Município de Famalicão: Notícias e Informações Úteis http://www.vilanovadefamalicao.org Últimas 10 notícias 15 asdad asdasd dasdad <![CDATA[Representações do corpo na Fundação Cupertino Miranda]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_representacoes_do_corpo_na_fundacao_cupertino_miranda </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=101616&h=4ef0e" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Até 30 de abril, a Fundação Cupertino de Miranda, em Vila Nova de Famalicão, convida os seus visitantes para uma viagem pelo corpo, através da nova exposição temporária “A Solidão de um Corpo é a Ausência de Uma Forma”.

Com obras de cerca de 20 artistas, entre os quais Paula Rego, Mário Cesariny e António Quadros, esta mostra pretende mostrar a ideia do corpo nas suas diferentes representações, explorando as múltiplas expressões corporais na pintura e no desenho.

“A história da Humanidade é feita da constante descoberta do corpo (…) A presença e representação do corpo, nas mais diversas criações artísticas, demonstram o quanto é necessário rever e revisitar o mesmo, o que faz com que as soluções encontradas se tornem extremamente arrojadas, numa demonstração de imaginação muito elevada”, refere a propósito o comissário da exposição e diretor artístico da Fundação Cupertino de Miranda, o artista plástico famalicense António Gonçalves.

“O que damos a ver nesta exposição é o uso do corpo como pretexto para a sua interpretação, não apenas um representar do mesmo”, acrescentou.

Refira-se que todos os trabalhos expostos nesta mostra integram o acervo do Museu da Fundação Cupertino de Miranda, uma instituição cultural ao serviço da comunidade e que tem por missão a divulgação da Arte Moderna e Contemporânea, especialmente do Surrealismo.

Com uma importante coleção composta essencialmente por obras de artistas portugueses, reforça um património cada vez mais representativo do Surrealismo português, enriquecendo continuamente a coleção e permitindo tornar visíveis as obras do seu acervo através de uma sucessão de exposições.

A exposição é de entrada gratuita e está patente ao público de segunda a sexta-feira, entre as 10h00 e as 12h30 e as 14h00 e as 18h00, e aos sábados, das 14h00 às 18h00.
]]>
<![CDATA[Elegância e conforto no novo hotel de Famalicão]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_elegancia_e_conforto_sao_marcas_maiores_de_novo_hotel_em_famalicao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=101627&h=1615e" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Dedicação, excelência, confiança, respeito e responsabilidade. São estes os compromissos que o Villa Prime Hotel, que foi hoje inaugurado em Famalicão, assume para com o seu público. O novo espaço hoteleiro está situado na Rua Barão da Trovisqueira, no centro da cidade, nas imediações do Parque 1.º de Maio, e tem como lema: “aproveite o que é único!”.

Com 10 quartos de qualidade superior para os hóspedes, um restaurante e um wine bar abertos ao público em geral, o Villa Prime é um projeto arrojado das irmãs Catarina e Andreia Silva e do casal Tiago e Sílvia Pimenta. A inauguração da infraestrutura decorreu hoje, 12 de fevereiro, e foi antecedida por uma apresentação enquadrada no roteiro Famalicão Made IN, como uma vista do Presidente da Câmara, Paulo Cunha, às novas instalações.

A elegância é uma imagem de marca do equipamento, que alia conforto à arte de bem receber que é reconhecida às gentes de Famalicão.

O conceito vem reforçar a oferta hoteleira no concelho e tem como principal alvo o universo empresarial, disponibilizando-lhe um ponto de encontro para estadias, reuniões e encontros informais. À estratégia não é naturalmente alheio o facto de estarmos perante o município mais exportador do Norte de Portugal e um dos mais industrializados do país.

Para a administração do Villa Prime não há nada semelhante em termos de oferta integrada no concelho. “Estamos a disponibilizar à região um valor diferenciador, que honra os pergaminhos do município na arte de bem receber e torna a cidade mais apelativa para os visitantes”, referiu Catarina Silva.

O Presidente da Câmara Municipal considerou o novo equipamento “como uma solução muito bem vinda para o concelho” e realçou “a qualidade do projeto como uma mais valia para a região”. Paulo Cunha não deixou ainda de referenciar o aparecimento nos últimos anos de novas unidades hoteleiras em Famalicão como um sinal da crescente afirmação do concelho no plano regional e nacional, sobretudos nos domínios económico e cultural”.

A abertura do Villa Prime Hotel correspondeu a um investimento de 1 milhão de euros e implicou no imediato a criação de 7 postos de trabalho.
]]>
<![CDATA[“Ambientar-se” exibe documentário inédito da BBC]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_cinema_ambientarse_alerta_para_as_alteracoes_climaticas </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=101481&h=9ecf5" width="300px" height="202px" border="0"/></p> O documentário da BBC “Planeta Terra: O Futuro” é o filme em exibição na próxima sessão do ciclo de cinema “Ambientar-se”, que decorrerá a 19 de fevereiro, sexta-feira, pelas 21h30, na Casa do Território.

A crise ambiental do planeta e a extinção e preservação das espécies são os temas em debate nesta que é a terceira sessão da iniciativa, promovida pela autarquia famalicense em parceria com instituições locais ligadas à proteção do ambiente, e que, recorde-se, pretende promover o debate sobre temas ambientais.

Com a contribuição de prestigiados cientistas, teólogos e ambientalistas este filme integra uma série de seis documentários produzidos pela BBC. Episódios inéditos, que discutem o momento crítico do meio ambiente, o que podemos fazer para preservar o nosso planeta e quais as estratégias a serem usadas.

A escolha do filme esteve a cargo da AREA – Associação Amigos do Rio Este, cujo presidente, Carlos Faria, integrará o painel de oradores convidados do espaço de discussão que terá lugar após a visualização do filme. Miguel Monteiro, investigador e docente da Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade Nova de Lisboa e a bióloga Lília Cunha participarão também no debate. A entrada é gratuita.

A iniciativa está marcada para as 21h30 e é de entrada gratuita. ]]>
<![CDATA[Urbanização das Lameiras recebe projeto-piloto de telecontagem da água]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_urbanizacao_das_lameiras_recebe_projetopiloto_de_telecontagem_da_agua </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=101472&h=5f161" width="304px" height="202px" border="0"/></p> A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai avançar com a implementação de um projeto piloto de telecontagem nos contadores da água do Eco-Bairro das Lameiras, localizado na cidade. O projeto que pretende modernizar o sistema de leituras dos contadores com vista à melhor gestão dos recursos, será assim executado, para já, nas 290 habitações da Urbanização das Lameiras identificada como um Eco-Bairro, pretendendo-se depois alargar a todo o concelho.

O projeto-piloto de telecontagem implica um investimento municipal de cerca de 14 mil euros e consiste na instalação de um módulo nos contadores de água que permite a comunicação da informação para um terminal portátil dotado de um software de recolha e tratamento dos dados fornecidos.

Para além da redução dos custos envolvidos nas leituras manuais, a telecontagem permite também uma maior eficiência dos serviços, com a eliminação dos erros de leitura, a deteção de fugas, a deteção e quantificação do fluxo e uma significativa poupança da água e melhoria ambiental, tendo em conta a diminuição das percas da água.

“A água potável é um bem cada vez mais valioso, por isso é importante investirmos numa utilização mais responsável e fiável”, afirma a propósito o vereador do Ambiente da autarquia famalicense, Pedro Sena. Segundo o autarca, “a implementação da telecontagem é uma medida bastante positiva que torna o processo das leituras mais transparente melhorando a confiança no serviço e tornando-o mais eficiência, tendo em conta a deteção e eliminação das perdas de água”.

Refira-se que a autarquia decidiu implementar este projeto piloto na Urbanização das Lameiras porque se trata de um Eco-Bairro, onde decorrem iniciativas inovadoras em matéria de gestão e sustentabilidade ambiental.

O Eco-Bairro das Lameiras foi constituído no âmbito da parceria para a Regeneração Urbana do Parque da Devesa, criado em 2010 pela Associação de Moradores das Lameiras, sendo pioneiro no nosso país. O Plano de Ação do EcoBairro consiste em propor intervenções de natureza cívica, social, cultural e ambiental no Complexo Habitacional das Lameiras (CHL).
]]>
<![CDATA[E assim foi a louca noite do Carnaval de Famalicão..]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_preparase_para_viver_o_carnaval_com_muita_folia </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=101448&h=2eb55" width="303px" height="202px" border="0"/></p> E no final, fica sempre aquela sensação de que passou demasiado depressa.

A noite de Carnaval em Vila Nova de Famalicão prometia ser única e nem o São Pedro conseguiu defraudar as expectativas. A cidade encheu para viver a noite mais louca e intensa do ano e foram largos os milhares de foliões que escolheram Famalicão para celebrar o Entrudo.

Como sempre, fizeram-no como manda a tradição: em festa, com boa disposição, cor e muita, muita criatividade.

Não demorou muito até que as ruas se enchessem. Depressa a cidade se tornou numa imensa discoteca ao ar livre e, a partir daí, foi dançar. Dançar como se não houvesse amanhã. Afinal a noite era demasiado especial e o mais importante era aproveitá-la ao máximo.

Refira-se que o costume começou há mais de duas décadas, mas com o tempo ganhou uma força que não é fácil traduzir por palavras. Hoje o Carnaval de Famalicão é, sem dúvida, uma das maiores festas de rua do país. Quem vem volta e traz mais alguém.

Quanto à noite de ontem, nota ainda para o tradicional e muito concorrido concurso de mascarados. O grupo das vespas asiáticas, de Vale São Martinho, surpreendeu e arrecadou o primeiro lugar da iniciativa, com os rasgados elogios dos elementos do júri.

Para o ano há mais, mas para já saboreia-se por mais uns dias aquele que foi um dos maiores carnavais de sempre em Famalicão.


NB - Veja a reportagem fotográfica na página do Facebook do Município

]]>
<![CDATA[Força têxtil impulsiona geminação de Famalicão com Arteixo]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_forca_textil_impulsiona_geminacao_de_famalicao_com_arteixo </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=101426&h=6dbd0" width="307px" height="202px" border="0"/></p> O município de Vila Nova de Famalicão e o município espanhol de Arteixo vão geminar-se. As duas capitais do Têxtil e da Moda da Euroregião Galiza - Norte de Portugal vão unir-se em prol de um projeto conjunto que visa o fortalecimento das duas comunidades a partir da partilha de informação, intercâmbio de experiencias e da promoção conjunta das suas potencialidades.

Vila Nova de Famalicão, um dos mais fortes municípios de Portugal em termos económicos, onde o sector têxtil e do vestuário tem a grande força do seu desenvolvimento, e Arteixo, onde teve origem e está sediada a Inditex, empresa que detém a insígnia Zara que emprega mais de 120 mil pessoas em todo o mundo, assumem a intenção de desenvolvimento de atividades conjuntas em diferentes sectores, tendo em vista o fortalecimento das respetivas comunidades e a sua afirmação no quadro da União Europeia .

Arteixo é um município da província da Corunha, comunidade autónoma da Galiza, com uma área de 94,62 km² e com uma população de 31 mil habitantes. O processo de geminação, que será objeto de análise na próxima reunião do executivo municipal famalicense, na quinta-feira, 11 de fevereiro, é apadrinhado pelo Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galicia-Norte de Portugal (GNP-AECT).

Este novo processo em Vila Nova de Famalicão marca o início do desenvolvimento de uma nova filosofia de geminações que o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, quer desenvolver no contexto da Europa a 28. Com esta nova etapa, Famalicão quer aproximar-se da Europa, crescer em conjunto com municípios dos países europeus que tenham identidades próximas do ADN famalicense e aproveitar potencialidades comuns para o desenvolvimento mutuo.

“Estamos a abrir um novo ciclo de geminações, perspetivado como uma aposta estratégica de Vila Nova de Famalicão para a sua afirmação e crescimento à escala europeia. Queremos crescer com a Europa, sendo simultaneamente emissor e recetor de contributos válidos para esse crescimento”, explica Paulo Cunha.

A esta nova política de geminações não é naturalmente indiferente o quadro de oportunidades aberto pela União Europeia para o financiamento de programas de cooperação transfronteiriça, que facilita o desenvolvimento de projetos comuns entre cidades e regiões de diferentes países da União Europeia.
]]>
<![CDATA[Seniores famalicenses festejam o Carnaval]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_seniores_famalicenses_festejam_o_carnaval </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=101434&h=34110" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Dos oito aos oitenta. Assim são os festejos carnavalescos em Vila Nova de Famalicão, que depois do desfile infantil, na passada sexta-feira, viveu esta tarde outro dos pontos altos da sua programação: o Carnaval Sénior.

São Pedro quis juntar-se à festa, mas a chuva não conseguiu demover a folia e animação contagiante dos mais de mil seniores que esta segunda-feira, 8 de fevereiro, se juntaram no Pavilhão Municipal para assinalar a data.

Enquanto Vila Nova de Famalicão contava as horas para a noite mais aguardada do ano, os seniores do concelho foram fazendo a festa.

Foi o caso de Maria da Conceição, do Centro de Convívio de Famalicão, famalicense de gema mas que durante mais de cinquenta anos viveu a folia carnavalesca em terras de Vera Cruz. “Não é a mesma coisa que no Brasil, obviamente, mas também é muito divertido. Em Portugal, não podia ter melhor sítio para festejar o Carnaval”, disse.

Dez minutos, foi o tempo que José Augusto Pereira demorou a preparar a “fatiota” de Lutador de Sumo. O frequentador das atividades das Piscinas de Ribeirão foi um dos muitos seniores que se atreveram a participar no desfile e levou mesmo para casa o prémio de “Melhor Folião”.

A imaginação e criatividade dos participantes mereceram, de resto, os elogios do Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, que esta tarde passou pelo Pavilhão Municipal. Satisfeito com o entusiasmo dos seniores, o edil desafiou-os também a participarem, mais logo, na grande noite de Carnaval.

Refira-se que este ano a iniciativa contou com a participação de 21 instituições do concelho. Para além do prémio de “Melhor Folião”, foi também eleito o “Melhor Grupo”, atribuído ao Centro Social de Castelões, e ainda a “Melhor Fantasia”, que pertenceu a Maria Inês Santos, com “O Outono”.
]]>
<![CDATA[É Carnaval!]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_cerca_de_3500_criancas_a_abrir_o_carnaval_de_famalicao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=101404&h=ca688" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Três, dois, um…está dado o arranque para o Carnaval mais divertido do país. Os festejos carnavalescos em Famalicão começaram, como sempre, da melhor maneira, com as princesas, palhaços e polícias de palmo e meio a abrilhantarem o já tradicional desfile infantil.

O momento desta tarde contou com a participação de cerca de 3500 pequenos foliões, que acompanhados pelos educadores, e sob o olhar enternecido dos familiares, desfilaram imaginação e muita criatividade pelas ruas do centro da cidade.

Entre os milhares que saíram à rua para ver o desfile estava o vereador da Educação da autarquia famalicense, Leonel Rocha. O autarca espera que a alegria e entusiasmo dos mais pequenos contagie toda a cidade e elogiou o trabalho das instituições participantes. “Não deixam nunca de nos surpreender e este ano não foi exceção. Fizeram um trabalho magnífico”, disse.

Refira-se que o desfile infantil é organizado pela Câmara Municipal de Famalicão, através da Divisão da Educação, e pretende favorecer o desenvolvimento da criatividade das crianças e animar as ruas da cidade proporcionando momentos de convívio e alegria contribuindo, assim, para o desenvolvimento da socialização. No total participaram quase meia centena de instituições educativas do concelho.


]]>
<![CDATA[Museu Bernardino Machado conta tudo sobre a censura em Portugal de 1910 a 1974]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_museu_bernardino_machado_conta_tudo_sobre_a_censura_em_portugal_de_1910_a_1974 </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=101247&h=135b0" width="302px" height="202px" border="0"/></p> O Museu Bernardino Machado vai dedicar o ano de 2016 ao tema da censura em Portugal no período entre 1910 e 1974. “Será um ano excecional em termos de debates, conferências e exposições subordinadas à temática da censura e será uma oportunidade única para estudantes e académicos explorarem de forma transversal e abrangente este assunto”, explicou esta terça-feira, o coordenador científico do Museu, Norberto Cunha.

O Museu Bernardino Machado, localizado num palacete do século XIX, no centro da cidade, é um equipamento cultural do município famalicense que se tem afirmado por um trabalho de qualidade, que é reconhecido nos meios académicos e que faz desta casa um centro de investigação histórica de referência nacional.

O tema da censura em Portugal estará presente em múltiplas atividades que decorrem ao longo do ano, contando com a presença e participação de prestigiados investigadores nacionais. Neste âmbito, arranca já neste mês de fevereiro o ciclo de conferências intitulado “A censura na Ditadura Militar e no Estado Novo”, que vai trazer à tona casos bem concretos de censura, relatados na primeira pessoa. São oito conferências que decorrem até outubro.

O primeiro debate realiza-se já no próximo dia 26 e conta com a presença de César Príncipe, um especialista da comunicação com vários livros publicados sobre a censura em Portugal. César Príncipe fala sobre “A Censura e a Liberdade de Imprensa”. Seguem-se os casos de censura no jornal Expresso, (18 de março) e no Jornal de Notícias (29 de abril), com as participações dos jornalistas José Pedro Castanheira e Isabel Forte. A censura sobre o teatro e sobre o cinema também será abordada, com os casos específicos do Teatro Universitário e da película, “A Promessa de António de Macedo”, tendo como convidados, Oliveira Barata (27 de maio), que falará da sua experiência vivida e Ana Bela Morais (17 de junho). O tema da censura à leitura e aos livros será comentada por Henrique Barreto Nunes, ex-diretor da Biblioteca Pública de Braga (15 de Julho). Depois do interregno do mês de agosto, as conferências regressam com mais dois temas “A censura nos manuais escolares”, com Augusto Monteiro (16 de setembro) e “Quando os lobos uivam”, de Aquilino Ribeiro, com Henrique Almeida, em outubro. “Este último tema tem a particularidade de se relacionar com o patrono do Museu, Bernardino Machado, tendo em conta que Aquilino Ribeiro era genro de Bernardino”, afirmou Norberto Cunha.

Terminado o ciclo de conferências o Museu promove em finais de Novembro, a iniciativa “Encontros de Outono”, que estará subordinada à temática “A Censura em Portugal”. Ao longo de dois dias investigadores e historiadores nacionais promovem cerca de uma dezena de conferências, abordando a temática de uma forma única e transversal.

Entretanto, passam pelo Museu duas exposições sobre a censura. A primeira intitula-se “Os livros proibidos pela ditadura”, que está patente até 13 de março, e a segunda “A repressão da imprensa na I República”, mostra-se entre 2 de junho e 17 de julho.

Para o responsável do Museu, Norberto Cunha, “quem participar nestas atividades, ficará com um conhecimento vasto, correto e rigoroso sobre o que foi a censura em Portugal”. Trata-se, portanto, de “um conjunto de atividades que se complementam e que conseguem dar uma visão bastante abrangente sobre este importante período da história nacional”.

O professor catedrático realça ainda “a qualidade e o prestígio dos convidados”. “É realmente uma oportunidade única, assistir a estas palestras relatadas por especialistas, que viveram estas experiências na primeira pessoa”.

Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, salienta a importância do tema da censura. “Pode parecer um tema extemporâneo, tendo em conta que vivemos atualmente num regime democrático, no entanto, é fundamental mostrar às novas gerações e recordar à mais velhas o valor da liberdade de expressão e de pensamento.” Hoje em dia, “banaliza-se a liberdade, de tal forma que não nos apercebemos que constitui, a par dos direitos fundamentais do homem e do cidadão, da soberania popular, do sufrágio universal e da divisão de poderes, um dos pilares fundamentais de uma democracia”, sublinha o autarca.

Paulo Cunha lembra ainda que Bernardino Machado relaciona-se com o tema da censura, por oposição. “Bernardino é recordado como o paladino da liberdade, tendo sido sempre um defensor dos direitos da liberdade de expressão”.

Refira-se que para além da divulgação e valorização da figura de Bernardino Machado, um famalicense por adoção que foi Presidente de Portugal, por duas vezes, durante a I República, o Museu tem vindo a destacar-se na organização de diversos eventos e na produção de documentos que têm sido essenciais para investigadores e historiadores. Hoje, o Museu Bernardino Machado é conhecido no País como um centro de investigação incontornável da história da I República portuguesa.
]]>
<![CDATA[Paulo Cunha quer escolas cada vez mais unidas]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_paulo_cunha_quer_escolas_cada_vez_mais_unidas </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=101256&h=bcc3f" width="303px" height="202px" border="0"/></p> “A qualidade do nosso ensino será tanto maior, quanto maior for a capacidade de articulação entre todas as escolas do nosso concelho”. Foi esta a principal mensagem deixada esta quarta-feira, 3 de fevereiro, pelo Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, na visita que fez à Didáxis de Riba de Ave e ao Externato Delfim Ferreira, que ontem entraram no périplo que o edil tem efetuado pelas escolas profissionais e com contrato de associação do concelho.

Durante a visita a estes dois estabelecimentos de ensino famalicenses, Paulo Cunha, que se fez acompanhar pelo vereador da Educação, Leonel Rocha, lembrou que todas as escolas do concelho, sejam elas públicas ou privadas, poderão continuar a contar com uma postura de proximidade por parte da autarquia. “Somos notados pela nossa oferta formativa e é nossa missão criar cada vez mais condições para que assim continue”. Paulo Cunha foi ainda mais longe e defendeu a ideia de que “o dossier da Educação não deve estar dependente do contexto político”, lembrando que o executivo que lidera tem sabido manter o equilíbrio no que toca às políticas educativas.

De resto, refira-se que a tarde de trabalho começou na escola de Riba de Ave da Cooperativa de Ensino Didáxis, que atualmente conta com mais de 1700 alunos, entre Ensino Básico, Secundário e Ensino Profissional. Guiado pelo corpo administrativo da Cooperativa, entre os quais o Presidente da Direção, José Fernandes, Paulo Cunha visitou as instalações, conversando com alunos e docentes. Foi o caso de Pedro Miguel Dinis, professor do curso de Eletrónica, Automação e Comando, que realçou o espírito inovador e de ligação ao mundo empresarial dos cursos profissionais da escola, que tem já estabelecidas diversas parcerias com empresas e instituições do concelho.

Paulo Cunha seguiu depois para o Externato Delfim Ferreira, onde foi recebido ao som do hino do colégio. Com cerca de 1300 alunos, entre o pré-escolar e o ensino secundário, também aqui é visível a satisfação e entusiasmo dos docentes e alunos. “É como se fossemos todos uma grande família”, disse Beatriz, atualmente no 11.º ano, que na companhia de mais quatro colegas e da Diretora Pedagógica da escola, Alzira Pereira, acompanhou o edil numa visita pelas instalações da instituição.

Recorde-se que este périplo de visitas tem como objetivo conhecer de perto o trabalho desenvolvido pelas instituições educativas concelhias; partilhar ideias com professores e alunos, contribuindo, desta forma, para uma relação de maior cumplicidade e proximidade.
]]>