a FPF), relativamente às suas atividades desportivas.
]]>
<![CDATA[Encontros de Outono chamam cada vez mais jovens estudantes ao conhecimento da história]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_encontros_de_outono_chamam_cada_vez_mais_jovens_estudantes_ao_conhecimento_da_historia </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=107741&h=4e228" width="302px" height="202px" border="0"/></p> Mais de uma centena de alunos do ensino secundário e universitário vão participar ao longo do dia de hoje, na Casa das Artes, nos vários debates dos Encontros de Outono, uma iniciativa promovida pelo Museu Bernardino Machado, de Vila Nova de Famalicão, dedicada ao tema de “A censura em Portugal (1910-1974)”. Para o segundo dia de debates, que se realiza este sábado, esperam-se mais jovens alunos, curiosos e ávidos do conhecimento, mas também professores, e muita gente interessada em saber mais sobre a história. A iniciativa que já vai na sua XX edição é uma oportunidade única de assistir a várias aulas de história livres, com debate e partilha de ideias, orientadas por prestigiados investigadores e historiadores nacionais.

Talvez por isso, as conferências dos Encontros de Outono têm conquistando ao longo dos anos um lugar de destaque como espaço de conhecimento e debate sobre temáticas históricas, culturais, sociais e políticas de interesse global.

Na abertura do evento, o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, mostrou-se muito satisfeito com a afluência de jovens a esta iniciativa e tendo em conta o tema da censura, o autarca afirmou que “é muito importante que as novas gerações tenham um conhecimento da nossa história e percebam o que foi a censura para que saibam defender os valores da liberdade e da justiça”. O autarca salientou ainda que “a democracia precisa de continuar a ser regada e o contributo dos jovens é essencial”.

Paulo Cunha elogiou ainda “a longevidade do evento que é um sinal claro da qualidade da iniciativa que já ganhou um lugar de destaque no espaço mediático e académico”. De resto, para o autarca “o Museu Bernardino Machado tem dado um contributo enorme para a afirmação do concelho de Famalicão, como um concelho que promove o conhecimento da história”.

Depois de se afirmar no país como um centro de investigação incontornável da história da I República Portuguesa, o Museu Bernardino Machado dedicou o ano de 2016 ao estudo e debate da censura em Portugal.

Para o coordenador cientifico do Museu Bernardino Machado Norberto Cunha “a censura esteve sempre, desde a época de Aristóteles, no centro da chamada república virtuosa e os próprios censores romanos tinham por finalidade não só recensear a população, mas cuidarem dos costumes e da moral pública”, portanto para o responsável “a censura tinha um caráter virtuoso até ao século XIX, pois só aí se começa a contrapor a ideia de censura à liberdade e se coloca a liberdade no centro das virtudes públicas, individuais e coletivas”.

Neste âmbito, Norberto Cunha considera “interessante fazer esta viagem ao passado recente da I República até ao Estado Novo para não só pensarmos esta problemática num plano histórico mas depois daí retirarmos reflexões sobre o nosso quotidiano”.

José Manuel Tengarrinha, da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa abriu o painel de debates com o tema “A censura na I República (1910-1926). Ao longo dos dois dias a censura servirá de debate às onze intervenções, estudando-se a abordando-se ainda o impacto nos governos republicanos, durante a I Guerra Mundial, durante a Ditadura Militar e o Estado Novo, a censura na literatura e espetáculos para menores, no teatro e no cinema.

]]>
<![CDATA[Famalicão é “Autarquia mais Familiarmente Responsável” pela quinta vez]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_e_autarquia_mais_familiarmente_responsavel_pela_quinta_vez </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=107759&h=3a653" width="302px" height="202px" border="0"/></p> Não há duas sem três… ou quatro, ou até cinco! O Município de Vila Nova de Famalicão foi pela quinta vez premiado pelo Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis como um município amigo das famílias. A notícia da atribuição do galardão referente ao ano de 2016 à autarquia famalicense foi ontem transmitido pela organização ao Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, que não esconde “o enorme orgulho” pelo reconhecimento do investimento da autarquia na qualidade de vida dos seus munícipes e pelas medidas particularmente dirigidas para os agregados familiares, com apoios transversais a vários domínios, desde a educação ao desporto, passando pela ação social, ambiente e cultura.

Esta é a quarta vez consecutiva que Vila Nova de Famalicão é reconhecido pela Associação Portuguesa de Famílias Numerosas pelas políticas municipais amigas das famílias e por isso o município vai voltar a receber a “Bandeira com Palma”, símbolo maior da organização, que distingue não só a prática referente ao ano de atribuição do prémio, mas igualmente a permanência ao longos dos anos de políticas amigas das famílias. O outro galardão conquistado é referente ao ano de 2009.

O reconhecimento de Famalicão pela excelência das políticas sociais e de apoio às famílias, é justificado pelas medidas implementadas pelo município em várias áreas. Na área da educação, sobressai a existência de um terceiro escalão social de apoio às famílias com crianças no pré-escolar e 1.º Ciclo de Ensino Básico (que acresce aos dois escalões nacionais), a oferta dos manuais escolares gratuitos para os mesmos níveis de ensino - Famalicão foi mesmo o primeiro do município a introduzir esta medida que aplica desde 2001 -, o Banco de Livros Escolares, os transportes gratuitos, o apoio à aquisição de material didático por parte das famílias mais carenciadas e as bolsas de estudo aos estudantes universitários do concelho.

Na área social destaca-se o Programa Municipal “Casa Feliz” que ajuda as famílias mais carenciadas do concelho a realizarem obras de renovação das suas habitações e que apoia as famílias que mais precisam no pagamento das rendas, assim como os descontos e isenções nas tarifas de água e saneamento para as famílias numerosas e para as mais necessitadas.

Em matéria fiscal, é uma reconhecida mais-valia para as famílias a estabilidade fiscal do município ao longo dos anos, a fixação da taxa do IMI próxima do mínimo legal (0,35%) e a existência de um IMI familiar, que atribui um desconto no pagamento do imposto de 40 euros para as famílias com dois filhos e de 70 euros para as famílias com três ou mais dependentes.O acesso das famílias à fruição cultural e à prática desportiva tem também merecido uma atenção especial da autarquia que tem instituído o Cartão Jovem Municipal, o Cartão Sénior Feliz e o Cartão do Voluntário com descontos significativos em diversas atividades e no acesso aos transportes públicos no concelho, para além de outros benefícios.

O Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis é uma iniciativa da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas, em parceira com Instituto da Segurança Social, tendo como principais objetivos acompanhar, galardoar e divulgar as melhores práticas das autarquias portuguesas em matéria de responsabilidade familiar.

O galardão será entregue no próximo dia 7 de dezembro, pelas 17h00, no auditório da no Auditório da Fundação CEFA em Coimbra sede da Associação Nacional de Municípios, em Coimbra.
]]>