Município de Famalicão: Notícias e Informações Úteis http://www.vilanovadefamalicao.org Últimas 10 notícias 15 asdad asdasd dasdad <![CDATA[Famalicão atreve-se a remexer na História]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_atrevese_a_remexer_na_historia </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=90546&h=91b78" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Com o atrevimento, pouco usual, de abordar com rigor as páginas e os momentos que compõem o nosso passado coletivo. Foi assim que esta sexta-feira, 28 de novembro, arrancou na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão mais uma edição dos Encontros de Outono, cuja abertura esteve esta manhã a cargo do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

“Uma iniciativa louvável”, que na opinião do autarca famalicense, “tem conseguido, com elevação e eloquência, dar um contributo relevante no contexto nacional”.

Na cerimónia desta manhã Paulo Cunha explicou que o objetivo não é o de reescrever a história, mas sim o de “dar um contributo considerado ousado para muitos, mas que, mesmo assim, Famalicão se atreve a dar para que a história dos diversos momentos da nossa portugalidade se possa escrever com a cientificidade e rigor exigidos”.

“Colonialismo, Guerra Colonial e Descolonização – dos fins do século XIX ao último quartel do século XX” é o tema que dá mote à edição deste ano da iniciativa, organizada pela Câmara Municipal através do Museu Bernardino Machado.

Recorde-se que entre os principais conferencistas está o historiador Fernando Rosas, o Coronel Aniceto Afonso e o General Pezarat Correia. Os dois últimos marcam amanhã presença na iniciativa e abordarão os temas na primeira pessoa, tendo em conta que ambos viveram bem de perto episódios deste período da história nacional.

“Angola, os brancos e a independência durante o Estado Novo”; “A Guerra Colonial (1961-1974) e “O processo da descolonização portuguesa (1974-1975) serão os temas em debate neste sábado, segundo e último dia do evento.

Consulte aqui o programa

]]>
<![CDATA[Vencedores da Maratona do Porto confirmados em Famalicão]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_vencedores_da_maratona_do_porto_confirmados_em_famalicao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=90542&h=50911" width="312px" height="151px" border="0"/></p> É já neste domingo, dia 30 de novembro, que se realiza a primeira Meia Maratona de Vila Nova de Famalicão que conta já com perto de três mil inscritos. A prova arranca pelas 10h00, com partida e chegada no Parque de Estacionamento da Casa do Território, e está já confirmada a participação dos vencedores masculino e feminino, da última edição da Maratona do Porto, realizada no início do mês de Novembro, os etíope Workneh FIKRE SERBESSA e Marta TIGABEA MEKONEN , respetivamente, que vêm desta forma aumentar, o já forte quadro de aletas de elite que irão estar na partida.

Fikre Serbessa, que nos dois últimos anos se classificou em 5º lugar na Maratona de Madrid e Marta Mekonen, que atingiu o pódio, também em Madrid em 2012 e 2013, juntam-se assim a um extensa lista de atletas nacionais de renome, que igualmente vai aumentando em termos de qualidade. Para além dos já confirmados nomes de Ricardo Ribas do S.L Benfica, Jéssica Augusto, José Moreira do S.L Benfica, Joana Costa do Sporting C. P, Ricardo Vale do S.C Braga, Anália Rosa também do Sporting e Licínio Pimental, surgem os nomes também de Doroteia Peixoto, Artur Rodrigues e de Leonor Carneiro.
Na vertente mais de participação popular os números também aumentaram, estando agora o número de participantes na casa dos 2.800.

A 1ª Meia Maratona de Famalicão, terá como Madrinha, Sara Moreira, recentemente atingiu o 3 lugar da Maratona de Nova York e também contará com a presença de Aurora Cunha, antiga Campeã do Mundo de Estrada.

]]>
<![CDATA[Centro Escolar de Ribeirão recebeu visita de Paulo Cunha ]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_centro_escolar_de_ribeirao_recebeu_visita_de_paulo_cunha </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=90527&h=14e08" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Um almoço com os perto de 400 alunos que frequentam o Centro Escolar de Ribeirão marcou a segunda visita do Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, às escolas do concelho que são feitas com o intuito de colocar os responsáveis municipais perante as reais condições que as crianças do concelho encontram no seu dia-a-dia escolar.

A visita realizou-se esta quinta-feira, 27 de novembro, e reuniu à mesa da cantina da escola o presidente da câmara, o vereador do município para a educação, o presidente de Junta de Freguesia, a recém eleita diretora de agrupamento, a coordenadora do centro escolar e o presidente da associação de pais.

Da visita, resultou a garantia de que o processo de integração das crianças do Jardim de Infância de Santa Ana nas instalações do Centro Escolar está a decorrer sem qualquer tipo de problema e os primeiros três meses de atividade letiva já confirmaram, segundo os responsáveis escolares, que a transferência de instalações foi uma decisão acertada que beneficiou a qualidade do processo educativo.

Outra das notas de destaque do encontro de Paulo Cunha com a comunidade educativa de Ribeirão foi a garantia deixada pela Câmara de construção de uma vedação do recreio coberto, através da construção de um muro de vidro que impeça a entrada da chuva pelas laterais do espaço.
]]>
<![CDATA[“Regalo de Rabanada” adoça Natal em Famalicão]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_regalo_de_rabanada_adoca_natal_em_famalicao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=90534&h=87e93" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Regadas com mel ou vinho do Porto, fritas em óleo ou azeite, com ou sem calda, com mais ou menos açúcar…Em Vila Nova de Famalicão as várias formas de confecionar os tradicionais doces da época natalícia já dominam as conversas de café. As rabanadas, ou as fatias douradas como dizem as gentes do sul, não podem faltar na mesa da consoada e na freguesia famalicense de Riba de Ave quer agora descobrir-se quem confecciona a melhor rabanada da vila.

“Regalo de Rabanada”, assim se chama o concurso promovido pelo Município de Famalicão em parceria com a Junta de Freguesia de Riba de Ave, que no próximo dia 18 de dezembro vão ter a tarefa, certamente difícil, de eleger a rabanada mais saborosa. As inscrições estão abertas aos residentes e naturais de Riba de Ave e podem ser efetuadas até ao dia 6 de dezembro na sede da junta de freguesia, até ao número máximo de 25 participantes.

No mínimo, cada concorrente deverá apresentar a concurso 20 rabanadas, devendo entregá-las na junta de freguesia, entre as 09h30 e as 13h00. Os participantes deverão deixar também uma indicação dos ingredientes utilizados na confeção das rabanadas. A escolha é feita através de uma “prova cega” e o grande vencedor será anunciado no próprio dia, pelas 21h30.

Esta é uma das iniciativas inseridas nas comemorações do 27.º aniversário da elevação de Riba de Ave à categoria de vila, das quais também se destaca uma Mostra Associativa, que terá lugar no antigo quartel dos bombeiros voluntários da vila, entre os dias 18 e 20 de dezembro.

Esta dinâmica à volta das comemorações do Dia da Freguesia de Riba de Ave marca também o início da atividade do recentemente constituído Gabinete do Associativismo, que recorde-se, é uma das várias medidas resultantes do roteiro associativo, que, entre janeiro e julho deste ano, levou o executivo municipal a reunir com o tecido associativo das 49 freguesias do concelho.

Apoiar as freguesias e as suas associações na organização de eventos de promoção e valorização da sua identidade é o principal objetivo desta estrutura criada pela Câmara Municipal.
]]>
<![CDATA[Mário de Carvalho recebeu galardão com gratidão e boas recordações ]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_mario_de_carvalho_recebeu_galardao_com_gratidao_e_boas_recordacoes </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=90513&h=842f5" width="304px" height="202px" border="0"/></p> O Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, atribuído pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e pela Associação Portuguesa de Escritores (APE), ajudou a revelar ao país na sua primeira edição, em 1991, o escritor Mário de Carvalho ao premiar a sua obra “Quatrocentos Mil Sestércios seguido de O Conde Jano”, “muito ao arrepio da expressão literária então na moda”, como recorda o próprio autor. Vinte e uma edições após o seu início, o galardão voltou a distinguir Mário de Carvalho, agora já em modo de consagração a um dos mais brilhantes e profícuos escritores de língua portuguesa, desta vez pela obra “A Liberdade de Pátio”.

A entrega da 22.ª edição do Grande Prémio do Conto Camilo Castelo Branco decorreu ontem, 25 de novembro, no Palácio das Galveias, em Lisboa, reunindo perto de uma centena de pessoas do universo cultural, literário e artístico português. Entre outras personalidades, a cerimónia contou com as presenças do escritor premiado, do presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, do Presidente da Associação Portuguesa de Escritores, José Manuel Mendes, e do ator Rui Mendes que fez a leitura de um excerto do texto vencedor.

Na hora de receber o prémio pela segunda vez, Mário de Carvalho enalteceu precisamente a permanência deste galardão, “um sinal de que os horizontes da literatura, sob a égide de Camilo, continuam em aberto”. Mário de Carvalho falou também das “recordações gratas das minhas idas a essa antiga cidade”, muito concretamente das impressões da casa de Camilo em S. Miguel de Seide. “Impressionaram-me, na altura, a sonoridade dos passos no assoalhado que rangia, a imponência dum certo relógio de pêndulo e certa cadeira de balouço que bem simboliza a fugacidade das glórias e também das desgraças”, recordou.

Esta foi a primeira vez que o Grande Prémio do Conto Camilo Castelo Branco foi entregue em Lisboa, uma opção que a Câmara de Famalicão e a APE tomaram para levar a outros e mais públicos a ação de valorização e divulgação da obra camiliana. A ideia é criar dinâmicas diferentes para as várias edições dos prémios, envolvendo as terras que estão de alguma forma ligadas à vida e obra de Camilo Castelo Branco. Nesta primeira ação de descentralização do prémio, juntaram-se a terra que viu nascer Camilo - Lisboa, e a terra onde escreveu a maior parte das suas obras e onde viria a suicidar-se ameaçado pela cegueira e julgando caminhar para a loucura que a tradição da família dava como estigma fatal de muitos dos seus - Vila Nova de Famalicão.

Foi um dia maior para a valorização da obra camiliana e para a afirmação de Vila Nova de Famalicão como um município culturalmente arrojado e audaz. Esta foi a imagem que ficou bem patente nos participantes da cerimónia, depois da classificação de José Manuel Mendes de Famalicão “como um município culturalmente peculiar, com uma dinâmica que dificilmente tem paralelo em Portugal”, e da declaração determinada de Paulo Cunha de querer fazer de Famalicão “um contribuinte liquido para a produção cultural do país”.

Instituído em 1991, ao abrigo de um protocolo entre a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e a Associação Portuguesa de Escritores (APE), o Grande Prémio do Conto destina-se a galardoar uma obra em língua portuguesa de um autor português ou de um país africano de expressão portuguesa, com um prémio de 7.500 euros.

Entre os escritores já distinguidos estão Mário de Carvalho, Teresa Veiga, Maria Isabel Barreno, Maria Velho da Costa, Maria Judite de Carvalho, Miguel Miranda, Luísa Costa Gomes, José Jorge Letria e José Eduardo Agualusa. José Viale Moutinho, António Mega Ferreira, Teolinda Gersão, Urbano Tavares Rodrigues, Manuel Jorge Marmelo, Paulo Kellerman, Gonçalo M. Tavares, Ondjaki, Afonso Cruz, A.M. Pires Cabral e Eduardo Palaio foram outros distinguidos com o prémio.
]]>
<![CDATA[Dança atraiu milhares de pessoas a Famalicão]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_danca_atraiu_milhares_de_pessoas_a_famalicao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=90448&h=111fd" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Ritmo, alegria e muito glamour. Foi assim, o fim-de-semana, em Vila Nova de Famalicão, com a realização da Taça da Europa de Dança Desportiva e da final da Taça de Portugal Latinas e Clássicas no pavilhão municipal, eventos que atraíram milhares de pessoas à cidade. Famalicão dançou e mais uma vez brilhou em pista. Esta foi a primeira vez que Portugal recebeu a competição europeia e Famalicão e os famalicenses mostraram estar à altura dos grandes eventos desportivos.

Foi um sábado com muito ritmo, elegância e com as emoções à flor da pele. O par austríaco Vasily Kirin e Ekaterina Prozorova foi o grande vencedor da noite. Já na Taça de Portugal estão de parabéns os pares famalicenses Sérgio e Rita e Barbara Ribeiro & Alexander Nabiullin que conquistaram o primeiro lugar nas respetivas categorias.

Os eventos foram promovidos pela Academia Gindança com o apoio da autarquia.

Satisfeito com o sucesso da iniciativa, o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, afirmou que “a Gindança está de parabéns e os famalicenses também porque conseguiram demonstrar que somos um povo hospitaleiro que sabe receber e organizar grandes eventos”.
]]>
<![CDATA[Inovação, conforto e estilo em vestuário para equitação]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_inovacao_conforto_e_estilo_em_vestuario_para_equitacao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=90468&h=56893" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Aliar a tecnologia ao exigente mercado dos desportos equestres é um obstáculo que a Bellator se orgulha de ter conseguido ultrapassar. Com recurso a duas tecnologias inovadoras, a famalicense Liliana Serra desenvolveu uma linha de vestuário para equitação, inspirada no cavalo Lusitano, que alia a mobilidade e a resistência ao conforto e ao design para melhorar a performance do cavaleiro e criar a melhor cumplicidade entre este e o cavalo. O melhor testemunho à qualidade do vestuário da Bellator vem do cavaleiro olímpico António Vozon. “São modelos muito confortáveis e cómodos. Estou certo que a Bellator terá muito sucesso no futuro”, declarou nesta segunda-feira, 24 de novembro, dia em que o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, ficou a conhecer em pormenor este projeto empreendedor famalicense.

A marca Bellator recorre à tecnologia de microencapsulação com libertação controlada da essência de Ylang Ylang, uma sustância com propriedades calmantes para o cavalo, e à tecnologia de Nano Pool que garante maior resistência e proteção às fibras têxteis. Duas inovações de um projeto que está a ser desenvolvido por Liliana Serra, há cerca de um ano, no Centro de Alto Rendimento de IDT do CITEVE, que visa aumentar o sucesso das iniciativas e ideias empresariais de base tecnológica, na sequência da iniciativa Academia de Inovação, patrocinada pela Microsoft.

A ideia deste negócio surgiu com a necessidade de Liliana Serra dar resposta à dificuldade de encontrar umas calças de equitação confortáveis para a filha. Mas serviu também para revelar a veia empreendedora desta famalicense de 35 anos, licenciada em Relações em Internacionais, já demonstrada pelos resultados alcançados. “O grande objetivo da Bellator é melhorar a performance do cavaleiro, criando modelos de vestuário inovadores, versáteis, confortáveis e com dimensão estética. Num mercado tão rigoroso, onde existe um dress code para este desporto, sinto que é uma vitória começarem a optar cada vez mais pela Bellator”, aponta.

A visita de Paulo Cunha, realizada no âmbito do roteiro Famalicão Made IN, coincidiu com a realização de uma sessão fotográfica para a produção do catálogo de Natal da Bellator, no Centro Hípico de Joane, que contou com a presença de António Vozon e da cavaleira de Dressage Internacional, Leonor Ramalho.

O autarca famalicense referiu-se à Bellator como um “exemplo notável de empreendedorismo e do potencial têxtil da região”. E enalteceu Liliana Serra por todo o esforço desenvolvido para iniciar e aprofundar conhecimentos numa área que desconhecia. “Estamos perante a transferência de conhecimentos ao serviço da economia através de uma ideia empreendedora que consegue produzir um produto inovador e tem condições para assumir um protagonismo de mercado muito importante”, destacou.

A linha de vestuário Bellator, que Liliana Serra desenha na totalidade, envolve cerca de vinte empresas no seu processo de produção. A comercialização está a ser feita em feiras, lojas da especialidade e através das redes sociais. Para breve está prevista a abertura de uma loja online.
]]>
<![CDATA[Carminho e “O Lago dos Cisnes” em dezembro na Casa das Artes]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_carminho_e_o_lago_dos_cisnes_em_dezembro_na_casa_das_artes </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=90476&h=622ed" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Dezembro é o culminar de um ano em grande para a Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, marcado mais uma vez pela qualidade a que já habituou o seu público. A programação do próximo mês é espelho disso mesmo, com o espaço cultural famalicense a receber a atuação da fadista portuguesa Carminho e a interpretação do bailado “O Lago dos Cisnes” pelo Russian Classical Ballet.

No mês da quadra natalícia, estas são, assim, as principais prendas no sapatinho da Casa das Artes. Logo a abrir, no dia 4, o espaço recebe, pela mão do Russian Classical Ballet, aquele que é considerado o mais espectacular dos bailados clássicos – “O Lago dos Cisnes”. A atuação começa às 21h30 e decorre no grande auditório.

Um bailado repleto de romantismo e beleza, motivado pela música inspirada de Tchaikovsy, coreografado por Marius Petipa e Lev Ivanov e que promete reunir em palco alguns dos mais conceituados bailarinos do mundo. A entrada tem o custo de 18 euros, reduzindo para metade para estudantes e portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

No dia 12 de dezembro, pelas 21h30, é a vez de Carminho subir ao palco do grande auditório da Casa das Artes. A fadista, que já por duas vezes foi distinguida com o prémio Amália, vai apresentar em Famalicão o novo álbum “Canto”, num concerto em que passará também em revista alguns fados do seu repertório. A entrada tem o custo de 18 euros, reduzindo para metade para estudantes e portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

Ainda na música, destaque para o pop/rock dos “Dear Telephone”. A banda portuguesa atua no dia 13 de dezembro, no café-concerto. A atuação começa às 22h30 e tem o custo de 5 euros, reduzindo para metade para estudantes e portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

Em dezembro, há lugar também para a exposição de fotografia de Daniel Rodrigues, intitulada “Awá Guajá – a lutar pelas origens” e patente no Foyer da Casa das Artes até 31 de janeiro. O fotógrafo famalicense, que em 2013 venceu o primeiro prémio da categoria “Daily Life” do World Press Photo, retrata nesta sua exposição “o dia a dia da sobrevivência” das mais de 400 pessoas da tribo indígena Awá Guajá, que vive na Floresta Amazónica.

Por fim, o cinema, com destaque para o regresso, no dia 21, de mais uma edição de “O Dia Mais Curto”. Uma seleção de curtas da secção Curtinhas do Curtas Vila do Conde, com a exibição de um conjunto de filmes para toda a família. A iniciativa vai decorrer no grande auditório e tem entrada livre.

Mais informações sobre a programação de dezembro no site oficial da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.
]]>
<![CDATA[Câmara avança com ações de sensibilização ambiental nas freguesias]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_camara_avanca_com_acoes_de_sensibilizacao_ambiental_nas_freguesias </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=90487&h=d9195" width="304px" height="202px" border="0"/></p> “É fundamental que os famalicenses percebam as consequências de uma atitude ambiental negligente”. As palavras são do vereador do Ambiente do município de Vila Nova de Famalicão, Pedro Sena, que esta segunda-feira, 24 de novembro, anunciou a realização de um ciclo de ações de sensibilização ambiental que vai percorrer as 49 freguesias do concelho já a partir do próximo ano.

O anúncio foi feito ontem de manhã no decorrer de uma visita dos presidentes das juntas de freguesia do concelho ao pólo da Resinorte, em Riba d’Ave, entidade responsável pelo tratamento dos resíduos sólidos urbanos no concelho e que irá também associar-se a esta iniciativa promovida pela autarquia.

“Continuamos a ter mais de 30 por cento de material com potencial de reciclagem misturado com os resíduos normais”, referiu o autarca, enaltecendo a importância da realização destas ações de sensibilização nas freguesias. “Queremos transmitir diretamente à população todo este trabalho”, acrescenta.

Conhecer o destino e o tratamento que é dado aos resíduos recolhidos foi, de resto, o principal intuito da visita desta segunda-feira, que decorreu numa altura em que se assinala a Semana Europeia da Prevenção de Resíduos.

“É importante que os autarcas tenham noção de todo este processo, para que possam transmitir à população os problemas com que atualmente nos defrontamos”, referiu Pedro Sena.

Refira-se ainda que a visita desta segunda-feira dos autarcas do concelho à Resinorte decorreu depois de, em junho último, terem também conhecido o ciclo urbano da água com uma visita à Estação de Tratamento de Águas de Areias de Vilar, em Barcelos, e à Estação de Tratamento de Águas Residuais de Penices, em Gondifelos.
]]>
<![CDATA[Câmara de Famalicão investe 1,5 milhões de euros em novas valências sociais]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_camara_de_famalicao_investe_15_milhoes_de_euros_em_novas_valencias_sociais </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=90401&h=cc2c8" width="304px" height="202px" border="0"/></p> A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão está a concretizar uma forte aposta na modernização e ampliação da rede de equipamentos sociais do concelho com um investimento municipal de cerca de 1,5 milhões de euros para apoio à construção. As novas valências vêm colmatar necessidades sociais, sobretudo ao nível do apoio à terceira idade, nas freguesias de Landim, Ribeirão, Calendário e Arnoso Santa Maria.

O financiamento municipal está a ser atribuído de forma faseada desde 2012 e estará concluído até ao final de 2015. Na última reunião pública o executivo camarário aprovou por unanimidade a tranche relativa a 2014 que vai ajudar as instituições envolvidas a cumprir os compromissos assumidos aquando das candidaturas apresentadas para a execução dos equipamentos sociais, cujo investimento global ronda os 7,5 milhões de euros.

As obras foram recentemente concluídas e as novas valências já entraram em funcionamento naquelas quatro freguesias. Em causa estão o lar residencial, centro de dia e apoio domiciliário do Centro Social da Paróquia de Landim; o lar residencial, o centro de atividades ocupacionais e apoio domiciliário do Centro Social Paroquial de Ribeirão; o lar de idosos, o centro de dia e apoio domiciliário do Centro Social de Calendário; e o lar de idosos e apoio domiciliário da Engenho – Associação de Desenvolvimento Local do Vale do Este.

Para o Presidente da Câmara de Famalicão, Paulo Cunha, “a resposta social no concelho fica substancialmente mais forte” com a construção destas novas valências, “assegurando uma cobertura equilibrada da dimensão social no território”.
]]>