Município de Famalicão: Notícias e Informações Úteis http://www.vilanovadefamalicao.org Últimas 10 notícias 15 asdad asdasd dasdad <![CDATA[Projetos visionários famalicenses vão merecer o reconhecimento público do município]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_vai_distinguir_quem_tem_visao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=104953&h=3918b" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Os famalicenses vão ter mais tempo para se candidatarem ao reconhecimento público do município pelos seus projetos individuais e coletivos visionários e que lhes dará direito a ostentarem o selo “Famalicão Visão 25”. O período das candidaturas ao concurso, inicialmente aberto atá ao dia 30 de junho, foi prorrogado até 11 de Julho.

Promovida pelo município de Vila Nova de Famalicão, a iniciativa tem como objetivos o reconhecimento público de iniciativas, ações ou projetos, produtos ou serviços que contribuam para que, até 2025, o concelho se afirme como uma sociedade coesa e solidária, com uma economia inovadora e empreendedora, em convivência com uma paisagem urbano-rural ambientalmente qualificada e única.

No fundo, o selo será o prémio que irá identificar e reconhecer as boas práticas com impactos positivos no território, na economia e na sociedade, que sejam inovadoras e inspiradoras, que expressem os valores e reforcem a identidade famalicense. Podem concorrer aos selos empresas, associações, escolas ou movimentos informais.

“Queremos distinguir os projetos e iniciativas promovidas por esta gente empreendedora, ações que contribuem para o fortalecimento da nossa terra e impulsionam o crescimento inteligente, sustentável e inclusivo de Vila Nova de Famalicão”, explica o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, acrescentando ainda que “queremos que estas iniciativas sirvam de exemplo para a comunidade e sejam também um motivo de orgulho coletivo”.

O concurso surge no âmbito do Plano Estratégico 2014-2025 para o concelho e integra quatro categorias. A primeira diz respeito ao Famalicão Made IN e abrange os projetos empreendedores que potenciam a incorporação tecnológica e a aplicação de soluções de futuro, desenvolvendo uma economia baseada no conhecimento e na inovação e que aumentam a competitividade e internacionalização. A segunda categoria tem a ver com o programa B-Smart Famalicão e irá reconhecer os projetos que promovam uma economia mais eficiente na utilização dos recursos.

Na terceira categoria está a Força V do concelho, que se traduz em Famalicão Voluntário, e que inclui os projetos que reforçam o capital social presente nas práticas de intervenção e animação comunitária e impulsionam novos ambientes de participação e envolvimento ativo. Por fim na categoria Famalicão Comunitário serão reconhecidos os projetos que promovam a corresponsabilização dos cidadãos e que se distingam enquanto projetos coletivos, de cooperação e colaboração entre atores públicos e privados e potenciadores dos valores do futuro.

As candidaturas devem ser apresentadas até 11 de julho, mediante preenchimento do formulário disponível no site do município em www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_visao_25.

A atribuição do selo será decidida por um júri, constituído por diversas pessoas de diferentes áreas. O selo consiste na criação de uma logomarca, identificativa da categoria e do ano a que diz respeito, constituindo-se como um elemento distintivo em ações de comunicação e publicidade e funcionando como um reconhecimento público pelo trabalho desenvolvido.

A entrega dos Selos Famalicão Visão’25 será realizada no dia 28 de setembro, dia do concelho.

]]>
<![CDATA[Grupo da Tiffosi surpreende com nova marca de moda]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_grupo_da_tiffosi_surpreende_com_nova_marca_de_moda </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=104881&h=e209f" width="303px" height="202px" border="0"/></p> A Tiffosi está mais pujante que nunca. A marca famalicense especializada em vestuário de ganga renasceu, está a crescer e promete marcar a diferença para impor-se ainda mais como uma referência à escala global. A estratégia já começou a ser implementada e é agora reforçada com o lançamento de uma nova variante de negócio: os acessórios de moda.

‘Vilanova’ é o nome da nova marca para jovens mulheres que a Tiffosi já comercializa em Portugal em sete lojas próprias (número que deverá duplicar até ao final do ano) e que vai expandir para o estrangeiro. Em Vila Nova de Famalicão a primeira loja abre a 29 de julho, no centro da cidade. No próximo ano o grupo VNC – Vila Nova Carneiro, que detém a Tiffosi, tem planos para abrir uma nova loja a cada semana, perspetivando a criação de 350 novos postos de trabalho.

Garantir a qualidade dos produtos, associada a preços competitivos, é o que a marca ‘Vilanova’ propõe, apresentando-se como dinâmica e urbana.

O Presidente da Câmara de Famalicão conheceu este novo projeto durante a visita que hoje realizou à empresa no âmbito do roteiro Famalicão Made IN. Momento que Paulo Cunha aproveitou para lembrar o contributo da Tiffosi para que o sector têxtil tenha em Vila Nova de Famalicão a grande força do seu desenvolvimento. “Temos o privilégio de concentrar alguns dos pesos mais pesados da indústria têxtil portuguesa, com lugar garantido no ranking das maiores empresas do sector, como é o caso da Tiffosi”, assinalou.

A Tiffosi ganhou uma segunda vida depois de o grupo VNC — Vila Nova Carneiro, liderado por António Vila Nova, a ter resgatado à Cofemel, em 2008. Hoje a empresa de Lousado goza de um momento áureo, que a nova marca atesta. “A ‘Vilanova’ é uma nova variante de negócio em que se identifica elevado potencial e claras sinergias com a marca Tiffosi. Vamos aposta nela para crescer a nível nacional e internacional”, enfatizou o empresário.

Os números traduzem bem o crescimento da Tiffosi: previsão de 168 milhões de euros de faturação em 2016, cerca de 1000 colaboradores e 1800 clientes, vendas para 20 mercados e uma rede de 80 lojas em Portugal e no estrangeiro.

António Vila Nova é um dos rostos que deu à Tiffosi uma nova vida. Qual o segredo? “Basicamente, pegámos na empresa, demos-lhe uma orientação específica e fizemos uma boa gestão de stocks”, explica. No fundo, a passagem para um projeto “com perspetivas de crescimento nacional e internacional” baseia-se numa espécie de trilogia. “Temos produtos certos, vendemo-los no local certo e oferecemos uma relação qualidade-preço fantástica”, apontou.

De resto, este último ponto é a chave da nova Tiffosi, erguida um pouco à imagem do grupo Inditex. “Queremos oferecer muito por pouco”, descreveu António Vila Nova.

O gestor não esconde que o objetivo é ter a empresa, dentro de dez anos, “como uma das melhores marcas de jeans num ambiente europeu”. O caminho passa pela internacionalização e pelo arrojo. A marca prepara uma nova investida no estrangeiro, depois de já se vender em lojas multimarca nos principais mercados europeus, e diz estar a revolucionar os jeans para as mulheres. E isso já se traduz em exemplos práticos como o conceito de calças de tamanho único, ‘One size fits all’, 100% elásticas, capazes de se moldarem a qualquer silhueta feminina e retornarem ao tamanho inicial.

]]>
<![CDATA[A chave do futuro está na sociedade civil]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_a_chave_do_futuro_esta_na_sociedade_civil </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=104901&h=33218" width="303px" height="202px" border="0"/></p> “O desenvolvimento da sociedade civil será num futuro próximo o grande fator de diferenciação e de afirmação dos territórios.” O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão não tem dúvidas quanto ao “papel decisivo” que vão ter as organizações não-governamentais no futuro da comunidades.

Não é a primeira vez que Paulo Cunha sensibiliza as comunidades do concelho para esta realidade, mas este fim-de-semana ficou particularmente marcado por um reforço da mensagem. Aproveitando o início de um ciclo comemorativo de aniversário de várias freguesias de Famalicão, o autarca aproveitou o Dia da Freguesia de Gavião, de onde é natural, para pedir uma vez mais à comunidade para que todos sejam “contribuintes líquidos do desenvolvimento famalicense”.

“A Câmara Municipal está concentrada em dotar o concelho e todas as suas freguesias de infraestruturas essenciais nas áreas do Ambiente, das Acessibilidades, da Educação e do Desporto, mas o que no futuro vai distinguir os territórios e os diferenciar dos demais não será o nível de infraestruturação mas a força da sociedade civil”, referiu Paulo Cunha. E acrescentou: “No passado, o nível de desenvolvimento era diretamente proporcional ao volume do investimento público, mas no futuro esse desenvolvimento estará mais dependente da dinâmica associativa e empresarial e da força voluntária das comunidades”.

Mais do que uma prenda, é pois um desafio o que o Presidente da Câmara Municipal leva às freguesias de Famalicão, não descurando o papel desempenhado pela Câmara Municipal neste processo. “Continuamos a fazer o nosso trabalho ao nível das infraestruturas e neste momento até temos no terreno um conjunto simultâneo de investimentos sem precedentes no ambiente, na educação e nas acessibilidades, mas também temos uma dinâmica como nunca absolutamente inovadora que puxa pelas dinâmicas associativas e empresariais e as valoriza”. Paulo Cunha referia-se naturalmente às Mostras Associativas que ao longo do ano percorrem todas as freguesias do concelho, valorizando e puxando pelas dinâmicas de cada uma, assim como às dinâmicas da valorização empresarial através do projeto Famalicão Made IN.

Neste fim de semana foram as freguesias de Gavião e Vermoim que celebraram os seus aniversários. No próximo fim-de-semana será a vez de Joane e Ribeirão apagarem as suas velas.
]]>
<![CDATA[Rui Unas no ON Summer Fest]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_rui_unas_no_on_summer_fest </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=104941&h=36921" width="202px" height="202px" border="0"/></p> O Festival de Verão da Juventude – ON Summer Fest – regressa já no próximo sábado dia 2 de julho, para dar as boas-vindas ao verão de Famalicão.

Esta segunda edição do festival, renovada e com projetos musicais de elevada qualidade e talento, traz ao palco do ON nomes como os Broke Addiction, os PWR – IN, os Sleeping Forest, os Scars and Remains, os Dona Maria e os Terra Batida, naquela que será uma maratona de cerca de oito horas com início a partir das 16h, no Parque 1º de Maio, em Vila Nova de Famalicão.

Um dia de muito Pop-rock, Indie rock, Jazz e Blues, onde não poderia faltar um convidado muito especial, Rui Unas, actor, apresentador, podcaster, youtuber, MC e produtor, que juntamente com o DJ Van Breda, promete agitar a noite famalicense.

De salientar que o ON Summer Fest é mais uma aposta do Município de Vila Nova de Famalicão, através do pelouro da Juventude, no apoio a jovens músicos, a par dos Ensaios Abertos e da Escola de Instrumentos Tradicionais Portugueses. Esta segunda edição do festival vem reafirmar a pretensão da autarquia de criação de uma incubadora de talentos musicais com o objetivo de divulgar, apresentar e projetar jovens músicos no panorama musical local, regional e nacional. Só no último ano de atividade foram apresentados à comunidade mais de 30 projetos musicais.
]]>
<![CDATA[Câmara ajuda 92 famílias a pagar as rendas]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_camara_ajuda_92_familias_a_pagar_as_rendas </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=104806&h=a2376" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Através do programa “Casa Feliz – Apoio à Renda”, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai ajudar 92 famílias do concelho, com carências económicas, a cumprir os seus compromissos financeiros com as rendas das suas habitações. A medida implica um investimento municipal anual de 99 mil euros e foi aprovada por unanimidade, durante a última reunião do executivo municipal, que decorreu na terça-feira.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, o grande objetivo deste programa é “criar condições para que as famílias que, por qualquer motivo estão numa situação de carência económica, possam suportar as rendas e evitar despejos por falta de pagamento”. “Trata-se de um apoio temporário de modo a proporcionar a possibilidade de reequilíbrio do orçamento familiar”, acrescentou.

Este ano, foram apresentadas cerca de 200 candidaturas, tendo sido contemplados com o apoio perto de metade – 92 beneficiários. Os apoios são divididos em três escalões A, B e C, correspondendo a 100 euros, 75 euros e 50 euros mensais. Com o escalão A foram beneficiadas 62 famílias, com o Escalão B 22 e com o Escalão C 8 famílias.
Refira-se que a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão criou em 2005, o programa Casa Feliz com apoio às obras, onde as famílias que mais precisam têm direito a uma ajuda financeira que pode chegar aos 5 mil euros, para reabilitar as suas casas, proporcionando as condições mínimas de bem-estar. Neste âmbito, já foram beneficiadas várias centenas de famílias.
Em 2012, o programa Casa Feliz foi alargado com o apoio à renda. Aqui o objetivo é, precisamente, apoiar as famílias famalicenses que se encontrem a viver em habitações arrendadas e que, de uma forma temporária e inesperada, se vejam sem condições financeiras para cumprirem os contratos celebrados com os seus senhorios.
]]>
<![CDATA[Câmara democratiza o acesso a todas as modalidades desportivas]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_camara_democratiza_o_acesso_a_todas_as_modalidades_desportivas </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=104863&h=e392e" width="303px" height="202px" border="0"/></p> A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão deu, esta sexta-feira, um gigantesco passo na democratização do desporto no concelho, ao celebrar protocolos com 25 associações desportivas do país para o pagamento das inscrições e seguros de jovens atletas, em escalões de formação. “Com esta medida estamos a dar um sinal claro às associações, às famílias e aos atletas famalicenses de que a autarquia apoia o desporto, em toda a sua diversidade”, explicou o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha. “Acima de tudo, queremos criar condições para que todos os jovens famalicenses tenham acesso ao desporto, qualquer que seja a modalidade escolhida”, acrescentou.

Refira-se que desde 2003, que a autarquia famalicense apoia a formação desportiva de cerca de 2500 jovens, por ano, através do pagamento relativo aos seguros e às inscrições nos escalões de formação na Associação de Futebol de Braga, num investimento anual superior a 90 mil euros. A partir de agora, a medida é alargada a todos os desportos com formação, abrangendo um total de mais meia centena de modalidades.

“Trata-se de uma questão de justiça social e desportiva”, realçou ainda Paulo Cunha, afirmando que a autarquia apoiará sempre a escolha dos jovens. “Hoje, foram 25 protocolos mas se amanhã surgir uma nova modalidade estamos cá para a apoiar”, salientou sem, no entanto, querer assumir pioneirismos com esta medida. “Não sei se somos ou não a única autarquia do país a conceder este apoio com esta abrangência, mas o importante não é isso, o importante é incentivarmos cada vez mais jovens a praticarem desporto e a fazerem o que gostam”.

No caso do Xadrez, Vila Nova de Famalicão é mesmo a única autarquia do país a conceder este apoio. De acordo com o presidente da Federação Portuguesa de Xadrez, Dominic Cross, “esta é uma forma muito interessante e única de apoiar e incentivar o xadrez, num concelho que tem dado ao país muitos campeões”.

Por sua vez, o presidente da Associação de Natação do Norte de Portugal, Aníbal Pires, considerou o apoio da autarquia famalicense “muito importante”. “Nesta altura, se não houver o apoio das autarquias, as dificuldades são maiores”, referiu.

No total, serão beneficiados cerca de 5 mil atletas, do atletismo ao ciclismo, do rugby ao hóquei, do andebol ao xadrez, das artes marciais ao ténis. A medida envolve um investimento estimado de 150 mil euros.

Paulo Cunha lembrou ainda que para além deste apoio, a autarquia financia todos os anos os exames médicos obrigatórios a todos os jovens atletas.
]]>
<![CDATA[Paulo Cunha foi a Riba d’Ave homenagear o clube de hóquei e a comunidade ]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_paulo_cunha_foi_a_riba_dave_homenagear_o_clube_de_hoquei_e_a_comunidade </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=104797&h=a7a77" width="297px" height="202px" border="0"/></p> Orgulho, honra e alegria. Foram estes os sentimentos que estiveram à flor da pele ontem, 23 de junho, em Riba de Ave na homenagem que o município fez ao Riba d’Ave Hóquei Clube (RAHC) pela subida ao escalão nacional. Atletas, equipa técnica e direção não esconderam a satisfação pelo reconhecimento público que o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, fez questão de fazer aos obreiros da façanha.

Porque foi uma verdadeira proeza o feito conseguido pelos homens comandados pelo técnico Diogo Pereira. Com uma equipa jovem e um orçamento limitado o RAHC agigantou-se, superou as expetativas e contrariou muitos dos prognósticos iniciais.

A sessão solene decorreu no Salão Nobre da Junta de Freguesia que encheu para acolher uma sessão solene municipal descentralizada, próxima da comunidade “que apoiou e alavancou o sucesso da equipa”, explicou o presidente do município. E acrescentou: “viemos para a capital do hóquei patins de Famalicão”. A presidente da Junta de Freguesia, Susana Pereira, e o presidente da direção da coletividade, Rui Santos, mostraram-se “honrados, compensados e reconhecidos” com a iniciativa do presidente da autarquia que, disseram, “dá alento e força para o clube continuar a acrescentar bonitas páginas à sua já longa história”.

O segredo do sucesso foi a qualidade dos atletas e da equipa técnica, mas também a estabilidade e boa organização diretiva. “É um clube que está muito bem estruturado, que sabe o que faz, galvaniza e mobiliza”, disse o presidente da Câmara, lembrando o apoio e envolvimento da comunidade e da Junta de Freguesia como fatores determinantes para o sucesso.

Entretanto é já de futuro que se fala no RAHC. “A próxima época está já a ser preparada com afinco por toda estrutura com o intuito de, não só manter a equipa sénior no principal escalão do hóquei nacional, como de continuar o bom trabalho que tem sido feito na formação”, assinala Rui Santos.

Saliente-se que que nas últimas duas épocas o Riba d’Ave Hóquei Clube e o Hóquei Clube de Braga, são as únicas equipas minhotas a terem em competição todos os escalões de formação de hóquei em patins.

]]>
<![CDATA[24 Horas BTT de Famalicão vão contar com a pedalada de 900 atletas]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_24_horas_btt_de_famalicao_vao_contar_com_a_pedalada_de_900_atletas </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=104729&h=15a5a" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Bicicletas, amigos, Dj’s e campismo. As 24 Horas BTT de Vila Nova de Famalicão regressam nos dias 9 e 10 de julho e os ingredientes parecem estar todos reunidos para um fim-de-semana de muita animação e adrenalina.

Quem já participou confirma que não há prova como esta. Se para uns é uma farra de 24 horas consecutivas, para outros é um intenso desafio à resistência física. O certo é que para todos o resultado final é de uma imensa satisfação. Assim tem sido em anos anteriores e assim será também desta vez.

Organizada pela Associação Amigos do Pedal com o apoio da autarquia famalicense, a prova entra na sua sétima edição com lotação esgotada.

Ao todo serão 900 os atletas que vão participar nas 24 Horas BTT de Famalicão, que este ano ficarão marcadas pelo regresso à Urbanização Talvai, uma zona nobre do Município de Famalicão, situada às portas da cidade.

As 24 Horas BTT mudam de figurino, mas de acordo com a organização, “mantêm os atrativos que fizeram desta prova uma das mais participadas do país e da Europa no género”.

O percurso terá uma distância de sensivelmente 8 quilómetros em circuito fechado e irá abranger a magnífica e luxuriante mancha rural e florestal do concelho famalicense.

Mais informações no site oficial da prova.
]]>
<![CDATA[Famalicão avança para a criação de centro de competências para o agroalimentar]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_avanca_para_a_criacao_de_centro_de_competencias_para_o_agroalimentar </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=104775&h=1a0e8" width="304px" height="202px" border="0"/></p> A criação de um Centro de Competências do Agroalimentar para o setor das carnes está mais próxima de ser uma realidade em Vila Nova de Famalicão. Assumindo a liderança do processo e da iniciativa, a Câmara Municipal vai assinar um protocolo de colaboração para a implementação desta estrutura estratégica para o concelho com 16 instituições da região e do país.

O documento será celebrado entre o município e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, a Agência Nacional de Inovação, a Confederação dos Agricultores de Portugal, a Associação Portuguesa dos Industriais de Carnes, a Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição, a PortugalFoods, o Centro de Nanotecnologia, Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes, o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, a Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Ave, a Universidade Lusíada Norte, a Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário, o CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal e a Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto.

É um grupo de peso para congregar esforços e canalizar energias para a implementação deste Centro de Competências, o qual terá como missão potenciar o aumento da competitividade e inovação das empresas através do desenvolvimento científico e tecnológico e ser agente proporcionador do aumento das exportações e da criação de valor no setor das carnes de forma integrada e sustentável.

A proposta para a formalização do protocolo e a respetiva minuta foi aprovada na reunião de ontem, 21 de junho, do Executivo Municipal, tendo merecido a unanimidade da vereação autárquica.

O setor agroalimentar é identificado como prioritário na agenda do plano estratégico concelhio perante o carácter distintivo do conhecimento, do saber-fazer resultante de uma longa tradição histórica e empreendedora no concelho e da forte presença de inúmeras empresas do setor no mercado nacional e internacional.

Vila Nova de Famalicão quer assim reforçar o seu posicionamento como epicentro regional de base altamente tecnológica e inovadora na área do têxtil e do vestuário, e colocar-se no mesmo patamar ao nível do setor agroalimentar. Para isso, ao CITEVE e ao CENTI a Câmara Municipal vai juntar em Famalicão um Centro de Competências Agroalimentar.

Este passo está devidamente alicerçado na existência no território de um conjunto de empresas altamente competitivas e tecnologicamente avançadas que fazem já de Famalicão um dos mais relevantes municípios neste setor e com as quais o município está devidamente articulado.
]]>
<![CDATA[IV Conferência Internacional de Engenharia de Biodental decorre na Casa das Artes]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_iv_conferencia_internacional_de_engenharia_de_biodental_decorre_na_casa_das_artes </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=104782&h=0bc4d" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Está a decorrer até amanhã, dia 23, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão a IV Conferência Internacional de Engenharia de Biodental, promovida pela Universidade do Porto, através das Faculdades de Engenharia e de Medicina Dentária. A Conferência reúne engenheiros e médicos dentistas de todo o mundo representando vários campos científicos relacionados com a Medicina Dentária, Engenharia, Biomecânica, Bioengenharia, Biomateriais, entre outros. O presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, e o professor José Reis Campos, que faz parte do Comité de Organização da conferência, abriram esta quarta-feira os trabalhos.

O famalicense José Reis Campos que é atualmente professor associado na Faculdade de Medicina Dentária, da Universidade do Porto, agradeceu a cooperação da autarquia e da Casa das Artes na organização deste evento internacional deixando muito elogios à atuação de Paulo Cunha. Por sua vez, o autarca retribuiu os elogios e mostrou-se muito satisfeito, “por terem escolhido Vila Nova de Famalicão como palco desta iniciativa”. “É uma enorme honra e privilégio receber este evento internacional, dando-nos a possibilidade de dar a conhecer o nosso concelho, a nossa gastronomia e a nossa cultura”.

A conferência arrancou esta terça-feira e tem como objetivos solidificar conhecimentos no campo da engenharia aplicada à odontologia. Durante os debates, os participantes terão a oportunidade de apresentar e discutir temas relevantes e serão expostos a novas ideias e possibilidades para novos desenvolvimentos relativos aos campos de engenharia e medicina dentária.

Refira-se que a odontologia é um ramo da medicina com suas peculiaridades e muito diversas áreas de atuação. A utilização de novas técnicas e tecnologias é atualmente objeto de grande interesse, e esta série de conferências tem sido um espaço privilegiado de discussão entre todas as partes interessadas.
]]>