Município de Famalicão: Notícias e Informações Úteis http://www.vilanovadefamalicao.org Últimas 10 notícias 15 asdad asdasd dasdad <![CDATA[Riba de Ave quer atrair investidores]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_riba_de_ave_quer_atrair_investidores </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=109567&h=0a4f3" width="303px" height="202px" border="0"/></p> “Memória Aberta” é título do trabalho que venceu o concurso de ideias “Desafios Urbanos’16” lançado em outubro de 2016, pelo portal Espaço de Arquitetura, com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, e com o objetivo de recolher contributos para a revitalização da histórica Fábrica Sampaio Ferreira, de Riba de Ave.

O projeto apresentado pelos arquitetos João Oliveira e Rafael Ramalho sugere “abrir o complexo agora murado à vila de Riba de Ave e à região do Vale do Ave”. Para dinamizar o espaço, os arquitetos propõem várias valências desde um museu, um centro de desenvolvimento da indústria têxtil, centro de documentação e arquivo e um centro empresarial onde se possam desenvolver várias atividades.
Ao todo, cerca de trinta concorrentes participaram no desafio, entre profissionais e estudantes de arquitetura, lançando ideias sobre as possibilidades de revitalizar este património industrial histórico.

Isso mesmo frisou o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, salientando que “todas as ideias são bem vindas e constituem contributos importantes”. O autarca lembrou que se trata de uma “propriedade privada, repleta de memórias e de história”.

O objetivo do concurso de ideias foi repensar de que forma se pode revitalizar um imóvel, de carater industrial, que pela sua história, localização e dimensão merece ser alvo de reflexão envolvendo toda a comunidade. Os trabalhos estão em exposição na Fábrica Sampaio Ferreira, no Edifício do Canudo até 10 de março.

“Agora entramos numa nova etapa em que queremos atrair os privados a investir aqui, abrindo este contexto de oportunidade e de dinâmica económica”, acrescentou Paulo Cunha.
A Câmara Municipal prevê avançar em breve com algumas obras de reabilitação da vila, no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), procurando assim “somar ao investimento público o investimento privado”.

De acordo com o autarca, a própria autarquia poderá vir a adquirir uma parcela deste património industrial, no entanto, alerta que “a Câmara não pode ser o único motor para a revitalização do edificado”, porém não pode ficar totalmente de fora deste processo.

Refira-se que a fábrica Sampaio Ferreira em Riba de Ave foi uma das primeiras unidades fabris do Vale do Ave construída pelo empresário Narciso Ferreira e implantada numa área de cerca de 35 mil metros quadrados.
]]>
<![CDATA[A vida são dois dias e o Carnaval são cinco]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_a_vida_sao_dois_dias_e_o_carnaval_sao_cinco </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=109466&h=60e89" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Diz o provérbio popular que “esta vida são dois dias e o Carnaval são três”. No entanto, em Vila Nova de Famalicão, onde se vive o carnaval na forma mais genuína e popular, a folia começa já nesta sexta-feira, 24 de fevereiro, e prolonga-se até à terça-feira. A noite de 27 para 28 é o ponto alto da festa, com milhares de pessoas mascaradas nas ruas da cidade.

Entretanto, são os mais novos que dão o tiro de partida para a folia. Esta sexta-feira, a partir das 14h30, cerca de 3.500 crianças de todo o concelho desfilam pelas ruas ao ritmo dos seus sonhos. Super-heróis, ninjas, fadas e princesas invadem a cidade levando a alegria e a fantasia ao coração dos milhares de pessoas que assistem a este verdadeiro espetáculo, acotovelando-se nos passeios e nas margens das ruas. O desfile infantil sai da rua Adriano Pinto Basto (junto à Artave) e termina no Parque da Juventude.

Da parte da manhã, pelas 10h00, realiza-se o desfile infantil na vila de Riba de Ave.

No sábado, dia 25, há baile de Carnaval em Pedome. É a partir das 21h00, no Salão Paroquial. No domingo, regressam os desfiles de rua, um pouco por todo o concelho. Arnoso Santa Eulália, Riba de Ave e Ribeirão vivem a alegria carnavalesca a partir das 14h30.

Aqui ninguém fica fora do carnaval. A única questão é saber quem se diverte mais, serão os mais novos ou os seniores que fazem a festa na segunda-feira, a partir das 14h00, no Pavilhão Municipal, com desfile, concurso, coreografias, DJ a animar e baile? A questão não fica sem resposta, tendo em conta que à noite todos se encontram naquela que é a Noite de Carnaval mais divertida do país.

À festa espontânea e genuína dos foliões, a autarquia dá uma ajuda. A animação começa bem cedo com o centro da cidade a ser percorrido por trupes e figuras que apelam a um imaginário do fantástico e surreal, dando asas à criatividade e contagiando os foliões com a sua animação. Pelas 21h30 começa o espetáculo musical a cargo da Orquestra Pentágono. No intervalo realiza-se o desfile Concurso de Mascarados, pelas 23h00. Mas a festa acontece nas ruas e dura toda a noite.

Na terça-feira, ainda há forças para os foliões desfilarem em Landim, a partir das 15h00 e em Fradelos, a partir das 14h30.

O Carnaval só termina com a “Queima dos Galheiros”, pelas 22h00, em Fradelos, uma iniciativa que atrai cada vez mais gente.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “é uma grande satisfação ver todo o concelho imbuído do espírito carnavalesco”. E acrescenta: “Nós famalicenses somos um povo alegre e criativo e isso está bem presente na forma como vivemos o Carnaval”.
]]>
<![CDATA[Requinte informal na Casa da Estalagem]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_requinte_informal_na_casa_da_estalagem </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=109476&h=0bc82" width="303px" height="202px" border="0"/></p> O que outrora foi uma típica casa rural, com a corte dos animais e as alfaias agrícolas no piso inferior, para aquecer quem morava no piso de cima da habitação, é hoje um moderno e requintado empreendimento turístico de alojamento local. A Casa da Estalagem, em Vermoim, Vila Nova de Famalicão, inaugurada nesta segunda-feira, 20 de fevereiro, pelo Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, no âmbito do roteiro Famalicão Made IN, é também peculiar. Pela localização geográfica, no coração do Vale do Ave, onde a indústria têxtil fervilha, e pela identidade com a história.

Para lá chegar basta repetir o trajeto feito pelos vikings, em 1016, quando atacaram o Castelo de Vermoim, localizado ali mesmo, na encosta do Monte Caruito. Esta forma de dar a direção do novo projeto hoteleiro é contada pelos proprietários, o casal António e Agostinha Macedo, que assim aliam a história ao turismo.

Num ambiente sofisticado, a Casa da Estalagem dispõe de quatro quartos temáticos, decorados em estilo contemporâneo e evocativos de Artur Cupertino de Miranda, Narciso Ferreira, Bernardino Machado e Camilo Castelo Branco, todas personalidades famalicenses, cozinha equipada e outras áreas comuns para lazer e trabalho, para além de piscina exterior. Todos os quartos têm grandes janelas, por onde entra muito sol. As tarifas variam entre os 90 e os 110 euros.

“Pode dizer-se que esta é uma boa alternativa de alojamento para aproveitar o sossego fora da urbe, num ambiente confortável, mas simples e descomplicado, para quem está em trabalho ou lazer, sozinho ou em família”, descreveu António Macedo, sublinhando que a reabilitação conservou as qualidades arquitetónicas do edifício, como as paredes, os tetos altos de trave de madeira e o fogão a lenha.

Paulo Cunha, por seu lado, salientou o reforço da oferta hoteleira no concelho que este novo empreendimento traduz, lembrando que nos últimos três anos abriram quatro novas unidades hoteleiras – o Villa’s House, o Villa Prime Hotel, o Hi!Go e, agora, a Casa da Estalagem, que, juntas, contabilizam cerca de vinte quartos. “Sinal de confiança no território e da crescente afirmação do concelho famalicense no plano regional e nacional, sobretudo no domínio económico”, disse, argumentando: “Estes investimentos são feitos a partir de uma matriz de contexto de oportunidade e de avaliação de uma área económica onde existe mercado. E, portanto, estou certo que os investidores que criaram estes vinte quartos veem no concelho de Famalicão um potencial de dinamismo económico que se tem traduzido no crescimento da capacidade exportadora.”

O autarca enalteceu ainda a “vocação empreendedora” de António Macedo. “É um empresário daqueles que gostamos de ter connosco, arrojado e que acredita no território. Obrigado pelo seu emprenho e dedicação.”
]]>
<![CDATA[A Europa aqui tão perto]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_a_europa_aqui_tao_perto </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=109497&h=5eba5" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Foi “Pela Nossa Terra” que o eurodeputado minhoto José Manuel Fernandes criou a agenda anual que aproxima o Minho da Europa e a Europa do Minho. A edição 2017 da publicação foi lançada na passada sexta-feira, 18 de fevereiro, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, com apresentações do eurodeputado Francisco Assis e do Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha.

À cerimónia associaram-se perto de duas centenas de pessoas, onde se destacavam vários autarcas minhotos, alguns deputados à Assembleia da República e diversas personalidades de diferentes quadrantes políticos da região.

“Trata-se de uma iniciativa singular, que dá um enorme contributo para o reforço do sentimento de pertença dos cidadãos ao Minho, ao país e à Europa, potenciando o exercício de uma cidadania plena e esclarecida”, disse o autarca famalicense. “Este livro presta um bom serviço à Europa” disse, por sua vez, Francisco Assis realçando a importância do projeto europeu que, considerou, “cada vez mais importante no mundo de incertezas em que nos encontramos”.

Francisco Assis, aproveitou a oportunidade aberta pela apresentação do livro para reafirmar a sua posição de “europeísta convicto”. E fundamentou: “no continente onde tiveram origem os maiores conflitos armados da humanidade, a União Europeia assegurou paz com democracia, paz com desenvolvimento, paz com segurança”.

Por isso, Francisco Assis não tem dúvidas de que “na Europa vamos ter necessidade de voltar a falar uns com os outros e de promover entendimentos".

O Livro “Pela Nossa Terra – Minho 2017” tem como temas centrais os novos desafios da União Europeia e o Plano Juncker, a par de um olhar sobre a realidade atual da região minhota. Ao longo das 288 páginas do livro, José Manuel Fernandes disponibiliza informação, suscita o interesse e provoca a reflexão sobre matérias relevantes para a atualidade da União Europeia (EU) e da região. Entre os temas europeus focados estão o Brexit, o Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE) – o chamado Plano Juncker – e a realidade orçamental da UE.

Numa altura em que, como refere o autor, “atingimos o ‘pico’ do movimento global nacionalista” e em que “o mundo está cada vez mais imprevisível e perigoso”, José Manuel Fernandes avisa que “este é o momento da UE unir-se”. Relator do Parlamento Europeu para o reforço do FEIE, o eurodeputado aponta o Plano Juncker como “um exemplo objetivo da capacidade da União Europeia em encontrar respostas e mecanismos comuns para superar as dificuldades”. E destaca a “oportunidade” que este fundo “representa para Portugal e para a região do Minho”, onde tem “incentivado a união de vontades e a parceria de projetos e candidaturas”.

Esta publicação, de edição anual e lançada pela primeira vez em 2011, fornece informações sobre todos os concelhos do Minho. A edição deste ano evidencia números do INE sobre o envelhecimento da população e a diminuição demográfica, “dois grandes desafios que a Europa e Portugal enfrentam e aos quais a Estratégia Europa 2020 procura também dar resposta”, sublinha o eurodeputado.

Na publicação são igualmente partilhadas informações de agenda e respetiva calendarização, onde se incluem as festas e romarias da região, as comemorações dos dias internacionais e citações de diferentes autores, juntamente com definições do Dicionário de Termos Europeus – uma obra em permanente atualização e que é coordenada pelo também eurodeputado social democrata Carlos Coelho.
]]>
<![CDATA[Delães, Oliveira S. Mateus e Oliveira Santa Maria com melhor mobilidade]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_delaes_oliveira_s_mateus_e_oliveira_santa_maria_com_melhor_mobilidade </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=109460&h=6faaa" width="303px" height="202px" border="0"/></p> São mais de dois quilómetros de obras que vão beneficiar as freguesias de Delães, Oliveira S. Mateus e Oliveira Santa Maria, no concelho de Vila Nova de Famalicão, num investimento total superior a 700 mil euros. O presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, o presidente da Junta de freguesia de Delães, Manuel Silva e representantes das freguesias de Oliveira S. Mateus e Oliveira Santa Maria visitaram, esta quinta-feira, as obras que deverão ficar concluídas durante o Verão.

“O Caminho Municipal 1527 é uma ligação muito relevante no que diz respeito às acessibilidades no concelho, servindo diariamente milhares de pessoas e tornando-se por isso uma prioridade”, referiu Paulo Cunha.

De facto, este caminho municipal é uma via de ligação importante fazendo ponte entre várias artérias tais como EM543 (que liga Vila Nova de Famalicão a Oliveira S. Mateus), EM 574 (que liga Riba de Ave ao concelho de Guimarães), EN310 (via reclassificada para municipal que liga ao concelho de Santo Tirso), EN 204/5 (via também reclassificada que liga à EN 204 em Avidos e termina na EN 310 em Delães), por fim, ainda interliga a EM 510/1 (facilitando o acesso a Guimarães ou Vila Nova de Famalicão por Joane).

“É uma via importante que merecia estas obras de requalificação”, referiu o presidente da Junta de Delães, Manuel Silva salientando que “são muitas as pessoas que todos os dias atravessam esta estrada”. Por isso, “esta é uma obra fundamental que vai melhorar a qualidade de vida destas gentes e das freguesias”.

A intervenção visa melhorar as condições de segurança e ao mesmo tempo exponenciar a mobilidade pedonal. Assim, prevê-se a ampliação da via, onde for possível, com a construção de passeios, estacionamento, rede de drenagem de água pluviais, pavimentação e ainda a criação de uma zona lúdica arborizada com espelho de água, mesas e cadeira em granito.

Refira-se que a beneficiação desta via faz parte de um conjunto de obras da rede viária que a Câmara Municipal está a lançar para o terreno. Ao todo são seis intervenções que implicam um investimento municipal superior a 2,1 milhões de euros.
]]>
<![CDATA[Via verde para a folia do Carnaval]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_via_verde_para_a_folia_do_carnaval </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=109442&h=684fd" width="303px" height="202px" border="0"/></p> O Carnaval está à porta e em Vila Nova de Famalicão já não se pensa noutra coisa. Aqui o Carnaval celebra-se na véspera, na noite de segunda para terça-feira, com milhares de pessoas nas ruas, numa enorme festa coletiva onde todos participam. É seguramente uma das mais longas noites do ano em Vila Nova de Famalicão e para que ninguém falte à festa e todos viajem em segurança, a autarquia volta a reforçar a sua aposta num plano de mobilidade com autocarros gratuitos a partir de diversos pontos do concelho. Além disso, através de uma parceria com a CP – Comboios de Portugal, é possível viajar, por exemplo, desde Aveiro até Famalicão por apenas 2 euros, ida e volta.

“São cada vez mais as pessoas que nos procuram, oriundas dos mais diversos pontos do país e também da Galiza, para viverem esta noite carnavalesca”, afirma a propósito o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

Assim, para facilitar o acesso dos foliões à festa e para que tudo decorra em segurança, a autarquia está a preparar nove circuitos de transporte rodoviário gratuito, para a noite de 27 para 28 de fevereiro, mais dois do que no ano passado. Os autocarros saem das freguesias de Joane, Pedome, Riba de Ave, Bairro, Ribeirão, Fradelos, Gondifelos, Arnoso Santa Eulália e Portela, pelas 21h00 e pelas 21h45 e 22h30 em direção à cidade, com paragem em frente à Escola D. Sancho I. Os autocarros regressam às freguesias pelas 2h00, pelas 4h00 e pelas 6h00.

No que diz respeito, às viagens de comboio, os foliões podem adquirir o Bilhete Especial Carnaval por 2€, ida e volta, válido nos comboios urbanos do Porto, incidindo sobre 82 estações, situadas ao longo de quatro linhas ferroviárias num radial de 60 km à volta do Porto, incluindo a Linha de Aveiro; Linha de Braga; Linha de Caíde/Marco de Canaveses e Linha de Guimarães. Válido para os dias 26 e 28 de fevereiro e para a noite de Carnaval, a 27 fevereiro (compra antecipada até ao dia 26 de fevereiro).

O Carnaval de Famalicão é uma das grandes apostas culturais do município, atraindo todos os anos vários milhares de pessoas à cidade. É apontado como um Carnaval genuíno, espontâneo e verdadeiramente surpreendente.

Por isso, esta é “uma excelente oportunidade para os foliões vivenciarem a experiência do Carnaval de Famalicão, mas também para ficarem a conhecer melhor o nosso concelho, as nossas gentes, a nossa cultura e a nossa identidade”, afirmou Paulo Cunha, que considera o carnaval como “uma aposta de marketing territorial”.

Tendo como palco principal a zona envolvente ao Parque da Juventude, nomeadamente as ruas Luís Barroso, Luís de Camões, Praça 9 de Abril, Avenida de França e Rua D. Fernando I, a festa estende-se por toda a cidade.

Para além da noite de Carnaval, a Câmara Municipal aposta este ano também numa descentralização da animação carnavalesca em várias freguesias do concelho.
]]>
<![CDATA[Ténis vai crescer em Famalicão]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_tenis_vai_crescer_em_famalicao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=109418&h=add53" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Está em construção o novo Complexo de Ténis de Famalicão. A obra está no terreno desde o início desta semana e deverá estar concluída até finais de junho deste ano, altura em que Vila Nova de Famalicão vai ganhar uma nova infraestrutura desportiva com quatro novos campos de ténis de piso rápido. A obra, que é responsabilidade do Ténis Clube de Famalicão e vai permitir ao clube melhorar as condições da formação da modalidade e acolher futuras competições nacionais e internacionais.

O Município está diretamente envolvido na intervenção, através de um apoio financeiro para esta primeira fase de 240 mil euros, a que se junta a elaboração do projeto e a cedência do espaço, por cinco anos renováveis, no espaço envolvente às piscinas municipais.

Para o presidente do Ténis Clube de Famalicão, Miguel Araújo, a obra representa “o concretizar de um antigo anseio” dando condições para o crescimento do clube e da prática da modalidade no concelho.

Fundado em 1997, o Ténis Clube de Famalicão (TCF) é uma associação desportiva que se dedica, exclusivamente, ao desenvolvimento da modalidade de Ténis, reunindo cerca de uma centena de atletas de formação, sendo a maioria federados e com participação regular em competições da modalidade, distribuídos pelos escalões Sub-18; Sub-16; Sub-14;Sub-12; Sub-10.

O Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, fala numa intervenção “importante para a democratização desportiva no concelho, porque aumenta a diversidade de equipamentos desportivos disponíveis em Famalicão, sobretudo na área da formação e da ocupação dos tempos livres dos mais novos”.
]]>
<![CDATA[Bombeiros de Riba de Ave gratos]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_bombeiros_de_riba_de_ave_gratos </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=109423&h=f578a" width="303px" height="202px" border="0"/></p> “O Senhor Presidente da Câmara merece a nossa gratidão e o nosso reconhecimento porque a nossa associação humanitária muito lhe deve. Muito obrigada por tudo o que tem feito por nós.” Palavras de Maria José Gonçalves, Presidente da Direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Riba de Ave, proferidas ontem, 14 de fevereiro, no átrio dos Paços do Concelho, perante o edil famalicense, no ato da entrega simbólica de novo equipamento de proteção individual à instituição. São vinte novos capacetes para incêndios florestais que a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão cedeu à corporação ribadavense, num investimento de 2.500 euros, mediante a celebração de um protocolo de cooperação financeira.

A responsável sublinhou ainda que “o apoio da Câmara Municipal tem sido essencial para que a associação humanitária realize um trabalho de excelência, salvaguardando a segurança dos seus bombeiros e cumprindo a sua missão de proteger as populações”.

Às palavras de elogio de Maria José Gonçalves, Paulo Cunha respondeu com um agradecimento recíproco. “Fico sensibilizado por essas palavras. Mas nós é que temos de agradecer ao corpo de Riba de Ave a dedicação e o trabalho absolutamente fundamental no socorro às populações. Temos de ser justos com os homens e as mulheres que se dedicam às causas humanitárias”, assinalou, enaltecendo ainda “a enorme competência e empenho nas suas funções” da direção e do comando dos Bombeiros de Riba de Ave.

Recorde-se que o Município de Vila Nova de Famalicão foi recentemente distinguido com a Menção Honrosa do Prémio Bombeiro de Mérito, atribuída pela Liga dos Bombeiros Portugueses, pela estreita relação que mantém com as suas três corporações de bombeiros. A autarquia famalicense atribui a cada corpo de bombeiros um subsídio anual na ordem dos 120 mil euros.
]]>
<![CDATA[Novo Posto dos CTT já está a funcionar em Esmeriz e Cabeçudos]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_novo_posto_dos_ctt_ja_esta_a_funcionar_em_esmeriz_e_cabecudos </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=109433&h=8db75" width="303px" height="202px" border="0"/></p> A população das freguesias de Esmeriz, Cabeçudos e localidades vizinhas já têm ao seu dispor um novo e moderno posto dos CTT, que disponibiliza todos os serviços de uma loja própria dos correios, evitando assim a deslocação das pessoas à cidade de Vila Nova de Famalicão. O espaço que está a funcionar desde meados de janeiro, na Casa de Esmeriz, que acolhe também a junta de freguesia, recebeu, esta terça-feira, a visita do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, e do representante dos CTT, Pedro Neves.

A recebê-los estava o presidente da União das Freguesias de Esmeriz e Cabeçudos, Armindo Mourão, que considerou “o espaço de grande utilidade para a população”. “Percebemos que tínhamos aqui um espaço com qualidade e com todas as condições para servir a população, nesse sentido tomamos a iniciativa de desafiar os CTT a instalarem-se cá, criando assim, um serviço público de proximidade”, explicou o autarca. O balcão com duas funcionárias funciona de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 12h00 e das 14h30 às 18h00.

“Depois de recebermos o desafio da Junta de Freguesia, de conhecermos o espaço e as pessoas percebemos que podíamos ter aqui uma parceria duradoura, porque tínhamos interesses comuns”, afirmou, por sua vez, o representante dos CTT, Pedro Neves, acrescentando que “por um lado os CTT têm a consciência de que querer servir melhor as populações aqui em Famalicão – e Esmeriz corresponde a essa necessidade – e por outro lado percebemos que também da junta de freguesia existe esta visão muito virada para servir as pessoas e foi a conciliação destas duas visões que, no fundo são a mesma, que permitiram que esta parceria se estabelecesse”.

Paulo Cunha mostrou-se também muito satisfeito com a abertura deste novo espaço em Esmeriz. Segundo o autarca “os serviços de proximidade são sempre importantes e termos serviços públicos perto das pessoas significa que as pessoas têm de se deslocar menos para ter acesso aos mesmos”, referiu. Elogiando o trabalho desenvolvido pelos presidentes de junta do concelho neste âmbito, Paulo Cunha sublinhou também “a disponibilidade dos CTT para alargar uma rede de balcões em todo o concelho e não obrigar as pessoas a deslocarem-se para os postos que já existem”.

“É mais um sinal que quando unimos esforços pode-se proporcionar melhores serviços às populações. Quem fica a ganhar são as pessoas, neste caso, não só de Esmeriz mas também das redondezas”, destacou.
]]>
<![CDATA[Famalicão cidade têxtil afirma-se]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_cidade_textil_afirmase </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=109388&h=afa98" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Paulo Cunha reafirmou ontem a ambição de fazer com que Vila Nova de Famalicão seja reconhecida como a cidade têxtil de Portugal. E fê-lo na presença do Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e de duas centenas de atores europeus e nacionais do sector. Ambos participaram, no Porto, num jantar no âmbito da iTechStyle Summit, a primeira conferência internacional do têxtil e vestuário organizada pelo Citeve, centro tecnológico sediado em Vila Nova de Famalicão, e pela Associação Selectiva Moda e apoiada pela autarquia famalicense.

O Presidente da Câmara Municipal foi assertivo: “A cidade têxtil em Portugal é Vila Nova de Famalicão. E é-o pela sua história, pelos seus empresários e pelas suas empresárias, pelo dinamismo, pela qualificação, pela investigação, pela inovação. Mas também porque tem os melhores centros tecnológicos, tem muitas das mais brilhantes empresas do sector, tem a Associação Têxtil e do Vestuário de Portugal e, ainda, porque é notada a nível mundial pelas competências tecnológicas que o têxtil incorpora”.

Palavras de que o Ministro da Economia tomou boa nota já que enalteceria depois, na sua intervenção, a força do sector em Vila Nova de Famalicão bem como a acuidade de Paulo Cunha. “O Presidente da Câmara de Vila Nova de Famalicão tem um papel muito importante neste sector que está a crescer e de que o país se orgulha”, observou Caldeira Cabral.

O Norte de Portugal é a região da Europa de maior relevância para o sector. Vila Nova de Famalicão é o epicentro dessa região que acolhe uma fileira completa, estruturada, flexível e dinâmica e onde, num raio de 60 quilómetros, a indústria têxtil pode oferecer ao cliente todas as soluções necessárias dentro da cadeia de produção. Acresce que Vila Nova de Famalicão é considerado também o concelho onde o sector têxtil e vestuário tem a grande força do seu desenvolvimento, com grandes marcas e empresas produtoras e reconhecidas infraestruturas tecnológicas e de inovação.

Uma conjugação de fatores que Paulo Cunha está cada vez mais apostado em capitalizar, agora através da iTechStyle Summit e dentro em breve com a participação do município no Cluster Têxtil de Portugal.

“Porventura, há vinte ou trinta anos, muitos acharam que Famalicão seria hoje um território de excelência para arqueologia industrial. Em Famalicão, felizmente, há arqueologia industrial através do Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave. Mas Famalicão é hoje um território de excelência porque cumpre também as várias dimensões do têxtil, sector associado ao vestuário e ao lar, mas cada vez mais ao automóvel, à aeronáutica, à segurança, à proteção e até à saúde”, notou ainda, concluindo: “É um privilégio ser Presidente de Câmara de um concelho que soube dobrar uma das esquinas mais difíceis da sua história. Os empresários e as empresárias do meu concelho e do Vale do Ave são os maiores responsáveis pelo sucesso que o têxtil hoje tem”.]]>