Município de Famalicão: Notícias e Informações Úteis http://www.vilanovadefamalicao.org Últimas 10 notícias 15 asdad asdasd dasdad <![CDATA[Uma dezena de artesãos estreiam-se na Feira de Artesanato e Gastronomia]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_uma_dezena_de_artesaos_estreiamse_na_feira_de_artesanato_e_gastronomia </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=120793&h=38ef4" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Duas mãos cheias de novos artesãos estreiam-se, este ano, na Feira de Artesanato e Gastronomia de Vila Nova de Famalicão, que decorre entre 31 de agosto e 9 de setembro. São artistas da bijuteria, da malha, da cerâmica, do vidro, da tecelagem, mas também do gesso e dos bordados, entre outros, que vêm de vários pontos do país mostrar a sua arte, naquela que já é considerada “a maior Feira de Artesanato e Gastronomia do Minho e um cartaz turístico-cultural de referência nacional”, como refere o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

De acordo com o autarca a Feira tem ganho qualidade e prestígio de ano para ano, o que faz com que seja cada vez mais concorrida. Tudo isto é, em grande parte, “fruto de uma forte aposta da autarquia na organização e promoção do evento, que tem levado a uma natural seleção do melhor e mais autêntico artesanato nacional a par dos mais genuínos sabores da nossa gastronomia”, acrescenta.
Este ano, realiza-se a 35.ª edição da Feira, “35 anos de crescimento, consolidação e elevação da qualidade”, sublinha o autarca.

À riqueza do artesanato nacional juntam-se os sabores inconfundíveis da gastronomia numa conjugação de saberes e sabores únicos e genuínos. No recinto do antigo campo da feira semana reúnem-se ao longo de dez dias mais de 100 artesãos – muitos deles a trabalhar ao vivo – representantes das várias regiões do país e perto de uma dezena de restaurantes e tasquinhas com as iguarias mais tradicionais. Por aqui, há ainda espaço para os produtores que trazem consigo os vinhos, queijos, presuntos e doces mais puros oriundos de todo o país.

Tudo isto animado com um programa cultural repleto de música tradicional, com o folclore, as concertinas, os cavaquinhos e os cantares ao desafio, mas também rap, fado, jazz, e pop rock.
]]>
<![CDATA[Famalicão recorda e homenageia José de Azevedo e Menezes]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_recorda_e_homenageia_jose_de_azevedo_e_menezes </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=120827&h=69fe9" width="156px" height="202px" border="0"/></p> A imponente e histórica Casa do Vinhal, em Vila Nova de Famalicão, é palco no próximo dia 15 de setembro de uma homenagem do município de Vila Nova de Famalicão ao escritor e genealogista, José de Azevedo e Menezes, no 80.º aniversário da sua morte.

José de Azevedo e Menezes viveu entre 1849 e 1938, tendo desempenhado um papel social, cultural e político de enorme relevância para o concelho de Famalicão. Foi Provedor do Hospital de S. João de Deus e foi presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão. Com Camilo Castelo Branco desenvolveu uma relação cordial de amizade motivada pelo tema da genealogia, uma área de interesse comum, sobretudo para Menezes. Depois da morte do romancista, José de Azevedo e Menezes presidiu à “Comissão Promotora da homenagem ao grande escritor Camilo Castelo Branco” e foi um dos maiores responsáveis pela criação do Museu de Camilo.

A cerimónia de homenagem arranca pelas 16h00, com as presenças do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha e do representante da família, Martim Lopes de Azevedo Menezes. A sessão fica ainda marcada pela apresentação do volume I da “Correspondência de José de Azevedo e Menezes (1878-1933): Camilo Homenageado” pelo presidente da Academia das Ciências de Lisboa, Professor Doutor Artur Anselmo. O livro é o primeiro de três volumes a editar pela Húmus com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão. As cartas transcritas neste volume e nos dois que serão dados à estampa em 2019 e 2020, integram, na sua maioria, o Fundo de José de Azevedo e Menezes depositado no Arquivo Municipal de Alberto Sampaio, entregue pela Família Menezes em 2015 ao Município de Vila Nova de Famalicão.

Este primeiro volume versa exclusivamente assuntos camilianos, subdividindo-se em duas partes: na primeira apresentam-se as cartas trocadas entre Camilo Castelo Branco e José de Azevedo e Menezes, cujos originais se encontram na Casa de Camilo, e na segunda, as cartas endereçadas ao Senhor da Casa do Vinhal por diversos remetentes, entre os quais António José de Almeida, Alberto Pimentel, António Cabral, Conde de Sabugosa, Eugénio de Castro, Joaquim de Araújo, José Malhoa, Jorge Colaço, Pinho Leal, Raul Brandão e Teixeira Lopes.
]]>
<![CDATA[Famalicão cumpre tradição secular da Feira das Cebolas]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_cumpre_tradicao_secular_da_feira_das_cebolas </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=120806&h=348b2" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Já é considerada um marco na história da freguesia de Gondifelos, em Vila Nova de Famalicão, e uma das maiores feiras do género em Portugal. Falamos da secular Feira das Cebolas, uma tradição secular que se repete anualmente, no último fim-de-semana do mês de agosto, nesta localidade do concelho famalicense.

Pelo parque de campismo de Gondifelos vão passar, entre os dias 25 e 26 deste mês, mais de uma dezena de produtores e vendedores, muitos deles oriundos de concelhos vizinhos, como é o caso de Barcelos, Vila do Conde e Póvoa de Varzim.

Refira-se que a Feira das Cebolas em tempos foi o ponto de encontro dos agricultores e produtores de cebolas do concelho para comercializar o produto e estabelecer os preços a praticar nesse ano.

Associada a esta feira está também a organização da 37.ª edição do Festival de Folclore e da mostra associativa de Gondifelos, que promete dar a conhecer o trabalho e atividade do tecido associativo da freguesia.

Do programa de animação do certame, organizado pela Junta de Freguesia em parceria com a Câmara Municipal, destaque para a realização, no domingo, de uma oficina de entrelaçamento de cebolas, de um desfile de “cabos de cebolas” e de ranchos folclóricos e do Trail Feira das Cebolas.
]]>
<![CDATA[Famalicão investe 200 mil euros na melhoria das estradas nas freguesias]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_investe_200_mil_euros_na_melhoria_das_estradas_nas_freguesias </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=120838&h=c667c" width="303px" height="202px" border="0"/></p> O executivo municipal de Vila Nova de Famalicão aprovou na passada quinta-feira, 9 de agosto, um novo pacote de investimento de cerca de 200 mil euros com vista à realização de várias obras, na área das acessibilidades, em seis freguesias do concelho.

A maior fatia deste bolo financeiro, aprovado na última Reunião de Câmara, vai para Fradelos, com 48 500 euros a serem canalizados para a primeira fase das obras de construção do acesso e do parque de estacionamento à Casa Mortuária da freguesia, cujos trabalhos consistem, entre outros, na limpeza do terreno, escavações, execução de muros, pavimentação do parque e iluminação.

A União de Freguesias de Gondifelos, Cavalões e Outiz vai também receber um apoio financeiro no valor de 36 mil euros para a pavimentação da Rua Ponte da Ribeira.

O executivo liderado por Paulo Cunha aprovou ainda a atribuição de mais quatro apoios financeiros: à União de Freguesias de Vale S. Cosme, Telhado e Portela, no valor de 30 mil euros, destinado às obras de alargamento e pavimentação da Travessa dos Outeiros; à Freguesia de Landim, no valor de 29 mil euros, para a pavimentação da Rua de Sande; para Mogege, no valor de 22 500 euros, para as obras de alargamento da Rua das Fontaínhas; e para a freguesia de Requião, no valor de 13 mil euros, para as obras de requalificação da Rua Ribeiro e Forno.

O Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, fala num pacote de investimento que vem ajudar à concretização de algumas intervenções já sinalizadas como prioritárias pelas Juntas de Freguesia. “São obras necessárias porque vêm melhorar a qualidade destes acessos, mas sobretudo porque vêm trazer mais segurança aos peões e automobilistas que todos os dias percorrem estas ruas”, disse o edil.

Nota ainda para a aprovação de um apoio não financeiro, no valor de cerca de 3 500 euros, para a elaboração de levantamentos topográficos necessários à concretização de diversas obras nas freguesias de Gavião, Oliveira Santa Maria, União de Freguesias de Antas e Abade Vermoim e União de Freguesias de Arnoso e Sezures.

Apoios também para o tecido associativo

A última reunião do executivo municipal ficou ainda marcada pela aprovação de novos apoios – mais de 15 mil euros - para o tecido associativo de Vila Nova de Famalicão.

Foi o caso da Associação Unidos de Avidos, que vai receber da autarquia famalicense um apoio de 6 mil euros para a reconstrução da sede da associação e do Grupo Recreativo e Cultural de Lemenhe que viu atribuído um apoio, no valor de 4 500 euros, para as obras de restauração das suas instalações na Ex-Escola Prelada I.

Na Reunião de Câmara da passada quinta-feira foram ainda atribuídos apoios financeiros à Associação Recreativa e Cultural de Antas, no valor de 3 mil euros, com vista à ampliação da sede; à Fábrica da Igreja Paroquial de São Cosme do Vale, no valor de 2 mil euros, para a requalificação do espaço exterior da Capela da Senhora dos Bons Caminhos e, por fim, um último apoio no valor de 250 euros para a constituição de uma nova associação em Famalicão – a Associação – Ribeirão Musical – Sociedade Artística e Musical.
]]>
<![CDATA[Piruka e Augusto Canário animam Feira de Artesanato e Gastronomia]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_piruka_e_augusto_canario_animam_feira_de_artesanato_e_gastronomia </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=120787&h=d53cc" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Uma noite para a juventude desfrutar da Feira de Artesanato e Gastronomia de Vila Nova de Famalicão é a principal novidade da edição deste ano que arranca a 31 de agosto e decorre até 9 de setembro. A animação estará a cargo do rapper Piruka que promete atrair as gerações mais novas até ao recinto da Feira, na noite de 6 de setembro.

Para o presidente da Câmara Municipal, paulo Cunha, a autarquia “tem tido a preocupação de atrair para ao certame as novas gerações de forma a transmitir-lhes tradições ancestrais do nosso artesanato e da nossa gastronomia. Só através dos mais novos é possível preservar e valorizar este património único e genuíno”

Para além do rapper, o evento garante animação diária e constante através da participação de quase três dezenas de artistas musicais, donde se destaca a presença de Augusto Canário & Amigos no dia 4 de setembro. O espetáculo de música popular juntará a tradição das concertinas, cavaquinhos, violões e bandolins à modernidade da bateria e do baixo, com o calor e sabor dos instrumentos de percussão latinos, criando um ambiente vivo, colorido, cheio de ritmo e alegria.

A abrir o evento estará a Banda de Música de Riba de Ave e a Chulada da Ponte Velha de Santo Tirso. Segue-se um fim-de-semana com folclore, concertinas e cantares ao desafio. As noites serão animadas pelas bandas ÚS Sai de Gatas e Fammashow.

A noite de segunda, dia 3, estará entregue a Helena Fernandes e Banda Jazz e à Banda Medusa. O resto da semana segue ainda com Ronda dos Quatro Caminhos (dia 5) e Charles Band Dickens e Rosamate (dia 7).

No segundo fim-de-semana do evento destaque para as tardes de folclore, para o projeto cultural Vozes do Minho, as danças urbanas e para a atuação de Costinha (no sábado) e de Carina Amarante e Patricia Costa (no domingo), com a noite de fado. Todos os espetáculos são de entrada livre.

Refira-se que a Feira de Artesanato e Gastronomia decorre no recinto do antigo campo da feira semana reunindo ao longo dos dez dias mais de 100 artesãos – muitos deles a trabalhar ao vivo – representantes das várias regiões do país e perto de uma dezena de restaurantes e tasquinhas com as iguarias mais tradicionais. Por aqui, há ainda espaço para os produtores que trazem consigo os vinhos, queijos, presuntos e doces mais puros oriundos de todo o país.

Consulte aqui todo o programa

]]>
<![CDATA[Encerramento ao trânsito do túnel da Avenida Carlos Bacelar - Avenida Marechal Humberto Delgado]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_encerramento_ao_transito_do_tunel_da_avenida_carlos_bacelar__avenida_marechal_humberto_delgado </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=120831&h=e6733" width="304px" height="202px" border="0"/></p> A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão informa que, no âmbito de uma intervenção urgente no túnel da Avenida Carlos Bacelar com a Avenida Marechal Humberto Delgado, torna-se necessário o encerramento ao trânsito da via no sentido Norte-Sul, na manhã do próximo dia 13 de agosto, segunda-feira, para reparação das chapas danificadas.
A Câmara Municipal apela aos senhores automobilistas para que estejam atentos aos percursos alternativos e pede a compreensão de todos pelos incómodos causados.]]>
<![CDATA[Candidaturas abertas para CETs em Famalicão]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_candidaturas_abertas_para_cets_em_famalicao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=120758&h=a0ce4" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Estão abertas as inscrições para a frequência nos Cursos de Especialização Tecnológica (CET) e nos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTESP) lecionados no âmbito do Centro Qualifica de Vila Nova de Famalicão no CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal, na CESPU – Instituto Politécnico de Saúde do Norte, no CENFIM – Centro de Formação Profissional de Indústria Metalúrgica e Metalomecânica, e nos polos de Famalicão do IPCA – Instituto Politécnico do Cávado e Ave e do IPB – Instituto Politécnico de Bragança.
A primeira fase de candidaturas decorre até 31 de agosto, a segunda fase até 30 de setembro e a terceira, até 14 de dezembro.
Assim, para os CET, podem candidatar-se os titulares de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente; os estudantes que tenham obtido aprovação em todas as disciplinas dos 10º e 11.º e tendo estado inscritos no 12º ano, de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente, não o tenham concluído. Igualmente, podem candidatar-se titulares de uma qualificação profissional de nível 4, e quem já possua um diploma de especialização tecnológica ou de um grau ou diploma de ensino superior que procure requalificação profissional.
Os estudantes que não sejam titulares de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente têm de realizar, caso sejam selecionados, um plano de formação adicional.
Os CET têm a duração aproximada de um ano e meio (18 meses) a que corresponde entre 60 e 90 unidades de crédito.
Estes são cursos totalmente financiados.
Abertas estão também as candidaturas aos CTESP, formações de nível superior que visam conferir uma qualificação profissional de Nível 5 do QNQ e permitem concorrer à matrícula e inscrição no ensino superior através de concurso especial.
Para acederem a estas formações os candidatos têm de possuir o curso secundário ou habilitação legalmente equivalente; tenha sido aprovado nas provas especialmente adequadas para maiores de 23 anos; sejam titulares de um diploma de especialização tecnológica ou de técnico superior profissional; ou sejam titulares de um grau de ensino superior que pretendam a sua requalificação profissional.
Um CTESP tem 120 créditos e a duração de quatro semestres (2 anos), sendo o último em contexto de trabalho. A nível de financiamento, os candidatos podem aceder a bolsas de estudo da Direção Geral de Ensino Superior (DGES).
Estão disponíveis os cursos de: Técnico Especialista em Gestão da Produção (Supervisor de Produção) – Indústria Metalúrgica e Metalomecânica; Técnico/a Especialista em Tecnologia Mecânica; Técnico/a Especialista em Tecnologia Mecatrónica; Técnico/a Especialista em Processos de coloração e acabamentos têxteis; Técnico/a Especialista em Industrialização de produto moda; Bioanálises e Controlo; Gerontologia; Bem Estar e Termalismo; Manutenção e Controlo de Equipamentos Biomédicos; Comunicação Digital; Administração e Negócios; Tecnologia Alimentar; Análise químicas e biológicas; Automação, Robótica e Eletrónica Industrial; Design de Moda; Exportação e Logística.
Inscrições e mais informações junto das entidades acima referidas, através dos seguintes endereços: www.academia.citeve.pt (CITEVE); www.cenfim.pt (CENFIM); www.cespu.pt (CESPU); www.ipb.pt/portaldocandidato (IPB) e www.ipca.pt (IPCA).
]]>
<![CDATA[Parque de campismo e lazer de Gondifelos será equipamento âncora à nova ecovia até à Póvoa]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_parque_de_campismo_e_lazer_de_gondifelos_sera_equipamento_ancora_a_nova_ecovia_ate_a_povoa </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=120767&h=e18e4" width="303px" height="202px" border="0"/></p> O parque de campismo e lazer de Gondifelos será no futuro um equipamento âncora para a nova ecovia que vai ligar Vila Nova de Famalicão à Póvoa de Varzim. “O futuro augura algo de muito bom para este parque, que tem um enorme potencial, e que será um equipamento âncora para que a ecovia de ligação à Póvoa de Varzim tenha a dimensão que desejamos.” A ideia foi deixada esta terça-feira, pelo presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, durante a inauguração de um novo palco abrigado no Parque de Campismo e Lazer de Gondifelos. A obra que se distingue pelas excelentes condições para a realização de espetáculos foi uma das diversas intervenções visitadas por Paulo Cunha nas freguesias de Gondifelos, Cavalões e Outiz.

Acompanhado pelo presidente da União das Freguesias de Gondifelos, Cavalões e Outiz, Manuel Novais, o presidente da Câmara Municipal inaugurou um conjunto de pequenas obras e equipamentos importantes para o desenvolvimento das comunidades e com impactos diretos na melhoria da qualidade de vida das pessoas.

A jornada iniciou na sede da Junta de Outiz, onde foi assinalada a reabilitação do edifício. “Para além da pintura, foram realizadas outras beneficiações, que melhoram as condições de conforto e de aparência do edifício”, como adiantou o presidente da União das Freguesias, Manuel Novais. Seguiu-se a apresentação da nova zona de lazer na envolvente à Ponte de S. Veríssimo, em Cavalões, onde foi criado “um espaço para piqueniques com mesas e com a limpeza e nivelamento do terreno”. Foi ainda inaugurado o palco coberto no parque de Campismo e Lazer de Gondifelos que, para além “acolher espetáculos permitirá ainda servir de abrigo aos campistas em caso de necessidade” e um armazém/oficina multiusos, que servirá para a promoção de diversas atividades e iniciativas.

Paulo Cunha demonstrou “muito agrado” pela forma como todas as intervenções decorreram e elogiou a dinâmica e o espírito de iniciativa da equipa da junta de freguesia que soube “dar prioridade ao que já existe. Aconteceu na junta de freguesia de Outiz, aconteceu na zona de lazer junto à Ponte de S. Veríssimo. Foi um impulso enorme, saber valorizar e aproveitar o que já existe preservando e valorizando”. Também Manuel Novais explicou que o objetivo destas obras foi “aproveitar as estruturas existentes dando-lhe uma nova cara e uma nova vida”.

Para o futuro o autarca pretende prosseguir com a “reabilitação do parque de campismo, dando-lhe uma nova dinâmica e tornando o parque auto-sutentável que poderá passar pela criação de um bar”. Paulo Cunha gostou a ideia e afirmou que “o parque de lazer tem um enorme potencial pois servirá de ligação e apoio à nova ecovia”.
]]>
<![CDATA[Famalicão quer tornar Ponte da Lagoncinha pedonal e valorizar zona envolvente]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_quer_tornar_ponte_da_lagoncinha_pedonal_e_valorizar_zona_envolvente </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=120730&h=5a032" width="303px" height="202px" border="0"/></p> “A nossa vontade é tornar a Ponte da Lagoncinha pedonal e valorizar toda esta zona envolvente, criando um espaço agradável de lazer e convívio para a população, mas para isso é preciso que o governo de Portugal nos ajude a criar uma solução alternativa para que a Ponte da Lagoncinha seja libertada da sua função da mobilidade e esteja comprometida com a função cultural, ambiental e patrimonial”. O desejo do presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, foi manifestado na passada sexta-feira, durante uma visita de trabalho à Ponte da Lagoncinha, em Lousado, que beneficiou recentemente de obras de conservação e valorização.

Segundo o autarca, “não se pode fechar uma ponte que é tão utilizada e necessária às populações, sem existir uma alternativa”, por isso “desejamos que tão rapidamente quanto possível o governo crie uma solução”.

De resto, a necessidade da ponte foi sublinhada pelo presidente da Junta de Freguesia de Lousado, Jorge Ferreira que explicou que “se esta travessia, os automobilistas teriam de recorrer à EN14 que representa um verdadeiro caos ou calcorrear área do concelho de Santo Tirso e Trofa, num total de cerca de 20 quilómetros”.

A travessia sobre o rio Ave é, de facto, um dos acessos mais utilizados por quem tem de circular entre Santo Tirso e Vila Nova de Famalicão, e por isso beneficiou recentemente de um conjunto de obras de conservação e valorização, no âmbito da Rota do Românico.

As obras implicaram um investimento de cerca de 154 mil euros contando com o cofinanciamento de cerca de 128 mil euros, pelo Programa Operacional Regional do Norte – Norte 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

Para além da limpeza e tratamento das cantarias em granito, do restauro e nivelamento do tabuleiro da ponte, a intervenção implicou também a consolidação estrutural de fissuras existentes nos paramentos e intradorso do tabuleiro da ponte.

“A ponte ficou cinco estrelas e estamos muito contentes com o resultado da obra”, afirmou satisfeito Jorge Ferreira, que admitiu que gostaria de ver “o espaço envolvente melhor aproveitado”.
Também Paulo Cunha assumiu estar empenhado em melhorar as condições de fruição da zona envolvente à ponte. “Esta intervenção está condicionada pelo património e pelo rio, obrigando a obter autorizações junto das entidades que tutelam estes domínios. Temos um processo em curso, estando a ser elaborado um caderno de encargos e um projeto”, adiantou o autarca.

Sobre a despoluição do rio Ave, Paulo Cunha voltou a apontar o dedo à falta de fiscalização e a reclamar mais competências para o municípios nesta matéria. “Há décadas que se fala na despoluição do rio Ave e no investimento de milhões aqui realizado, porém é preciso prestar contas e perceber qual foi o efeito útil desse enorme investimento nacional e comunitário, porque não vale de nada investir-se na despoluição do rio e não se criarem condições para que ele continue a ser poluído”.
]]>
<![CDATA[Famalicão quer as bermas das estradas nacionais limpas]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_quer_as_bermas_das_estradas_nacionais_limpas </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=120701&h=76f12" width="303px" height="202px" border="0"/></p> A falta de limpeza nas bermas e valetas das estradas nacionais que atravessam o concelho de Vila Nova de Famalicão, nomeadamente na EN14, EN204 e EN206, tem sido um problema que a Câmara Municipal tem acompanhado de perto e que tem deixado os responsáveis municipais preocupados. Para além da forte vegetação que, em muitos casos impede a passagem dos peões nos passeios, o lixo acumulado junto às vias, resulta numa ameaça à segurança das pessoas e num aumento do risco de incêndios florestais.

De acordo com o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “a autarquia tem alertado insistentemente as entidades nacionais competentes para este problema, fazendo-lhes chegar a informação sobre a falta de limpeza, conservação e manutenção das infraestruturas rodoviárias no concelho”.

Sem competência para intervir, “a autarquia tem feito aquilo que lhe incube que é reclamar e alertar, ficando a aguardar uma resposta das referidas instituições que têm a cargo a manutenção das estradas nacionais”, acrescenta Paulo Cunha.

Por outro lado, a Câmara Municipal pretende sensibilizar a população para a necessidade de adotar hábitos ambientais mais saudáveis. “Queremos envolver toda a comunidade na promoção de um território mais limpo e livre de lixo”, adianta Paulo Cunha. “O lixo lançado ao chão concentra-se em sítios de difícil acesso, como as bermas das estradas, junto às rotundas ou no meio das matas, tornando-se um perigo para a segurança rodoviária e até para a saúde pública”, acrescenta.

Com a chegada do verão e do tempo quente, as caminhadas ao ar livre aumentam significativamente “e este cenário torna-se uma séria ameaça à segurança dos peões, mas também dos automobilistas”, explica ainda o autarca.

Refira-se que a limpeza das faixas de gestão de combustível nas redes rodoviária e ferroviária é da responsabilidade das Infraestruturas de Portugal (IP). Por outro lado, a limpeza das estradas municipais é da responsabilidade das autarquias. Neste âmbito, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão investe anualmente perto de 200 mil euros em todo o concelho.
]]>