Município de Famalicão: Notícias e Informações Úteis http://www.vilanovadefamalicao.org Últimas 10 notícias 15 asdad asdasd dasdad <![CDATA[Quim Barreiros animou Feira de Artesanato e Gastronomia]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_quim_barreiros_anima_feira_de_artesanato_e_gastronomia </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96687&h=02e82" width="303px" height="202px" border="0"/></p> No palco estava tudo afinado e na plateia tudo pronto para um pezinho de dança. As músicas, essas, estavam na ponta da língua, e com isto estavam reunidos todos os ingredientes para uma noite de grande animação. Assim foi o concerto de ontem à noite de Quim Barreiros na Feira de Artesanato e Gastronomia de Vila Nova de Famalicão, com a presença de cerca de 30 mil pessoas. A sexta noite da 32.ª edição do certame foi, sem sombra de dúvidas, uma das mais participadas de sempre.

Mas a animação continua e a aposta mantém-se na promoção e valorização dos artistas e grupos da casa. O cantor Vítor Faria é um dos nomes que promete animar a noite desta quinta-feira, 3 de setembro. Amanhã, dia 4, a música tradicional portuguesa sobe ao palco da Feira de Artesanato e Gastronomia com a atuação dos grupos Sons do Cancioneiro e Pedra D'Água, enquanto que Matilde Cardona e os Rosamate atuam no dia 5. O folclore regressa no último dia do certame, domingo, 6 de setembro, numa tarde que contará ainda com a atuação da Associação de Cantadores e Tocadores ao Desafio Famalicense, do Grupo de Cavaquinhos do Liberdad Futebol Clube, entre outros.

Organizado pela Câmara Municipal, recorde-se que o evento decorre até domingo, dia 6. Com a presença confirmada de mais de cem artesãos e cerca de uma dezena de restaurantes e tasquinhas, o certame oferece aos visitantes a oportunidade de assistir ao vivo ao trabalho dos artesãos, que vão elaborando as suas peças nas mais diversas artes, da cestaria à tamancaria, serralharia, barro, tecelagem, ourivesaria, marcenaria, entre muitas outras.

Consulte o programa de animação completo aqui.
]]>
<![CDATA[Famalicão ganha 321 novos empregos]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_ganha_321_novos_empregos </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96713&h=13fa8" width="304px" height="202px" border="0"/></p> A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão acaba de garantir a criação de 321 novos postos de trabalho no concelho através do apoio a novos projetos empresariais que totalizam um investimento de 11,5 milhões de euros.

Estes são os números que traduzem os projetos de seis empresas com atividade no território famalicense, duas das quais provenientes de fora do concelho, apoiados pela Câmara Municipal através da concessão de benefícios fiscais quanto ao IMI, ao IMT e às taxas de licenciamento de operações urbanísticas, num esforço financeiro do município que ronda o meio milhão de euros.

As seis empresas foram contempladas com apoios ao investimento após verem aprovadas as suas candidaturas aos Projetos de Investimento de Interesse Municipal - Made 2IN, programa que define o interesse público de novos projetos empresarias e regulamenta os apoios a conceder pelo município em função desse interesse.

Entre elas estão a sociedade Manuel Azevedo e a PCJM Concept - Mobiliário Expositor Unipessoal, Lda. que, num sinal claro da atratividade do território famalicense para o investimento, mudaram-se para o concelho de Vila Nova de Famalicão.

A Manuel Azevedo comprou as instalações da antiga Fitor em Avidos. Em causa está um investimento de 5 milhões de euros, com a criação de 300 postos de trabalho, apoiado pela autarquia com uma redução de 95% tanto do IMT (Imposto Municipal sobre Transações) como do IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) para os próximos cinco anos, o que representa 412.663,00 mil euros em benefícios fiscais.

A empresa de meias e peúgas funcionais e técnicas desenvolveu a sua atividade em Santo Tirso durante 20 anos. Agora não está apenas a iniciar o seu negócio em Vila Nova de Famalicão como transferiu a sede social para este concelho. Trata-se de uma empresa 100% exportadora com a Inglaterra como principal mercado.

As outras empresas que dão corpo a estes novos investimentos empresariais são a Vieira de Castro - Produtos Alimentares, a COMEIP - Moldes e Cortantes, a Argacol - Tintas e Vernizes e a Ângela Sá Fernandes, Lda.

A Vieira de Castro prepara-se para investir 4 milhões de euros na ampliação das instalações industriais, em Gavião, criando cinco novos postos de trabalho. A Câmara Municipal aprovou a redução para metade das taxas municipais de licenciamento das operações urbanísticas a realizar pela empresa, num montante estimado de 16.526,66 euros, e a redução do IMI cuja estimativa calculada para os próximos cinco anos é de 39.811,00 euros.

A COMEIP – Moldes e Cortantes, sediada em Ribeirão, vai iniciar a construção de um edifício para fabricar habitações modulares com estrutura em aço e revestimento exterior com novos materiais como a cortiça. Em causa está um investimento de 1,2 milhões de euros e a criação de seis postos de trabalho. O apoio da autarquia a este projeto consiste na redução para metade das taxas municipais de licenciamento, num montante estimado de 6.341,25 euros.

A Argacol, também sediada em Ribeirão, vai avançar com a construção de uma nave que servirá para reorganizar o seu layout, criando uma nova área de armazenamento de produtos acabados, num investimento de 600 mil euros e seis novos postos de trabalho. O apoio da autarquia a este projeto consiste na redução para metade das taxas municipais de licenciamento, num montante estimado de 3.411,20 euros, e na redução do IMI cuja estimativa calculada para os próximos cinco anos é de 7.425,00 euros.

A sociedade Ângela Sá Fernandes, Lda. solicitou apoio técnico para a realização de um investimento através da aquisição de um terreno e a construção de um edifício, em Lousado, no montante de 350 mil euros, prevendo a criação de um posto de trabalho. A Câmara Municipal aprovou a redução para metade das taxas municipais de licenciamento, num montante estimado de 2.793,08 euros, e a redução do IMI cuja estimativa calculada para os próximos cinco anos é de 853 euros.

Por fim, a PCJM Concept - Mobiliário Expositor Unipessoal, Lda. escolheu o concelho famalicense, mais concretamente a freguesia de Oliveira S. Mateus, para expandir o negócio após a ampliação e alteração do uso de uma construção licenciada para armazém, num investimento de 298.225,08 euros. O apoio da autarquia a este projeto consiste na redução para metade das taxas municipais de licenciamento, num montante estimado de 2.058,40 euros.

Para além dos benefícios fiscais concedidos a estes projetos por via da declaração do seu interesse público, a Câmara Municipal atribui um gestor de processo a cada um deles, assegurando assim uma estreita colaboração com os empresários.

As propostas destes novos investimentos empresariais foram aprovadas nas duas últimas reuniões do executivo camarário, realizadas a 6 de agosto e a 3 de setembro. O Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, congratula-se com estes novos investimentos, considerando que “são mais um sinal da atratividade do território em termos empresariais e ajudam a reforçar Vila Nova de Famalicão como um dos principais centros industriais de Portugal, com empresas de referência nacional e internacional, fundamentais no robustecimento da economia portuguesa”.
]]>
<![CDATA[Feira de Artesanato e Gastronomia vai bater número recorde de visitantes]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_feira_de_artesanato_e_gastronomia_vai_bater_numero_recorde_de_visitantes </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96615&h=20c6b" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Mais de 100 mil pessoas passaram, no último fim-de-semana, pela Feira de Artesanato e Gastronomia de Vila Nova de Famalicão, um número recorde que antevê já um enorme sucesso para a edição deste ano do evento que decorre até domingo, dia 6 de setembro.

“São números surpreendentes que nos deixam muito satisfeitos e orgulhosos”, afirma o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha. O autarca visitou o certame no sábado, percorrendo os mais de 100 expositores participantes e mostrou-se “bastante confiante”, quanto ao sucesso desta edição. “Temos todos os ingredientes reunidos – boa cozinha e artesãos de excelência, muita festa e animação – para atrair milhares de turistas e dar a conhecer o melhor de Famalicão”, salientou.

Este ano, pela primeira vez, todos os eventos da Feira de Artesanato e Gastronomia são de entrada livre, o que contribuirá certamente para aumentar ainda mais o número de visitantes.

Organizado pela Câmara Municipal, o certame vai já na sua 32.ª edição, e ocupa o recinto da antiga feira semanal. Com a presença de mais de cem artesãos e cerca de uma dezena de restaurantes e tasquinhas, o certame oferece aos visitantes a oportunidade de assistir ao vivo ao trabalho dos artesãos, que vão elaborando as suas peças nas mais diversas artes, da cestaria à tamancaria, serralharia, barro, tecelagem, ourivesaria, marcenaria, entre muitas outras.

À beleza e originalidade do artesanato, a feira junta os verdadeiros e genuínos sabores da gastronomia nacional. Tudo isto, num ambiente marcadamente popular animado pela presença de grupos folclóricos, cantares ao desafio e muita música tradicional portuguesa.

Consulte aqui o programa completo.
]]>
<![CDATA[Cerca de 12 mil famílias famalicenses vão pagar menos IMI]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_cerca_de_12_mil_familias_famalicenses_vao_pagar_menos_imi </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96638&h=1ad30" width="304px" height="202px" border="0"/></p> As famílias famalicenses com dois ou mais filhos a seu cargo vão beneficiar de uma redução na taxa do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), já a partir do próximo ano. A medida que abrange um universo de cerca de 12 mil famílias famalicenses, é uma das propostas do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, para 2016 e será apresentada ao executivo municipal na reunião ordinária da próxima quinta-feira.

Na prática, os agregados familiares famalicenses com dois dependentes vão ter uma redução de 15 por cento do IMI, enquanto as famílias com três ou mais dependentes vão ter uma redução de 20 por cento.
A medida surge na sequência das alterações introduzidas pelo Governo ao Código do Imposto Municipal sobre Imóveis que deu às autarquias a possibilidade de criarem o IMI familiar. Para Paulo Cunha, “esta medida é mais um passo importante da autarquia no desenvolvimento de uma política de apoio aos agregados familiares famalicenses suavizando a carga fiscal sobre as mesmas, principalmente sobre as mais numerosas. É por isso também uma medida de incentivo à natalidade.”

A redução da taxa do IMI será realizada automaticamente pela Autoridade Tributária e Aduaneira, com base na deliberação da autarquia e tendo em conta o número de dependentes que integram o agregado familiar na declaração anual do IRS.

A proposta integra o dossier fiscal que o presidente da Câmara Municipal propõe para o próximo ano e que volta a afirmar-se sob o signo da estabilidade, mantendo-se inalteráveis as taxas no concelho para o IMI, a derrama e o IRS. Isto significa que, em Famalicão, as empresas que não ultrapassem os 150 mil euros em volume de negócios vão continuar isentas do pagamento do imposto sobre o lucro (derrama), enquanto os cidadãos vão manter os benefícios de uma taxa reduzida de IMI, 0,35%. Quanto à participação do município no Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Singulares (IRS), a taxa em Famalicão ficará novamente fixada nos 5%.

Esta é já, de resto, uma das marcas do executivo municipal liderado por Paulo Cunha que vai manter inalteradas as taxas fiscais pelo quarto ano consecutivo. “Queremos que as pessoas saibam que Famalicão é um concelho previsível em matéria fiscal, porque reconhecemos a importância do valor da estabilidade. A oscilação da carga fiscal traz insegurança às pessoas e às empresas”, explica o autarca famalicense.

Desta forma, a Câmara lança as bases para um orçamento municipal amigo das famílias e amigo das empresas. “A opção por uma taxa reduzida de IMI, a que acresce ainda os descontos para famílias com dois ou mais filhos, e a isenção da derrama para empresas com um volume de negócios que não ultrapassem os 150 mil euros, são medidas de grande alcance social e económico que procuram garantir o desenvolvimento harmonioso do concelho”, refere ainda Paulo Cunha.

A decisão relativa à derrama significa mesmo, de acordo com o autarca, “um grande esforço financeiro do município, que é ao mesmo tempo uma grande aposta no desenvolvimento económico do concelho, uma vez que isenta do pagamento do imposto a grande maioria das cerca das 5 mil sociedades comerciais sediadas no concelho e que, no seu conjunto, são também as grandes empregadoras do território”.

Recorde-se que em matéria de apoio às famílias famalicenses, a Câmara Municipal aprovou ainda recentemente um conjunto de medidas, donde se destaca, por exemplo, a criação de um novo escalão de apoio social para o primeiro ciclo do ensino básico.
]]>
<![CDATA[Contos d’Avó regressam em setembro ]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_contos_davo_regressam_em_setembro </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96550&h=d1d90" width="303px" height="202px" border="0"/></p> É no jardim da casa da avó Aida, situada em Vermoim, que será dado o pontapé de arranque do festival itinerante de contadores de histórias “Contos d’Avó”, cuja próxima edição decorre de 10 a 13 de setembro, em Vila Nova de Famalicão.

Como esta avó de 82 anos são mais cinco os avós do concelho que este ano aceitaram abrir as portas das suas casas a contadores de histórias profissionais que, mais uma vez, prometem encantar todos aqueles que quiserem participar nesta partilha de histórias, lendas, adivinhas e anedotas promovida pelo Teatro da Didascália.

Vermoim, Joane e Mouquim são as freguesias famalicenses que em setembro vão receber as sessões dos “Contos d’Avó”, festival que, como refere Bruno Martins, da organização, “se reinventa ano após ano”.

Para além de um novo leque de contadores de histórias, esta nova edição da iniciativa conta também com outras duas grandes novidades. A primeira prende-se com as sessões “Memórias de Pedra”, realizadas em torno do património edificado do concelho famalicense, reavivando as suas lendas, mitos e histórias. As sessões de “Contos à Mesa” são também novidade. Tratam-se de encontros informais onde contadores, organização e público poderão partilhar um jantar ouvindo e contando histórias.

“Almoçar e jantar com contadores fabulosos, que mesmo nas horas de lazer e descanso não param de contar, era um privilégio que não queríamos guardar só para nós”, explica a propósito Bruno Martins.

Preservar e fomentar o hábito de contar histórias é o principal objetivo dos “Contos d’Avó”. Uma prática perdida ao longo dos anos, que agora vê recriada neste festival toda a sua sabedoria popular e ambiente fraternal. “As palavras e as histórias ocupam cada vez menos lugar nas nossas bocas e ouvidos. É por isso que este festival é cada vez mais pertinente, urgente e insurgente”, acrescenta Bruno Martins.

Refira-se ainda que a organização do festival conta com o apoio da Câmara Municipal de Famalicão e que toda a sua programação, à exceção dos “Contos à Mesa”, é de participação gratuita. Programa completo e mais informações sobre o festival no site do Teatro da Didascália.
]]>
<![CDATA[Governo elogia Fundação Cupertino de Miranda]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_governo_elogia_espolio_e_trabalho_da_fundacao_cupertino_de_miranda </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96535&h=3d5fa" width="304px" height="202px" border="0"/></p> A obra do artista plástico Júlio dos Reis Pereira juntou-se à de nomes como Mário Cesariny, Cruzeiro Seixas e Eurico Gonçalves quando, em 2013, o seu filho, José Alberto dos Reis Pereira, legou toda a obra surrealista do pintor e ilustrador português à Fundação Cupertino de Miranda, em Vila Nova de Famalicão.

A doação deste legado, composto por mais de 400 pinturas e desenhos daquele que foi um dos primeiros pintores a introduzir o Surrealismo em Portugal, foi uma das razões que levou a Secretaria de Estado da Cultura a atribuir, a título póstumo, a Medalha de Mérito Cultural ao filantropo José Alberto dos Reis Pereira, numa cerimónia que decorreu esta tarde, na Fundação Cupertino de Miranda, com a presença do Secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier.

Um gesto que se repetiu com outras instituições nacionais e que permite que a obra do pintor Júlio possa agora ser apreciada por todos. “É um reconhecimento plenamente justificado pelo exercício da partilha e pela forma como José Alberto dos Reis Pereira sempre olhou para a sociedade, e muito concretamente, para a Cultura”, explicou.

Na cerimónia desta segunda-feira, o governante não poupou elogios à Fundação Cupertino de Miranda. “O trabalho desta instituição tem-se manifestado de uma enorme relevância para o desenvolvimento do município de Famalicão, mas também de toda a região”, acrescentou.

Esta foi, de resto, uma homenagem recebida com emoção pela viúva do filantropo vila-condense, Emília Maria Cela. “É uma distinção justíssima a um homem que dedicou toda a sua vida à cultura e à valorização da obra do pai”.

O Presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, elogiou o “gesto nobre” de José Alberto dos Reis Pereira, “que confiou na Fundação Cupertino de Miranda um espólio que muito contribui para o enriquecimento da instituição famalicense”.

Refira-se que para além da Fundação Cupertino de Miranda, outras instituições culturais do país receberam um enorme legado de José Alberto dos Reis Pereira. O filantropo organizou ainda diversas atividades relacionadas com a obra do seu pai, mas também do tio, o poeta José Régio.

Recorde-se que o Museu da Fundação Cupertino de Miranda tem por missão a divulgação da Arte Moderna e Contemporânea, especialmente do Surrealismo. Tem como principais objetivos o estudo, a documentação, conservação e divulgação do seu acervo. Com uma importante coleção composta essencialmente por obras de artistas portugueses, reforça um património cada vez mais representativo do Surrealismo português, enriquecendo continuamente a coleção e permitindo tornar visíveis as obras do seu acervo através de uma sucessão de exposições.
]]>
<![CDATA[Cinema em dose dupla no Parque da Devesa]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_verao_convida_ao_cinema_ao_ar_livre </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=95496&h=49d2d" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Esta semana não há uma, mas sim duas sessões de cinema ao ar livre em Vila Nova de Famalicão. O Cinema Paraíso regressou ontem ao Parque da Devesa e têm ainda agendada uma sessão para esta quinta-feira, dia 20, com a exibição do filme “Grand Budapest Hotel”. A sessão é gratuita e começa às 22h00.

Esta quinta-feira, dia 20, é então exibido o filme “Grand Budapest Hotel”, uma comédia de época, escrita e realizada por Wes Anderson, cujo argumento se inspira em vários escritos do romancista vienense Stefan Zweig. A história decorre durante a década de 1930, na fictícia República de Zubrowka. O elenco é de luxo e conta, entre outros, com os actores Ralph Fiennes, Jeff Goldblum, Willem Dafoe, Edward Norton, Adrien Brody, Jude Law, Léa Seydoux, Tilda Swinton, Bill Murray.

A decorrer até ao final deste mês de agosto, refira-se que o Cinema Paraíso é uma iniciativa promovida pelo Cineclube de Joane em colaboração com a Casa das Artes, convidando toda a população para um programa cinematográfico repleto de animação e magia, totalmente gratuito. A iniciativa termina na próxima quarta-feira, dia 26, com a exibição do filme “Magia ao Luar”, de Woody Allen.


]]>
<![CDATA[História e património para visitar sem pagar]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_historia_e_patrimonio_para_visitar_sem_pagar </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96451&h=d18cd" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Os números são recentes e não enganam: entre os meses de janeiro e junho os museus e monumentos nacionais tiveram mais de 1,8 milhões de visitantes. O património cultural e a rica história do país têm atraído cada vez mais turistas nacionais e estrangeiros. O turismo cultural tem um potencial de crescimento muito grande e também neste capítulo Vila Nova de Famalicão tem muito que oferecer.

Vila Nova de Famalicão dispõe de uma rede museológica rica e singular que projeta a imagem de um concelho culturalmente dinâmico e potencia o seu património cultural como produto turístico de excelência. Dela fazem parte cinco museus municipais que durante o mês de agosto têm horários de abertura alargados e são de entrada gratuita.

A Casa-Museu Camilo Castelo Branco é considerada a maior memória viva de um dos principais romancistas do século XIX. O Museu Ferroviário de Lousado revela a história dos caminhos-de-ferro da primeira metade do século XX. O Museu da Fundação Cupertino de Miranda guarda o mais importante acervo do século XX do Surrealismo em Portugal. O Museu Bernardino Machado revela a personalidade de um dos vultos da memória política do país. O Museu da Indústria Têxtil ajuda a perceber os alicerces históricos de um sector industrial marcante na região.

Neste momento, o Museu da Fundação Cupertino de Miranda tem patente a exposição “O que Elas nos dão a ver”, com trabalhos de Paula Rego, Graça Morais, Vieira da Silva, Ilda David e Isabel Meyrelles. Já no Museu Bernardino Machado pode apreciar a exposição que assinala o centenário da Primeira Presidência de Bernardino Machado.

Na sua próxima visita a Vila Nova de Famalicão não deixe de visitar os museus municipais. São verdadeiras caixas fortes da identidade famalicense onde está preservada a cultura popular e presente a memória coletiva.


Casa-Museu Camilo Castelo Branco
Foi construída em S. Miguel de Seide, por volta de 1830, com dinheiros amealhados em terras de Vera Cruz por Pinheiro Alves. O romancista instalou-se na casa amarela, no inverno de 1863, onde até ao fatídico dia de 1 de Junho de 1890, num processo febril de criação literária e à custa da tragédia própria e alheia, escreveu grande parte da sua obra, que reflete os traços mais marcantes e genuínos do Portugal oitocentista e da alma portuguesa em todos os tempos. Depois do incêndio de 1915, o imóvel foi reconstruído e transformado, em 1922, em Museu Camiliano, assumindo atual designação nos anos 50 do século XX. É hoje considerada a maior memória viva de Camilo Castelo Branco e uma das mais conhecidas e prestigiadas Casas-Museu de Portugal.

Horário:
Terça a sexta-feira: 10h00 - 17h30 | Sábado e domingo: 10h30 - 12h30 e 14h30 - 17h30
Encerra à segunda-feira e feriados
Entrada gratuita


Museu do Surrealismo da Fundação Cupertino de Miranda
Situa-se ao longo da torre, revestida com painéis da autoria de Charters de Almeida, desde o 2º até ao 7º andar. Em 2003 aderiu à Rede Portuguesa de Museus. Entre os bens pessoais que os fundadores doaram à Fundação conta-se um grande número de obras de arte, com destaque para o tríptico “Vida” de António Carneiro, obra-prima da pintura simbolista portuguesa. Especial ênfase também para as obras de autores ligados ao surrealismo português, tais como: Carlos Calvet, Carlos Eurico da Costa, Cruzeiro Seixas, Eurico Gonçalves, Júlio dos Reis Pereira, Manuel D'Assumpção, Mário Botas, Mário Cesariny, Mário Henrique Leiria, Pedro Oom, Risques Pereira, entre outros. O Museu conta assim no seu acervo, datado maioritariamente do século XX, com uma importante coleção de objetos de arte, composta essencialmente por artistas do Surrealismo português.

Horário:
Segunda a sexta-feira: 10h00 - 12h30 e 14h00 - 18h00 | Sábados e feriados: 14h00 - 18h00
Encerra ao domingo
Entrada gratuita


Museu Bernardino Machado
A ideia de criar um Museu Municipal em homenagem a Bernardino Machado nasce pela primeira vez em 1983. Em 1995, a “Mostra Nacional Bernardino Machado” resulta numa consciencialização de que a existência de espólio, aliada a uma grande motivação, justificam a criação de um museu inteiramente dedicado a esta personalidade. É decidido também que este será instalado no Palacete Barão de Trovisqueira, edifício do século XIX, comprado pela Câmara Municipal em 1988. O Museu Bernardino Machado abriu as suas portas ao público, com a exposição permanente, em 15 de Dezembro de 2001, já com um vasto leque de atividades. A coleção de âmbito temático é constituída pelos seguintes núcleos: fundo documental, monografias, quadros, vestuário, mobiliário, objetos pessoais, artes decorativas, entre outros, do período entre 1835 e 1944.

Horário:
Terça a sexta-feira: 10h00 - 17h30 | Sábado e domingo: 14h30 - 17h30
Encerra à segunda-feira e feriados
Entrada gratuita


Museu da Indústria Têxtil
Está instalado em Vila Nova de Famalicão desde 1987, na antiga Fábrica de Fiação e Tecelagem de Lã – Lanifícia do Outeiro, em Calendário, e possui uma magnífica coleção de cerca de meia centena de máquinas têxteis, representativas de várias épocas e dos diferentes processos da produção, as quais foram doadas por várias empresas têxteis da Bacia do Ave e do país. São disso exemplo a Carda de Fiação (1959), o Tear de Fitas Jacquard (1969) e o Tear de Gaze Hidrófila (primeira metade do século XX).

Horário:
Terça a sexta-feira: 10h00 - 17h30 | Sábado e domingo: 14h30 - 17h30
Encerra à segunda-feira e feriados
Entrada gratuita


Museu Ferroviário de Lousado
Ocupa a totalidade do original complexo oficinal da Companhia dos Caminhos de Ferro de Guimarães (1883/1927) com cerca de 1400 m2. O projeto de arquitetura e restauro respeitou as tipologias, as funções e os materiais construtivos dos edifícios, hoje com lugar de destaque no âmbito da arqueologia industrial. A implementação do museu desenvolveu-se com base nas boas práticas da museologia contemporânea, sujeita a um programa que contempla áreas públicas e privadas, com espaços condignos de acolhimento de público, loja, visitas guiadas e garantia da mobilidade de todos os visitantes e funcionamento regular, que permite a fruição de um espólio ímpar no país. A exposição do material circulante, organizada cronologicamente, tem por objetivo mostrar comboios de diversos tipos. O material construído entre 1875 e 1965 é oriundo de oito companhias e foi adquirido em seis países a quinze construtores.

Horário:
Terça a sexta-feira: 10h00 - 17h30 | Fim-de-semana e feriados: 14h30 - 17h30]]>
<![CDATA[Mais 300 mil euros para dez instituições desportivas]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_mais_300_mil_euros_para_dez_instituicoes_desportivas </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96437&h=98a8b" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Cerca de 300 mil euros consubstanciam o mais recente envelope de financiamento que a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai atribuir para apoiar o desporto no concelho. O executivo liderado por Paulo Cunha aprovou por unanimidade, na sua última reunião pública antes das férias, realizada na quinta-feira da semana passada, a atribuição de apoios financeiros a dez instituições desportivas.

A maioria dos subsídios, cujo montante global é de 303.950,00 euros, destina-se ao desenvolvimento de atividades e formação que abrangem diferentes modalidades desportivas. No entanto, entre as propostas apreciadas pelo coletivo de vereadores, destaca-se o investimento que a autarquia famalicense se prepara para realizar no arrelvamento de mais um campo de futebol. Desta vez a contemplada é a Associação Desportiva Juventude de Mouquim.

A colocação de relvado sintético representa um investimento municipal de 190 mil euros e é apenas uma das intervenções de um plano de melhoramento das instalações desta coletividade. “É um bom investimento porque serve as pessoas, nomeadamente os jovens, e permite também alimentar o sentimento de pertença a Famalicão”, considera Paulo Cunha, adiantando que outras frentes de obra estão a ser avaliadas com o objetivo de dotar o concelho de uma rede de infraestruturas desportivas de excelência.

De resto, o Plano Municipal de Apoio ao Arrelvamento de Campos de Futebol já abrangeu cerca de duas dezenas de clubes famalicenses, num investimento municipal superior a dois milhões de euros. Esta aposta enquadra-se numa verdadeira política de desenvolvimento desportivo no concelho. O apoio às coletividades desportivas, muito concretamente às que desenvolvem programas de formação desportiva para as gerações mais novas, tem sido uma aposta sustentada da Câmara de Famalicão.

Para além deste apoio financeiro contam-se mais nove neste pacote. O Grupo Desportivo de Joane vai receber 25 mil euros como comparticipação dos custos de manutenção do campo de futebol 11 em relvado natural e o Futebol Clube de Vermoim 3.750 euros para o desenvolvimento de atividades de formação desportiva.

Já a Gindança – Associação de Ginástica e Dança de Famalicão foi contemplada com um subsídio de 25 mil euros tendo em vista a organização da Final da Taça de Portugal de Danças Latinas e Standard e a Taça da Europa de Danças Standard. Também a Associação de Futebol de Braga vai receber 25 mil euros para pagamento parcial das inscrições e dos seguros federativos da época 2014-2015 dos atletas famalicenses.

Para a Crescer Além da Dança – Associação para o Ensino e Desenvolvimento da Dança estão destinados 11.400 euros para apoiar o desenvolvimento do projeto “Ensinar pela Dança”, ao passo que o Clube de Rugby de Famalicão e a Associação de Boccia Luís Silva vão receber 4.800 euros e 3 mil euros, respetivamente, para o desenvolvimento de atividades e formação desportiva.

A Associação Teatro Construção vai encaixar 15 mil euros para a realização de vários eventos desportivos: XVI Famalicão – Joane, XIII Vermoim – Joane, I Requião – Joane, VIII Bike Tour Famalicão – Joane e Basket Cup 2015.

Por fim, o Groove Spot – Clube de Danças Urbanas de Famalicão foi contemplado com mil euros para apoiar a participação no Campeonato Internacional San Diego 2015.


]]>
<![CDATA[Dia Internacional da Juventude tem festa nas piscinas]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_dia_internacional_da_juventude_tem_sunset_pool_party_em_famalicao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=96426&h=26966" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Vila Nova de Famalicão celebra o Dia Internacional da Juventude, que se assinala esta quarta-feira, 12 de agosto, com uma memorável Sunset Pool Party, a partir das 16h00, nas piscinas municipais. Esta iniciativa é promovida pelo Pelouro da Juventude e pretende, mais do que assinalar a data, disponibilizar um espaço de convívio e lazer para os jovens famalicenses.

Esta segunda edição da Sunset Pool Party contará com o talento e a animação dos DJs Full House e Cor de Canela. Aos participantes é pedido que se vistam de amarelo, laranja ou verde.

De salientar que as piscinas exteriores municipais estarão abertas a partir das 10h00, com entrada gratuita, para jovens dos 12 aos 30 anos.
]]>