Município de Famalicão: Notícias e Informações Úteis http://www.vilanovadefamalicao.org Últimas 10 notícias 15 asdad asdasd dasdad <![CDATA[Boletim Municipal já está a ser distribuído]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_boletim_municipal_ja_esta_a_ser_distribuido </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=123368&h=a40f0" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Começa esta sexta-feira a ser distribuída a nova edição do Boletim Municipal de Vila Nova de Famalicão. Com uma imagem moderna e minimalista, a revista municipal destaca-se sobretudo por ser um instrumento útil de informação, acessível a todos os famalicenses.

Com uma aposta clara nas fotografias e no texto resumido, este boletim inclui novas secções proporcionando uma leitura mais descontraída, apresentando as principais apostas da autarquia, assim como o trabalho desenvolvido nas várias áreas. São 60 páginas de informação municipal que interessa a todos.

Nesta edição destaca-se a marca “Famalicão, Cidade Têxtil”, mas há ainda espaço, para uma abordagem à política de internacionalização do município, ao arranque do ensino superior público técnico no concelho, aos investimentos na ação social, na saúde, na cultura, no desporto e no ambiente, etc. “Olhar com história” volta a resgatar memórias do passado, desta vez com a recordação da inauguração do Mercado Municipal, em 1952.

Destaque ainda para a separata dedicada aos projetos vencedores dos Selos Famalicão Visão’25, entregues no Dia do Concelho, que se assinalou a 28 de setembro.

O presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, realça “a transparência e o exercício democrático” como razões para “a publicação e distribuição gratuita do Boletim Municipal, proporcionando às pessoas um maior conhecimento sobre as dinâmicas do nosso território, o que lhes dará inevitavelmente uma maior apetência para o exercício da cidadania”.

Refira-se que o boletim municipal de Famalicão tem uma tiragem de 25 mil exemplares, sendo de distribuição gratuita. O Boletim pode ainda ser levantado das várias estruturas municipais espalhadas pelo concelho. Para além da edição em papel, a revista pode ainda ser consultada aqui.
]]>
<![CDATA[Duzentas crianças ilustram as “Aventuras de Dom Quixote de La Mancha”]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_duzentas_criancas_de_famalicao_ilustram_as_aventuras_de_dom_quixote_de_la_mancha </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=123356&h=70eb0" width="303px" height="202px" border="0"/></p> A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão acaba de publicar uma versão infanto-juvenil da autoria do escritor famalicense Agostinho Fernandes da obra D. Quixote de La Mancha, do escritor espanhol Miguel de Cervantes, com ilustrações elaboradas por cerca de 200 alunos do 2.º e 3.º ciclo do concelho. A sessão de lançamento da obra decorreu no inicio desta semana, na Escola Básica de Gondifelos e estará disponível brevemente para aquisição na Livraria Municipal de Famalicão, localizada na Casa do Território do Parque da Devesa.

O projeto que arrancou em 2016, inserido no âmbito dos 400 anos da morte de Cervantes, culminou agora com apresentação deste trabalho “fantástico desenvolvido por Agostinho Fernandes e pelos pequenos ilustradores em prol da educação, da cultura e da leitura entre as novas gerações”, como afirma o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, no prefácio da obra.

Para o autarca “a imortal história do Cavaleiro da Triste Figura, que acompanhado pelo seu fiel escudeiro, Sancho Pança, avança por montes e vales, lutando contra moinhos de vento e cavaleiros imaginários em nome da justiça, é, sem dúvida, um livro obrigatório e inesquecível para sucessivas gerações de leitores.” Na sua mensagem Agostinho Fernandes dirige-se aos mais novos, referindo que “não é fácil ler o original na tua idade”, por isso com este livro “o trabalho fica facilitado”.

Apesar disso, o autor deixa o desafio às crianças de lerem o original “mais tarde”, pois trata-se de “um dos mais belos e marcantes livros da história da cultura europeia e da humanidade”.
Refira-se que a obra surge de um concurso de ilustração dirigido aos alunos do 2.º e 3.º ciclo do concelho promovido em conjunto com o autor, a Biblioteca Municipal, as escolas e um conjunto de professores de Educação Visual e Belas Artes.

Ao todo, cerca de 200 alunos trabalharam a obra. Os trabalhos repletos de cor, fantasia e criatividade estiveram em exposição na Biblioteca Municipal e saltaram agora para as páginas do livro.
Considerado o primeiro romance moderno, a obra “As Aventuras de D. Quixote de La Mancha e de Sancho Pança” foi eleito em 2002 o melhor livro de todos os tempos por um conjunto de cem escritores nomeados pelo Instituto Nobel.

Agostinho Fernandes é licenciado em Filosofia, ocupou o cargo de Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão durante duas décadas, dedicando-se agora à escrita, com particular incidência na literatura infantil.
]]>
<![CDATA[Natal de Famalicão promove Cidade Têxtil ]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_natal_de_famalicao_promove_cidade_textil </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=123362&h=2d087" width="303px" height="202px" border="0"/></p> O Natal em Famalicão tem marca têxtil ou não fosse esta a Cidade Têxtil de Portugal. As decorações natalícias acompanham aquela que é uma das imagens de marca do concelho e incluem o tecido como um dos materiais utilizados nas ornamentações. A ligação ao universo têxtil é particularmente evidenciada nas principais rotundas de entrada da cidade com cada uma das letras que compõem a palavra "Natal '18" produzidas em monobloco tridimensional e embrulhada em tecido com motivos de embrulho.

Para se atingir o resultado que é visível nas ruas de Famalicão foi produzido mais de um quilómetro de tecido com os cinco padrões que fazem parte do lettering da campanha de Natal 2018 desenvolvida pela Câmara Municipal e pela ACIF – Associação Comercial e Industrial de Vila Nova de Famalicão.

A árvore de Natal, colocada no centro da cidade e ponto de paragem obrigatório para as selfies, é outro dos locais onde a presença da marca é mais sentida.

Recorde-se que o lançamento da marca Famalicão Cidade Têxtil aconteceu em Fevereiro último durante a realização da II Conferência Internacional do Têxtil e Vestuário que decorreu no Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões, com organização do CITEVE e da Associação Selectiva Moda.

A marca Famalicão Cidade Têxtil veio dar força àquilo que o concelho já é há mais de um século – um importante centro de produção, de investigação e desenvolvimento do sector têxtil –, e impulsionar um conceito de produção e de atividade económica que vai muito além dos muros das empresas.
]]>
<![CDATA[“Aldeia Circular” nasce em Seide ]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_aldeia_circular_nasce_em_seide </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=123334&h=9079c" width="303px" height="202px" border="0"/></p> “Aldeia Circular” é o nome do novo projeto da União das Freguesias de Seide, que inclui um Espaço de Compostagem e uma Horta Biológica, instalados num terreno próximo da Casa-Museu Camilo Castelo Branco, um Mercado Troca por Troca.
O projeto nasceu da colaboração de uma rede de parceiros diversificada, inserida na Comissão Social Interfreguesias (CSIF) de Avidos, Lagoa, Landim e Seide e foi apresentado à comunidade, este domingo.
No Espaço de Compostagem será produzido composto a partir de resíduos orgânicos recolhidos em estabelecimentos locais da pequena distribuição alimentar e restauração. Do composto produzido, uma parte será utilizada numa horta biológica, a outra parte será integrada no Mercado de Troca por Troca, através do qual os cidadãos poderão trocar produtos de interesse comunitário, como por exemplo livros usados, pelo composto que necessitam.
De acordo com a candidatura, o projeto tem como objetivo estratégico a implementação de um modelo local de economia circular contribuindo para a diminuição da ocorrência e valorização de resíduos orgânicos da restauração e comércio alimentar, para aumentar o tempo de vida útil de bens, para fomentar a leitura e o desenvolvimento social
Este projeto foi um dos 10 primeiros aprovados a nível nacional pelo Fundo Ambiental JUNTAr.
]]>
<![CDATA[Programa Acompanhar com taxa de 98 por cento de sucesso educativo]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_programa_acompanhar_com_taxa_de_98_por_cento_de_sucesso_educativo </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=123347&h=380f8" width="303px" height="202px" border="0"/></p> O Programa Acompanhar, desenvolvido pelo Município de Vila Nova de Famalicão através do pelouro da educação, para apoiar crianças e jovens em risco de aprendizagem, abrange atualmente 702 jovens, entre os 6 e os 21 anos de todos os estabelecimentos de ensino do concelho. Em 2017/2018 foram 673 alunos envolvidos em pelo menos 40 horas de capacitação e programas de tutoria e inclusão inteligente, com uma taxa de sucesso educativo de 98%.

Ao fim de três anos de aplicação, o Programa Acompanhar já chega a 5,26% da população estudantil de Vila Nova de Famalicão, em idade de escolaridade obrigatória.

Reconhecida como boa prática a replicar pela Direção Geral de Educação, o Programa alargou também a sua ação, neste ano letivo, a mais parceiros sociais, sendo que atual rede do Programa Acompanhar incorpora mais de 20 parceiros, desde estabelecimentos de ensino, IPSS, cooperativas, organismos públicos e associações juvenis.

Do total dos 673 alunos envolvidos, no ano letivo anterior, 88 apresentavam pelo menos duas retenções, estando praticamente todos a frequentar Cursos de Educação e Formação. Os números são ainda mais relevantes se se levar em conta que do total, 309 estavam em situação de risco, incluindo o risco de abandono escolar.

Outro dado significativo é o envolvimento de 58 jovens, na qualidade de Tutores de Pares, jovens facilitadores de processos de inclusão inteligentes, que com a sua experiência auxiliam os tutores no processo de capacitação e inclusão de jovens em risco.

De acordo com a sua missão, o Programa Acompanhar pretende potenciar e apoiar os estabelecimentos de ensino de Vila Nova de Famalicão na implementação de projetos de boas práticas na área do acompanhamento e inclusão inteligente, de alunos em especial situação de risco ou que não estão integrados em qualquer tipo de resposta socioeducativa complementar.

Por outro lado, este mesmo programa pretende criar processos potenciadores da melhoria do rendimento escolar e processo de inclusão social dos alunos com o recurso a soluções complementares de educação não formal e capacitação ao nível da inteligência emocional.

O vereador da Educação, Leonel Rocha, assinala: “com os anos, percebemos que o método do Programa Acompanhar, baseado nas Mentorias e Tutorias de Pares, resposta real às problemáticas dos jovens”. Salienta, ainda, o autarca que este não é um programa apenas para jovens em risco, visto que boa parte dos participantes são jovens com resultados académicos muito positivos e que procuram no programa respostas ao nível da capacitação, programas de voluntariado e envolvimento social.

A metodologia do Programa Acompanhar assenta no princípio da Investigação-Relação-Ação, numa resposta socioeducativa, tendo por base a Tutoria de Pares e a Mentoria.
O Programa Acompanhar trabalha em estreita colaboração com o Projeto Eurobairro e o Programa CLDS 3G Famalicão.
]]>
<![CDATA[Clube de Xadrez da Didáxis é potência nacional]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_clube_de_xadrez_da_didaxis_e_potencia_nacional </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=123301&h=b38fa" width="303px" height="202px" border="0"/></p> O que em 2003 foi criado como um simples projeto de desporto escolar, hoje é um caso sério de sucesso do desporto nacional. O Clube de Xadrez A2D nasceu na Cooperativa de Ensino Didáxis de São Cosme, em Vila Nova de Famalicão, mas saltou os muros da escola para se tornar numa referência nacional da modalidade, com um vasto palmarés de títulos conquistados.

Os êxitos do A2D, que atualmente conta com 50 atletas federados e 25 alunos de Desporto Escolar, chamaram a atenção do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, que esta segunda-feira dedicou uma jornada do Roteiro pela Inovação de Famalicão ao clube da Didáxis, que ao longo dos últimos anos se tem revelado um autêntico viveiro de campeões.

É o caso da atleta Inês Silva, a mais jovem campeã nacional de sempre, que no passado mês de novembro arrecadou o título nacional feminino sub-18; de Luís Silva, membro da Seleção Nacional Absoluta de Xadrez e Vice-Campeão Nacional Absoluto em 2018; e de Ivo Dias, Campeão Nacional Juvenil Escolar em 2016 e Campeão Europeu Juvenil de Xadrez Escolar em 2014.

A Taça de Portugal 2017 e a Supertaça de Portugal 2018 são outros dos troféus orgulhosamente expostos na prateleira do clube, que Paulo Cunha considera ser “um exemplo daquilo que a Escola pode fazer pela comunidade além da sua atividade clássica e convencional”.

“A escola foi uma incubação para o clube que, ao longo dos anos, acabou por ganhar outra dimensão. Se inicialmente o clube de xadrez foi pensado como um ganho para o projeto educativo e para a aprendizagem do aluno no contexto escola, hoje é inegável que cumpre um objetivo muito maior”, referiu o autarca.

Para além dos polos de São Cosme e de Riba de Ave da Didáxis, o coordenador do clube, Mário Oliveira, explicou que o Xadrez da A2D chega também ao concelho vizinho de Guimarães, mais propriamente ao Colégio do Ave.

“Soubemos alicerçar-nos de uma forma sustentada e atravessar as fronteiras da escola com o apoio das forças vivas da cidade. Temos dado passos seguros e consistentes e isso tem-nos levado ao caminho do sucesso nestes últimos 15 anos”, acrescentou ainda o professor, que não escondeu a ambição de criar em Famalicão uma Escola Municipal de Xadrez.

Refira-se que atualmente o Clube de Xadrez A2D ocupa um papel relevante no distrito de Braga e no país. O Torneio do Vale, o Torneio de Xadrez do Ave e o Torneio Internacional de Xadrez de Famalicão, são algumas das provas organizadas pelo clube.

Potenciar o raciocínio lógico-matemático; aumentar a perceção, análise-síntese e orientação espácio-temporal; desenvolver a atenção e o poder de concentração, bem como desenvolver a criatividade e imaginação são algumas das vantagens da modalidade.
]]>
<![CDATA[São Silvestre de Famalicão já com 3 mil inscritos]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_sao_silvestre_de_famalicao_ja_com_3_mil_inscritos </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=123320&h=10177" width="167px" height="202px" border="0"/></p> É já no próximo dia 23 de dezembro que Vila Nova de Famalicão corre a 3.ª edição da São Silvestre, prova organizada pelo Eugénios HC e pelo Núcleo de Famalicão do CNE, com o apoio da Câmara Municipal de Famalicão e da Associação de Atletismo de Braga.

Com arranque previsto às 21h30 junto à Câmara Municipal, o percurso previsto passará pelas principais ruas da cidade, atravessando o estádio e alcançando a meta nos Paços do Concelho.

À semelhança dos anos anteriores, a prova contará com duas corridas: uma de 10 kms, para atletas federados e não federados nascidos em 2002 e anteriores e uma caminhada de 4 kms destinada a todas as classes etárias e sem fins competitivos.

Com a época natalícia como pano de fundo, a magia constrói-se ao longo de todo o circuito com a iluminação de Natal.

Até agora, 3 mil pessoas já garantiram presença na prova. As inscrições decorrem até ao dia 17 de dezembro no site oficial da corrida em http://www.saosilvestre.org.
]]>
<![CDATA[Mercadinho de Natal convida ao convívio e ao encontro]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_mercadinho_de_natal_convida_ao_convivio_e_ao_encontro </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=123291&h=3e5c3" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Vinhos e licores da região, doces, compotas, produtos de fumeiro e artigos têxteis, tudo de origem local, genuíno e carregado de personalidade. São assim algumas das propostas apresentadas no Mercadinho de Natal de Vila Nova de Famalicão, patente na Praça D. Maria II, junto à Fundação Cupertino de Miranda até 6 de janeiro.

A fazer lembrar a velha tradição europeia de promover feiras de Natal nos principais espaços da cidade, o Mercadinho acolhe quase duas dezenas de casinhas em madeira, que organizadas em forma circular convidam ao encontro, à partilha e ao convívio. E enquanto se procura o melhor presente de natal apura-se os sentidos e prova-se sabores únicos da região como o vinho quente, pão de ló, doces, mel, chocolate quente, enchidos, entre muitos outros.

O frio faz parte da magia, as decorações natalícias, a música que ecoa, a árvore de Natal da cidade e o espetáculo multimédia ali ao lado que atraem centenas de pessoas diariamente enchem as ruas de fantasia e alegria.

O Mercadinho de Natal está aberto de segunda a quinta-feira, das 15h00 às 20h00. Às sextas-feiras, fim-de-semana e feriados das 10h00 às 22h00.
Os produtores presentes são os seguintes: Mini Kiwi Farm; Fonte do Minho; A Camionete; Doces de Sonho; Luppi; Pão de Ló Burguês; Rosa Mendes; Lúcia Carvalho; Amândio Braga; Vinhos Castro; José Monteiro; São Costurinhas; Alexandre Silva; José Silva; Eva Castro; Fundrinks; Helena Moreira e Maria João Sousa.
]]>
<![CDATA[Empresários famalicenses mais próximos do mercado cubano]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_empresarios_famalicenses_mais_proximos_do_mercado_cubano </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=123194&h=83fd8" width="303px" height="202px" border="0"/></p> A operação de charme da Caixiave no mercado cubano começou no início deste ano e, neste momento, a empresa líder no mercado ibérico em janelas e portas eficientes tem já em carteira quatro potenciais negócios neste país. Otimista e expectante, o CEO da empresa, Carlos Sá, diz esperar para breve a assinatura dos primeiros contratos.

A Caixiave é uma das empresas do concelho famalicense que já colhe frutos da parceria estabelecida entre a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e a Câmara de Comércio Portugal-Cuba, formalizada esta quarta-feira, 5 de dezembro, com a assinatura de um protocolo de colaboração tendo em vista a melhoria de condições de cooperação e de promoção de investimentos entre as empresas de Vila Nova de Famalicão e os agentes económicos de Cuba.

“Temos consciência de que o mercado cubano é difícil, mas temos boas expectativas. Foi com a recomendação da Câmara Municipal que a Câmara de Comércio fez a primeira abordagem à Caixiave e esse foi o ponto de partida para chegarmos onde estamos hoje. Até agora esta relação está a ser excelente”, afirmou Carlos Sá.

O protocolo assinado pelo presidente do município, Paulo Cunha, e pelo presidente da Câmara de Comércio, Américo Castro, prevê a realização de ações de capacitação empresarial e de informação às empresas sobre oportunidades de negócio e investimento e os instrumentos disponíveis de apoio à internacionalização, assim como a realização de ações de promoção das empresas famalicenses no mercado cubano no quadro da participação em feiras internacionais, missões e outros eventos evento no exterior, de campanhas de mercado e na organização de missões inversas.

Uma parceria que, conforme explica Paulo Cunha, traz conforto institucional às empresas do concelho na abordagem a “um mercado que é difícil, mas que tem dado sinais concretos de que está disponível e aberto às empresas e produtos com qualidade”.

“Em Famalicão temos muitos bons empresários com condições e potencial para chegar a um mercado tão exigente, mas este é um tipo de mercado que quem achar que consegue entrar sozinho, muito dificilmente o conseguirá fazer. A abordagem à internacionalização deve ser cuidada e muito bem pensada e a Câmara Municipal e a Câmara de Comércio estão disponíveis para serem interlocutores para uma abordagem acertada”, acrescentou o autarca.

O presidente da Câmara de Comércio Portugal-Cuba, Américo Castro, não tem dúvidas de quem em Vila Nova de Famalicão “existem muitas empresas com competência e perfil para Cuba”.

“As possibilidades são imensas para se fazer negócio. Com tempo e assertividade os resultados são possíveis, mas é importante que haja interlocutores que conheçam bem o mercado e que façam o devido acompanhamento para que os empresários consigam perceber a cultura de negócios deste país”, disse.

Refira-se que com este acordo, as duas entidades comprometem-se ainda a disponibilizar apoio e colaboração a iniciativas de aliança estratégica entre agentes económicos dos dois países que promovam, em parceria, ações de capacitação, inovação e transferência tecnológica, que possam contribuir para a intensificação das relações institucionais.
]]>
<![CDATA[Ingredientes para a Ceia de Natal não vão faltar na mesa dos famalicenses]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_ingredientes_para_a_ceia_de_natal_nao_vao_faltar_na_mesa_dos_famalicenses </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=123278&h=b2965" width="303px" height="202px" border="0"/></p> A ceia de Natal é sinónimo de reunião familiar e a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão não quer que falte à mesa dos famalicenses os ingredientes para que isso aconteça. E como o Bacalhau, o Azeite e a aletria são elementos chave da tradição, o município está a distribuir perto de 4 mil cabazes de natal com estes ingredientes pelas famílias carenciadas do concelho, em articulação com as juntas de freguesia, as Comissões Sociais Inter Freguesias e as conferências vicentinas do concelho.

O gesto foi assinalado simbolicamente esta sexta-feira, 7 de dezembro com o presidente da autarquia, Paulo Cunha, a entregar cabazes aos autarcas da Oliveira S. Mateus, Carlos Pereira, e de Avidos, António Gomes.

Ao todo, serão distribuídos perto de quatro mil cabazes que vão beneficiar outras tantas famílias do concelho. A autarquia entrega os cabazes às juntas, que tratam da sua distribuição e que, na maior parte dos casos acrescentam outros bens alimentares aos cabazes.

Com esta iniciativa social a autarquia investe perto de 65 mil euros, esforço que Paulo Cunha considera “absolutamente justificado dada a importância da quadra para a dimensão familiar”. Este é mais um daqueles investimentos que nas contas da autarquia aparecem classificados como despesa corrente, mas que, na realidade, é um verdadeiro investimento social nas famílias e na coesão comunitária.”

Refira-se que a sinalização das famílias carenciadas é feita pelas Juntas de Freguesia em colaboração com as comunidades vicentinas e a Rede Social de Famalicão.
]]>