Município de Famalicão: Notícias e Informações Úteis http://www.vilanovadefamalicao.org Últimas 10 notícias 15 asdad asdasd dasdad <![CDATA[Paulo Cunha quer jovens mais participativos na vida de Famalicão]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_paulo_cunha_quer_jovens_mais_participativos_na_vida_de_famalicao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=88992&h=bfb34" width="304px" height="202px" border="0"/></p> “A vossa geração tem de participar ativamente no futuro de Vila Nova de Famalicão. Os vossos contributos contam e são valorizados”. Foi esta a principal mensagem que o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, transmitiu às dezenas de jovens que esta sexta-feira de manhã marcaram presença nas comemorações do primeiro aniversário da Casa da Juventude.

Associado à memória de muitos famalicenses, o edifício, que foi Colégio Camilo Castelo Branco na década de 40 e depois sede do Partido Comunista, continua hoje à disposição e a fazer parte da vida da juventude famalicense. “Os jovens sabem que aqui, muito mais do que encontrar respostas, podem deixar desafios, perguntas, ideias, sugestões e críticas. Este é um espaço de autodeterminação”, lembrou Paulo Cunha.

Durante a cerimónia o autarca aproveitou para desafiar os jovens a terem voz ativa nesta fase decisiva para o futuro de Vila Nova de Famalicão, em que o concelho está a definir prioridades estratégicas para a próxima década, através da iniciativa “Famalicão Visão’ 25”.

“É importante que os jovens marquem a sua posição. Não podem ter atitudes de indiferença, de não participação e de desinteresse perante o seu futuro. Não podemos esperar que sejam os outros a resolver os nossos problemas. Está ao vosso alcance dar contributos decisivos”.

As comemorações desta manhã ficaram ainda marcadas por três outros momentos. A inauguração de uma exposição de fotografia que mostra uma retrospetiva das obras de recuperação e transformação do edifício; a entrega de diplomas aos participantes no curso de formação de monitores, que agora vão integrar a bolsa de voluntariado da Juventude e ainda a inauguração do novo espaço de intervenção cultural criado junto à Casa da Juventude.

Sobre esta nova plataforma cultural, Paulo Cunha explicou que se trata de “mais uma valência para que os jovens do concelho se possam recriar e dar largas à sua imaginação”. O objetivo, referiu o edil, “é que possamos ter cada vez mais instrumentos ao serviço dos jovens para que estes possam, através da sua utilização, ser bem-sucedidos”.

Recorde-se ainda que, devido às condições meteorológicas adversas, foi adiado o concerto desta noite de Dengaz & Ahya Band na Casa da Juventude. O ponto alto das comemorações do primeiro aniversário do espaço fica assim adiado para nova data a anunciar em breve.


]]>
<![CDATA[Governo investe em Abade de Vermoim]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_governo_investe_em_abade_de_vermoim </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=88975&h=a066f" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Abade de Vermoim, uma das freguesias mais pequenas do concelho de Vila Nova de Famalicão, viveu, esta quinta-feira, um momento de grande importância e alegria, com a assinatura do contrato de financiamento da requalificação do Adro da Igreja, uma cerimónia que contou com a presença do Secretário de Estado da Administração Local, António Leitão Amaro. A sessão decorreu na “Casa do Abade” um edifício recentemente recuperado localizado junto à Igreja e que serviu de cenário à novela “O Comendador”, de Camilo Castelo Branco. De dimensão pequena, mas rica do ponto de vista patrimonial, integrando a memória camiliana, a freguesia ganha agora “um espaço de excelência e um centro cívico ao serviço da comunidade”, como referiu o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha.

O autarca mostrou-se muito satisfeito com o arranque da obra, considerando o momento “importante para a freguesia e para o concelho de Famalicão”. “É fundamental uma aposta na qualificação do nosso território de forma a que seja visitável e usufruído pela população”, salientou. De resto, Paulo Cunha foi apontado pelo Secretário de Estado como o grande responsável pela aprovação da candidatura de financiamento. “O presidente da Câmara Municipal teve grande influência na aprovação deste projeto”, afirmou António Leitão Amaro.

Em todo país foram aprovados apenas 15 projetos, sendo que Abade de Vermoim foi a única freguesia do concelho a apresentar candidatura.

Para o Secretário de Estado a sua presença em Abade de Vermoim responde a três razões, sendo que a primeira é “conhecer olhos nos olhos a realidade e a comunidade subjacente ao projeto”. A segunda é “deixar uma apelo simbólico à boa-gestão dos dinheiros públicos e à co-responsabilização”. E, por fim, explicar “a importância dos adros para a vida comunitária, enquanto espaços harmoniosos que estimulam a vida ativa em comunidade”.

Também o cónego José Paulo Abreu, que representou o Arcebispo Primaz D. Jorge Ortiga, sublinhou a importância dos adros “como palcos da vida”. “Requalificar estes espaços significa perceber a sua importância enquanto ponto irradiador da comunidade”.

Refira-se que o contrato foi celebrado entre a DGAL, a CCDRN e a Fábrica da Igreja de Santa Maria de Abade de Vermoim prevendo o financiamento de 70 por cento do valor total das obras de requalificação do Adro da Igreja, que ascende a 98.866 mil euros. Isto é, a DGAL através das dotações incluídas no PIDDAC, vai comparticipar a obra com o montante máximo de 69.206 mil euros. À CCDRN caberá a fiscalização e acompanhamento da intervenção. As obras deverão arrancar em breve e têm a duração de um ano.

Refira-se que a Câmara Municipal de Famalicão também comparticipa este projeto de grande relevância para o concelho, através da execução do projeto de arquitetura da obra. De acordo com a memória descritiva, o projeto visa essencialmente dotar o local de uma maior dignidade e centralidade. Para isso será redefinida a área do adro envolvente à igreja, criando-se na frente uma praceta a qual será pavimentada com um material mais nobre (granito). A praceta servirá de núcleo entre uma zona verde, o edifício da igreja e o edifício da paróquia.

Será ainda redesenhada uma via de acesso pedonal e viária temporária de acesso à Capela mortuária, que separa o adro da igreja da zona verde. Será ainda criado um espelho de água que servirá de fundo à igreja.

Recorde-se que a Igreja de Abade de Vermoim, datada do século XVIII, traduz uma traça comum para a época em que foi construída, destacando-se como um elemento patrimonial importante do concelho.
]]>
<![CDATA[António Fagundes apresenta em Famalicão comédia politicamente incorreta]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_antonio_fagundes_apresenta_em_famalicao_comedia_politicamente_incorreta </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=88957&h=3de5b" width="272px" height="202px" border="0"/></p> Em 1974 interpretou o papel do conquistador Petrucchio na novela “O Machão”, foi “O Rei do Gado”, em 1995, e mais recentemente, interpretou o papel do intransigente coronel Ramiro Bastos, no remake de “Gabriela”. Estes são apenas alguns dos papéis que marcam os 48 anos de carreira do conceituado ator brasileiro António Fagundes, que no próximo mês de outubro regressa a Vila Nova de Famalicão com a peça “Tribos”.

Esta é já a segunda vez que António Fagundes se apresenta na Casa das Artes de Famalicão, depois de em 2006 ter esgotado o grande auditório com a peça “As Mulheres da Minha Vida”. Em “Tribos” o ator volta a partilhar o palco com um elenco de luxo, numa peça em que divide protagonismo com o filho, o também ator Bruno Fagundes.

Premiada comédia da autoria de Nina Raine, “Tribos” usa a figura de um deficiente auditivo (Billy) para questionar os diversos tipos de limitação do ser humano e, de uma forma divertida e politicamente incorreta, revive as típicas questões familiares.

“Quem será mais surdo? Aquele que não consegue ‘calar-se’ o tempo suficiente para entender uma realidade diferente da sua, ou, aquele que fisicamente é incapaz de receber estímulos auditivos? Existirá surdez maior que o preconceito, o orgulho, a ignorância, o egoísmo ou a falta de amor?”, pode ler-se na sinopse da peça.

Com encenação de Ulysses Cruz, “Tribos” vai estar em cena na Casa das Artes nos dias 8, 9 e 10 de outubro, sendo que no dia 9, quinta-feira, contará com uma intérprete de língua gestual. Os bilhetes têm o custo de 25 euros, reduzindo para metade para os portadores do Cartão Quadrilátero Cultural. O espetáculo começa, rigorosamente, às 21h30, não sendo permitida a entrada após o seu início.

Mais informações no site oficial da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.
Bilhetes aqui

Ficha Técnica de “Tribos”

Entrada: 25 euros
Cartão Quadrilátero Cultural: 12,5 euros
M/12 Anos
Duração: 80 minutos
Autor: Nina Raine
Encenador: Ulysses Cruz
Interpretação: António Fagundes, Bruno Fagundes, Arieta Correia, Eliete Cigaarini, Guilherme Magon, Maíra Dvorek
Produção: Plano 6
]]>
<![CDATA[Famalicão reforça aposta social com inauguração de espaço intergeracional]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_reforca_aposta_social_com_inauguracao_de_espaco_intergeracional </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=88921&h=1a173" width="304px" height="202px" border="0"/></p> “As políticas de juventude do Município de Famalicão são um exemplo para toda a região”. Quem o afirma é o diretor regional do Instituto Português do Desporto e da Juventude, Manuel Barros, que ontem marcou presença na inauguração de mais uma infraestrutura concelhia dinamizada por jovens e que é frequentada também por adultos.

A Casa das Ideias, um projeto da PASEC – Plataforma de Educadores Socioeducativos e Culturais, que resulta da reconversão da antiga escola primária de Antas, cujas instalações a Câmara Municipal cedeu, integra um conjunto de valências, tais como uma escola de adultos, um social hostel com capacidade para 10 pessoas, um centro de atividades de tempos livres gratuito, uma escola de teatro inclusivo, um laboratório de jogos e um centro de treino de geocashing.

Pela Casa das Ideias passam semanalmente mais de 400 pessoas entre jovens e adultos. São já 30 os adultos que frequentam informática, língua portuguesa e modalidades desportivas na escola de adultos. Qualquer adulto pode inscrever-se naquela escola que é gratuita e pretende alargar as matérias a lecionar.

Para o diretor regional do IPDJ a Casa das Ideias “é mais um exemplo de que o Município de Famalicão é diferente e único e projeta, pensa e executa da melhor forma”. Manuel Barros elogiou ainda a PASEC pela reconversão do edifício e pelas valências colocadas em funcionamento, numa demonstração de que os jovens famalicenses “estão ativos, dinâmicos e felizes”.

O presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, também marcou presença na inauguração da Casa das Ideias, acompanhado pelos vereadores da Juventude e da Educação, Mário Passos e Leonel Rocha, respetivamente. O autarca agradeceu as palavras de Manuel Barros e também elogiou a PASEC pela “dimensão intergeracional” da Casa das Ideias. “Numa relação conjugada esta é uma casa da criatividade e da imaginação, tão necessárias para se ultrapassarem as dificuldades do presente”, sublinhou, assinalando ainda a aposta daquela plataforma na autoformação e na formação em grupo como importante para promover a empregabilidade.

A PASEC é uma estrutura de animação sociocultural que ao longo dos últimos sete anos tem implementado projetos juvenis baseados no modelo da democracia participativa. Em Portugal tem 53 grupos em onze concelhos de seis distritos.
]]>
<![CDATA[GNR sopram as velas ao Parque da Devesa]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_gnr_sopram_as_velas_ao_parque_da_devesa </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=88928&h=2a3c8" width="304px" height="202px" border="0"/></p> O Parque da Devesa, em Vila Nova de Famalicão, vai comemorar, no próximo dia 28 de setembro, o seu segundo aniversário e a data vai ser assinalada com pompa e circunstância com um programa de três dias – 26, 27 e 28. Por entre oficinas, teatro, palestras, espetáculos de música e muita animação, destaque para o concerto dos GNR, na noite de sábado, dia 27, no anfiteatro, com entrada livre. Ao todo são cerca de meia centena de eventos, destinados a públicos de todas as idades e com entrada livre e gratuita, sendo que em alguns casos os participantes são convidados a contribuir com um bem alimentar, que será depois entregue nas Lojas Sociais do concelho, ou com um pequeno eletrodoméstico avariado, para o Hospital de Monstros, onde ganharão nova vida.

A solidariedade, a saúde e o respeito pela natureza são, de resto, os conceitos que servem de mote a estas comemorações. “Queremos estreitar ainda mais os laços de afetividade que existem entre o Parque da Devesa e os famalicenses” refere a propósito o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, explicando que “desde há dois anos que o parque vem alterando os hábitos e as rotinas das pessoas, tornando-as mais preocupadas com o ambiente e um estilo de vida saudável”.

O programa incluirá, assim, quatro palestras dedicadas a temas relacionados com a agricultura familiar e biológica, assinalando o Ano Internacional da Agricultura Familiar (2014). As iniciativas serão seguidas de debate e recolha de sugestões inseridas no projeto “Estende a tua Visão”, no âmbito do “Famalicão Visão 25 – 25 Ideias para o Futuro”.

Destaque ainda para o Mercado Verde, que decorre ao longo dos três dias, entre as 16h00 e as 20h00. Produtores biológicos, como Estória d’um Cogumelo, Campo da Agra ou Quinta de Pindela, entre outros, licores artesanais, cerveja artesanal, cosmética natural, ou ainda comida de rua são alguns dos participantes.

No âmbito do programa de animação, referência ainda para o concerto das Contratadeiras a encerrar as comemorações no domingo, dia 28, pelas 19h00.

Consulte aqui o programa na íntegra.


]]>
<![CDATA[Famalicão Visão’ 25 começa nas pessoas]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_visao_25_comeca_nas_pessoas </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=88940&h=0c18d" width="269px" height="202px" border="0"/></p> As pessoas, os seus principais problemas e os desafios que atualmente enfrentam, são o tema central desta primeira semana temática da iniciativa “Famalicão Visão’ 25 - 25 ideias para o futuro”, dedicada ao “Crescimento Inclusivo” e que dá o ponto de partida para a preparação do próximo plano estratégico concelhio.

O combate à pobreza, o envelhecimento ativo, o emprego, a formação e a qualificação, são apenas alguns dos temas em reflexão durante esta semana e que dão mote a um conjunto de iniciativas que levarão a perceber o que ainda pode ser feito em Famalicão na área da inclusão social.

Foi o caso do encontro desta terça-feira na CESPU, que reuniu técnicos e responsáveis de várias instituições locais para tentar compreender quais as áreas com potencial de intervenção, que parceiros podem ser chamados a agir e que projetos poderão surgir em Famalicão para que no futuro este seja um concelho ainda mais inclusivo.

Assegurar o emprego de 75% da população entre os 20 e os 64 anos, reduzir a taxa de abandono escolar para menos de 10%, assegurar que pelo menos 40% da geração mais jovem dispõe de um diploma do Ensino Superior e reduzir o número de pessoas que vivem em risco de pobreza são as metas estabelecidas na Estratégia Europa 2020 para a Agenda do Crescimento Inclusivo e que servem agora de eixos de orientação para futuras ações a desenvolver no município famalicense.

Recorde-se que a iniciativa “Famalicão Visão’ 25 - 25 ideias para o futuro” decorre até ao dia 10 de outubro, e pretende envolver todos os famalicenses na elaboração do Plano Estratégico 2014-2025. A iniciativa estrutura-se em quatro semanas temáticas: esta semana, a primeira, será dedicada ao crescimento inclusivo, a segunda ao crescimento sustentável, a terceira ao crescimento inteligente e a última à governança do território.

Sofá Visão’ 25 – O conforto da Cidadania

Os famalicenses têm-se mostrado confortáveis em participar ativamente na vida coletiva do concelho. Desde a passada sexta-feira, 12 de setembro, que o Sofá Visão’ 25 tem vindo a percorrer vários espaços da cidade, tendo já recolhido inúmeras ideias e sugestões para o futuro de Vila Nova de Famalicão.

E quando falamos do futuro do concelho, este parece ser um assunto que a todos diz respeito. Entre jovens e seniores, foram já dezenas os famalicenses que se sentaram no famoso sofá amarelo para responder à pergunta - “Como gostariam de ver Vila Nova de Famalicão daqui a dez anos?”.

Mais acessibilidades e mais espaços verdes foram algumas das ideias até agora partilhadas. O Sofá Visão’ 25 vai continuar a ouvir o que esperam os famalicenses para o futuro do concelho até ao dia 10 de outubro.

Próximos locais e datas do Sofá Visão’ 25
Dia 17 Set – Feira Municipal e Praça D. Maria II (9h00)
Dia 18 Set – Rua Direita e Praça 9 de Abril (9h00)
Dia 19 Set – Joane (10h00)
Dia 22 Set – Escola Secundária D. Sancho I (9h00)

Saiba mais sobre o "Famalicão Visão' 25 - 25 ideias para o futuro" aqui.
]]>
<![CDATA[Crianças de Famalicão enchem mochila no primeiro dia de aulas]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_criancas_de_famalicao_enchem_mochila_no_primeiro_dia_de_aulas </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=88906&h=06e91" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Chegam à escola de pasta vazia e regressam a casa com a pasta cheia com todos os manuais escolares e fichas de apoio que precisam para o ano letivo. O ritual repete-se há 13 anos consecutivos em Vila Nova de Famalicão no primeiro dia de aulas do 1.º Ciclo do Ensino Básico e significa uma poupança de aproximadamente sessenta euros para as famílias do concelho, por cada aluno que fequente este nível de ensino. Este ano não fugiu à regra e o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, esteve no regresso às aulas da Escola Básica do Mosteiro, em Oliveira Santa Maria, para assinalar simbolicamente a entrega de 35 mil manuais escolares e fichas de apoio aos cerca de 5.500 alunos do 1.º Ciclo, num investimento municipal de cerca de 240 mil euros.

“É um bom ritual” diz o autarca famalicense desejando que o mesmo “se repita por muitos anos, porque é uma iniciativa bem-vinda para o orçamento familiar dos famalicenses e que significa uma aposta do município na educação e na igualdade de todas as crianças de Famalicão”.

Recorde-se que Vila Nova de Famalicão foi o primeiro concelho do país a introduzir a gratuitidade dos manuais no ano letivo 2002/2003, numa medida que Paulo Cunha classifica como sendo “de grande impacto social”. “É uma iniciativa que nos deixa orgulhosos e que nos faz sentir que estamos a cumprir bem a nossa missão!”, acrescenta o edil.

O primeiro dia de aulas ficou igualmente marcado em Vila Nova de Famalicão pelo arranque de uma nova frente de obras de reabilitação em três escolas do concelho, nas freguesias de Lousado, Bairro e Oliveira Santa Maria, num investimento global de 1,7 milhões de euros.

O investimento faz parte do processo de reabilitação do parque escolar do 1.º Ciclo do Ensino Básico que o município vem desenvolvendo de há uns anos a esta parte e incluiu a recuperação e modernização dos edifícios escolares, ampliação e arranjos urbanísticos da envolvente.

O presidente da Câmara Municipal visitou os três equipamentos escolares, certificou-se do andamento dos trabalhos e das condições alternativas que a câmara encontrou para as crianças enquanto decorrem as obras. “Foram soluções articuladas com a comunidade e solucionadas dentro da próprio comunidade, pelo que estão perfeitamente garantidas as melhores condições de trabalho para os alunos e professores enquanto decorrem as intervenções."

]]>
<![CDATA[Projeto famalicense de turismo vence Concurso de Ideias Minho Empreende]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_projeto_famalicense_de_turismo_vence_concurso_de_ideias_minho_empreende </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=88862&h=7f877" width="304px" height="202px" border="0"/></p> O projeto de uma jovem famalicense de criação de um serviço de agenciamento de férias adaptadas para seniores e pessoas com mobilidade reduzida residentes em Inglaterra foi um dos vencedores da segunda edição do Concurso de Ideias Minho Empreende a que concorreram 35 projetos inovadores de empreendedores da região.

Go Gal - Agency All About Portugal é o nome deste projeto de turismo que Vanda Ribeiro iniciou e se encontra ainda a desenvolver na incubadora da Casa da Juventude de Famalicão com o apoio da Câmara Municipal de Famalicão e das entidades promotoras daquele concurso cujos resultados foram ontem divulgados: a ADRAVE - Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Ave, o BIC Minho - Oficina de Empreendedorismo e Inovação Empresarial e a IN.CUBO - Incubadora de Iniciativas Empresariais Inovadoras.

Janeiro de 2015 é a data apontada por Vanda Ribeiro para o arranque da Go Gal - Agency All About Portugal, focada numa fase inicial em Inglaterra de onde pretende trazer grupos de idosos e pessoas com mobilidade reduzida a Portugal, especialmente ao Minho, oferecendo um agenciamento integrado da viagem, com alojamento, roteiros, animação turística e serviços de saúde complementares. A Holanda é o destino de aposta que se segue.

Para além da Go Gal - Access Portugal, que venceu o primeiro prémio da NUT Ave, foram ainda distinguidos com o primeiro prémio mais dois projetos inovadores: VermiSOLVE (NUT Cávado) e Produção de Rodovalho em Jangadas no Porto de Viana do Castelo (NUT Minho Lima). O premiado de cada NUT ganhou um ano de serviço de contabilidade e co-gestão, o desenvolvimento da imagem corporativa e uma publireportagem num programa televisivo generalista.

A cerimónia de entrega dos prémios do Concurso Minho Empreende decorreu na sede da ADRAVE, em Famalicão, e contou com as presenças do presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, do presidente do Conselho de Administração da ADRAVE, Armindo Costa, do Coordenador Geral da IN.CUBO, Francisco Araújo, do presidente do Conselho de Administração Executivo do BIC Minho, André Vieira de Castro, de uma representante do IAPMEI, Maria Manuel Trocado, do vice-presidente da CCDR-N, Carlos Neves, de um representante do Programa Operacional Regional do Norte - ON2, João Marrana, e do vice-reitor da Universidade do Minho, José Mendes.

Paulo Cunha elogiou as entidades promotoras do Concurso de Ideias Minho Empreende pelo sucesso da iniciativa e, numa intervenção dirigida aos participantes do concurso, enalteceu a “atitude e o atrevimento” dos empreendedores, incentivando-os a não desistirem de serem cidadãos ativos e interessados na construção do futuro. “Mesmo que as vossas ideias de negócio demorem a chegar ao mercado, não desistam. Muitas vezes existem progressos à custa de circunstâncias menos boas. E tão importante como a meta é o caminho e a aprendizagem nesse percurso”, disse.

De resto, o autarca sublinhou ainda que a Câmara Municipal de Famalicão, “enquanto ator público, quer ajudar a construir uma sociedade responsável e disponível que tenha espaço para o erro e margem de retorno”.

Refira-se que o Concurso de Ideias Minho Empreende está integrado no projeto Minho Empreende – Competitividade e Empreendedorismo em Baixa Densidade.
]]>
<![CDATA[Famalicão quer ter Visão]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_quer_ter_visao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=88868&h=1ac4a" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Vila Nova de Famalicão, 11 de setembro de 2014. Aquilo que se esperava ser apenas uma sessão de lançamento da fase de preparação para o Plano Estratégico 2014-2025, acabou por ser muito mais que isso, foi uma convocação coletiva para o exercício ativo da cidadania. Durante cerca de dez minutos, o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, explicou, às várias centenas de pessoas presentes na sessão, o que se pretende com a iniciativa “Famalicão Visão 25 – 25 ideias para o futuro”. Paulo Cunha quer transformar a sociedade, quer criar um novo modelo de governança, quer colocar os famalicenses a decidir sobre o que querem para o futuro do concelho.

“Porque é do nosso futuro que se trata, não é do futuro do executivo camarário nem do futuro de um comissariado por muito habilitado que ele seja, é do futuro de uma comunidade. E ninguém se pode alhear disto”, afirmou o autarca referindo que “o que nós queremos com este projeto é convocar os famalicenses, os cidadãos, não é convocar os indivíduos.”

Neste sentido, Paulo Cunha esclarece que não se pretende um contributo “superficial e egoísta, aquele que só preocupa com o hoje e com o eu, com a minha porta e a minha rua.” Mas antes “o contributo do cidadão, que tenha a perspetiva do futuro, muito além do hoje e do eu.”

“Queremos despertar esta consciência cidadã. Com esta iniciativa, queremos muito mais que construir um plano estratégico, nós temos a ambição de ajudar a transformar a sociedade. Temos a ambição de criar melhores cidadãos”, sublinhou.

A recolha de contributos será feita de uma forma criativa e abrangente. Até 10 de outubro, um sofá amarelo irá percorrer vários espaços do concelho, convidando os famalicenses a sentarem-se e a apresentarem os seus projetos, respondendo à questão “Como gostaria de ver Vila Nova de Famalicão em 2025?”.

“Queremos que o conceito do conforto do sofá simbolize o conforto da cidadania, o conforto que nós queremos que as pessoas tenham quando participam na nossa vida coletiva, porque sentar-se naquele sofá está ao alcance de todos”, destacou o autarca.

A sessão contou ainda com a participação de quatro especialistas que irão fazer parte do grupo de acompanhamento do Plano Estratégico, compilando as ideias dos cidadãos em quatro eixos estratégicos: o crescimento inclusivo, o crescimento sustentável, o crescimento inteligente e a governança do território. Os três primeiros eixos são, de resto, os domínios emblemáticos da estratégia de crescimento da UE para a próxima década “Europa 2020”, sendo que Famalicão acrescentou ainda um quarto domínio o da governança.

A professora e investigadora da Universidade do Porto, Cristina Parente, o vice-reitor da Universidade do Minho, José Mendes, o diretor da Opium, Carlos Martins e o consultor da Rizoma, António Batista falaram dos vários eixos estratégicos, deixando variados elogios à iniciativa Famalicão Visão 25. O consultor António Batista disse mesmo que “nunca houve um plano estratégico como este. Esta dinâmica coloca Famalicão na vanguarda!”.

Neste âmbito, Paulo Cunha admitiu que haveria certamente “caminhos mais fáceis e mais expeditos para elaborar o Plano Estratégico, mas nós não queremos um plano estratégico qualquer, porque Famalicão não é um município qualquer”. E explicou: “Nós escolhemos porventura o caminho mais difícil, com resultados menos previsíveis, aquele em que o presidente de câmara tem menos influência na sua execução, mas o caminho mais genuíno e que vai mais de encontro aquilo que são as expetativas dos famalicenses”.

PRIMEIRA IDEIA PARA O FUTURO: MAIS HOSPITALIDADE

A sessão ficou ainda marcada pelo arranque do Sofá Visão 25. Renato Cunha, gerente do restaurante Ferrugem, que muito tem contribuído para a projeção do concelho no país e no mundo, devido ao seu espirito empreendedor e inovador, deu o mote para a utilização do sofá. E a ideia que foi expressa foi a de “uma maior hospitalidade em Famalicão para 2025 para arrebatarmos quem aqui vive, aqui trabalha e nos visita”.

Segue-se agora um mês repleto de eventos públicos, ateliers temáticos, mesas redondas, palestras, entre muitas outras atividades.

A iniciativa estrutura-se em quatro semanas temáticas, em que a primeira será dedicada ao crescimento inclusivo, a segunda ao crescimento sustentável, a terceira ao crescimento inteligente e a última à governança do território.

Consulte o programa completo aqui


]]>
<![CDATA[Banco de Livros Escolares começa a estar na moda em Famalicão]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_banco_de_livros_escolares_comeca_a_estar_na_moda_em_famalicao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=88877&h=05fae" width="304px" height="202px" border="0"/></p> “200 euros, talvez mais”. Este é o valor que Helena Faria estima ter poupado com a aquisição de manuais escolares para o seu filho de 12 anos, depois de ter recorrido ao Banco de Livros Escolares da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão. Este é já o segundo ano que recorre ao programa da autarquia famalicense, que esta sexta-feira, dia 12 de setembro, e com o arranque do ano letivo à porta, traçou o balanço de mais uma campanha.

Os números revelados esta manhã pelo presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, são reveladores do crescimento do projeto. Até agora foram doados ao Banco 2030 manuais válidos para empréstimo, o que significa um aumento superior a 60 por cento face à campanha de 2013.

Foi precisamente esse o caso de Cláudia Ribeiro, que colocou toda a família em ação, e que entre os livros das filhas e sobrinhos, doou cerca de 60 manuais escolares. “Um dever cívico” refere a famalicense, que curiosamente no anterior usufruiu deste programa depois de ter requisitado livros para as suas duas filhas. “Como a minha situação financeira melhorou, achei por bem entregar este ano o máximo de livros que conseguisse”, acrescenta.

Satisfeito com os números apresentados, Paulo Cunha confessou a ambição de levar o projeto ainda mais longe, esperando que se acabe de vez com aquilo que apelida de “tabu da reutilização dos manuais”. “Este projeto vai continuar a alimentar os que mais precisam, mas queremos que chegue a toda a sociedade famalicense”.

Para que tal aconteça, o autarca espera vir a contar no futuro com o apoio e participação de todos os agentes da sociedade famalicense, como é o caso, por exemplo, dos movimentos paroquiais do concelho, das juntas de freguesia e todos os agentes educativos.

No que toca a números importa ainda referir que foram doados cerca de 2800 livros, que pelo facto de não serem reutilizáveis no nosso sistema de ensino irão agora ser doados a instituições dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa, nomeadamente nas cidades geminadas com Vila Nova de Famalicão, como Mocuba e Lobata.

Recorde-se que depois da gratuitidade de manuais escolares para todas as crianças do 1.º ciclo do ensino básico, a autarquia tam vindo a apostar no Banco de Livros Escolares para o 2.º e 3.º ciclos e Ensino Secundário.


]]>