Município de Famalicão: Notícias e Informações Úteis http://www.vilanovadefamalicao.org Últimas 10 notícias 15 asdad asdasd dasdad <![CDATA[S. Roque vai ampliar instalações para responder aos desafios dos mercados]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_s_roque_vai_ampliar_instalacoes_para_responder_aos_desafios_dos_mercados </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=88061&h=07fd6" width="304px" height="202px" border="0"/></p> A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão deu luz verde à ampliação da unidade industrial da S. Roque, empresa de máquinas e tecnologia a laser para as indústrias de estamparia têxtil, declarando o investimento de relevante interesse público municipal. Em causa está a construção de um novo edifício de apoio à atividade industrial, com uma área de 2.700 metros quadrados, que permitirá à empresa de Oliveira S. Mateus tornar o processo produtivo mais rápido e rentável.

O terreno para onde a S. Roque vai crescer é contíguo às atuais instalações industriais e encontra-se classificado como Espaço Não Urbanizável no Plano Diretor Municipal.

A decisão, aprovada por unanimidade pelo executivo municipal na reunião pública ordinária desta quinta-feira, 24 de julho, enquadra-se numa política ativa de promoção do desenvolvimento económico do concelho seguida pelo Município de Vila Nova de Famalicão e tem como fundamento os argumentos apresentados pela empresa, que assegura a criação de novos postos de trabalho e um novo contributo para o crescimento da economia local.

Com 190 colaboradores, a S. Roque é uma empresa de referência do concelho de Vila Nova de Famalicão, tendo iniciado a sua atividade em 1979. Encontra-se atualmente num processo de franco crescimento no mercado nacional e internacional.
]]>
<![CDATA[Município reduz dívida e afirma-se como financeiramente eficiente e independente]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_municipio_reduz_divida_e_afirmase_como_financeiramente_eficiente_e_independente </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=88057&h=9b5bb" width="304px" height="202px" border="0"/></p> A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão conseguiu baixar a sua dívida pelo quinto ano consecutivo, cifrando-se no final de 2013 nos 36,7 milhões de euros, contra os 38,1 milhões de 2012. Entre 2009 e 2013 a autarquia famalicense conseguiu abater perto de 10 milhões de euros, o que representa uma redução de 20,7% em apenas cinco anos. Isto significa uma distribuição da dívida per capita de 274 euros, número muito longe do topo da lista que é encabeçada por Vila Real de Santo António que regista um valor por munícipe de 3826 euros.

Os números foram ontem revelados com a publicação do Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2013, que resulta de um trabalho de investigação de quatro académicos da Universidade do Minho e do Instituto Politécnico do Cávado e Ave (IPCA), que fizeram uma análise económica e financeira das contas dos municípios em 2013. O documento conta com o apoio do Tribunal de Contas e da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas.

A publicação revela também que a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão é a única autarquia do distrito de Braga a figurar no ranking dos 50 municípios do país com maior independência financeira, ocupando o 34º lugar entre as 308 câmaras do país. A independência financeira dos municípios é considerada nos casos em que as receitas próprias representam, pelo menos, 50% das receitas totais. A Região Norte aparece representada neste índice com apenas seis municípios, sendo Vila Nova de Famalicão o único representante nortenho da lista fora da região do Grande Porto. Os outros são: Porto, Maia, Matosinhos, Póvoa de Varzim e Vila Nova de Gaia.

Igualmente relevante para Vila Nova de Famalicão é o seu posicionamento no grupo dos 10 maiores municípios de grande dimensão – com população maior que 100 mil habitantes – em termos de eficiência financeira, considerando o período entre 2010 e 2013.

Para chegar à classificação de um município financeiramente eficiente, os investigadores do estudo mediram um cabaz de rácios que relaciona um conjunto de indicadores como, entre outros, as dívidas a terceiros por habitante, a liquidez, o endividamento líquido, o resultado operacional, o peso dos custos com pessoal, a diminuição das dívidas, o grau de execução da receita líquida e o prazo médio de pagamentos aos fornecedores, que no caso de Famalicão é de apenas 19 dias.

O presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, encara os resultados do estudo com “grande sentido de responsabilidade” e apesar de recusar “embandeirar em arco”, não esconde a satisfação pelos números refletirem “uma gestão cuidada, atenta e rigorosa que garante a solidez das contas municipais e, simultaneamente, o cumprimento das nossas obrigações financeiras com os nossos fornecedores, pagando a tempo e horas”.

“A saúde financeira do município é uma importante garantia para a manutenção da nossa dinâmica, que é justamente notada como uma das maiores do país. Conseguir manter este rigor num contexto de diminuição constante de receita, significa criar condições para que Vila Nova de Famalicão afirme cada vez mais o seu território pelas melhores razões e significa também garantir solo fértil para as futuras gerações de famalicenses”, refere a propósito o edil famalicense.]]>
<![CDATA[Já arrancou a primeira fase do empréstimo de livros escolares na Biblioteca Municipal]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_ja_arrancou_a_primeira_fase_do_emprestimo_de_livros_escolares_na_biblioteca_municipal </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=88023&h=a2007" width="304px" height="202px" border="0"/></p> A doação de manuais ao Banco de Livros Escolares de Vila Nova de Famalicão aumentou cerca de 60 por cento entre 2013 e 2014, tendo as doações passado de 1300 para 2023. Depois de terminado o período da oferta de livros ao banco, começa esta sexta-feira, 25 de julho, a primeira fase da entrega, sendo que um dia antes, na quinta-feira, é divulgada no site da Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco (www.bibliotecacamilocastelobranco.org) a lista com os manuais angariados para empréstimo.

“Os números são muito gratificantes e demonstram bem o espírito solidário dos famalicenses”, destaca a propósito o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, que se mostrou muito satisfeito com adesão da população a este projeto municipal.

A primeira fase do empréstimo decorre então de 25 de julho a 8 de agosto e destina-se prioritariamente aos alunos do escalão B da ação social escolar e também às famílias que cederam manuais ao banco. A segunda fase destina-se aos restantes interessados e decorre a partir de 8 de agosto.

De acordo com Paulo Cunha “se os manuais disponíveis no banco não forem suficientes para suprir as necessidades das famílias com maiores carências, há ainda a possibilidade de a Câmara Municipal comprar livros para o banco de forma a assegurar o empréstimo a quem mais precisa”.

Refira-se que depois da gratuitidade de manuais escolares a todas as crianças do 1.º ciclo do ensino básico, a autarquia tem vindo a apostar no Banco de Livros Escolares para o 2.º e 3.º ciclos e ensino secundário, lançando uma campanha de sensibilização às famílias do concelho para que doem livros ao banco.

Para além do cariz social, os benefícios do banco de livros são imensos destacando-se ainda o cariz ambiental e económico.

Os principais objetivos são desenvolver o sentido de partilha e solidariedade social, promover a reutilização dos manuais escolares e o respeito pelo livro, diminuir os custos de aquisição de manuais escolares e promover a educação ambiental, principalmente junto das gerações mais novas.

De acordo com o regulamento, a Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco é a entidade responsável pela constituição e gestão do banco de manuais escolares entregues pela população.

]]>
<![CDATA[José Gil é o vencedor do Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_jose_gil_e_o_vencedor_do_premio_de_ensaio_eduardo_prado_coelho </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=88034&h=f26a2" width="304px" height="202px" border="0"/></p> José Gil, que em 2005 foi considerado um dos grandes pensadores do mundo pela revista francesa Le Nouvel Observateur, é o vencedor do Grande Prémio de Ensaio “Eduardo Prado Coelho” 2013, promovido em parceria pela Associação Portuguesa de Escritores e a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão. O filósofo, ensaísta e professor foi distinguido por unanimidade pela sua obra “Cansaço, Tédio, Desassossego” (Relógio D’Água).

No livro, o filósofo José Gil questiona, num profundo ensaio, a atitude de Fernando Pessoa em relação ao seu heterónimo Alberto Caeiro. Porque é que Fernando Pessoa faz morrer Caeiro e mais nenhum heterónimo? Ou como caracterizar o corpo de Caeiro a que o poeta neo-pagão se refere constantemente? Mas inúmeras outras perguntas pedem resposta: porque é que Álvaro de Campos interfere na relação amorosa de Fernando Pessoa e de Ofélia? Porque é que o patrão Vasques se destaca no deserto da paisagem humana do Livro do Desassossego?

José Gil tem vindo a destacar-se cada vez mais no panorama literário português. Em 2004, publicou “Portugal, Hoje. O Medo de Existir”, a sua primeira obra escrita diretamente em português, que rapidamente se tornou um sucesso de vendas. O livro fala do quotidiano de uma forma simples e acessível. Antes disso, já tinha publicado diversas obras, sobre temas tão diversos como Salazar, Fernando Pessoa, a Córsega, o corpo ou O Principezinho, de Saint-Exupéry.

Em janeiro de 2005, a conceituada revista francesa Le Nouvel Observateur integrou José Gil no grupo dos 25 grandes pensadores do mundo.

O prémio de Ensaio “Eduardo Prado Coelho”foi instituído em 2010 e distingue, anualmente, uma obra de ensaio literário, publicada em livro, com o valor monetário de 7.500 euros.
“Trata-se de uma homenagem que pretende perpetuar o grande ensaísta Eduardo Prado Coelho, falecido em 2007, que doou ao nosso município o seu espólio bibliográfico de 12.500 títulos, disponível para consulta na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco”, explica a propósito o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.
A data da cerimónia de entrega do prémio será divulgada oportunamente.

José Gil nasceu em 1939, em Lourenço Marques, Moçambique. Após completar o ensino secundário na capital moçambicana, em 1957 veio estudar para a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, onde se inscreveu no curso de Ciências Matemáticas. Mais tarde, percebeu que a sua área preferida era a Filosofia e mudou de curso. Em 1968 concluiu a licenciatura em Filosofia na Faculdade de Letras de Paris, na Universidade da Sorbonne.

Depois de vários anos de estudo e atividade, José Gil regressou a Portugal, em 1976, para ser adjunto do Secretário de Estado do Ensino Superior e da Investigação Científica. Cinco anos mais tarde instalou-se definitivamente em Portugal quando passou a ser professor auxiliar convidado na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Lecionou Estética e Filosofia Contemporânea. Paralelamente deu aulas no Colégio Internacional de Filosofia, de Paris, numa escola em Amesterdão, na Holanda, e na Universidade São Paulo, no Brasil. Orientou também vários seminários em Porto Alegre, no Brasil, e participou em congressos de Filosofia nos Estados Unidos da América. A partir de 1996 passou a dirigir a Coleção de Filosofia da editora Relógio D' Água.

Publicou diversos artigos e ensaios científicos em revistas e enciclopédias de todo o mundo, destacando-se nas suas preferências a reflexão sobre o corpo.
]]>
<![CDATA[Empresa Tec Pellets é reflexo da força da energia ]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_empresa_tec_pellets_e_reflexo_da_forca_da_energia </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=88046&h=16952" width="304px" height="202px" border="0"/></p> De um lado entram pesados e grandes toros de madeira, no outro extremo saem pellets com poucos milímetros de espessura e comprimento. Por incrível que pareça, os segundos são uma fonte de energia mais eficiente que os primeiros e por consequência cada vez mais procurados pela indústria.

Avelino Reis percebeu isso mesmo e percebeu também que o facto de possuir uma empresa transportadora lhe dava uma vantagem direta sobre eventuais concorrentes. Os dois argumentos impulsionaram a criação da Tec Pellets que em apenas um ano de vida, assinalado em março último, faturou qualquer coisa como 12 milhões de euros. Os números da produção ajudam a compreender os níveis da faturação: 12 toneladas por hora, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

A empresa foi nesta segunda-feira, 21 de julho, alvo da visita do Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, no âmbito do programa “Famalicão Made IN”, e recebeu rasgados elogios por parte do autarca famalicense pela “força e dinâmica que lhes está associada, diretamente ligada à visão e empreendedorismo de Avelino Reis”.

A cada 15 dias, 150 camiões da Transfradelos, a tal empresa transportadora de Avelino Reis, partem para o Porto de Leixões para enviar a quase totalidade da produção para o Reino Unido, onde é utilizada como combustível para as termoelétricas.

Para além da capacidade produtiva, Paulo Cunha destacou o caráter ambiental da empresa que produz uma energia limpa, que se impõe como uma alternativa aos produtos petrolíferos, e que absorve na sua laboração os resíduos resultantes das limpezas florestais. “É um estímulo importante que se dá aos proprietários dos terrenos para manterem limpas as suas propriedades”, destacou.

Igualmente realçado pelo presidente da Câmara é o facto de Avelino Reis ser, desde 2005, presidente da Junta de Freguesia de Fradelos. “É um exemplo de apego à terra que importa enaltecer e assinalar, porque traduzido numa entrega desinteressada ao serviço público, apesar das responsabilidades pessoais enquanto empresário.”

Avelino Reis administra um grupo com 13 empresas, espalhadas por várias localidades nacionais e com uma sedeada já em Espanha.
]]>
<![CDATA[Dia de festa e alegria em Lousado]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_dia_de_festa_e_alegria_em_lousado </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=87985&h=ccbcd" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Como se mede a força de um clube? Será pelo número de atletas que envolve, pela quantidade de modalidades que pratica, ou pela sua influência na comunidade circundante? Se é por isto, o Grupo Desportivo de Lousado tem uma força enorme! E isso ficou bem visível, sábado, na inauguração das obras de melhoramento do seu recinto desportivo. Em ambiente de festa e de grande alegria, atletas dos vários escalões e modalidades, dirigentes do clube, lousadenses, autarcas, patrocinadores e, até a recém-criada claque juntaram-se todos numa cerimónia simples mas repleta de simbolismo.

As obras inauguradas foram a bancada coberta e o relvado sintético, que envolveram um investimento da Câmara Municipal de Famalicão de 250 mil euros. As duas infra-estruturas encheram de “satisfação e orgulho” o presidente da direção do clube, Carlos Aranha. Para o responsável “a realização destas obras é a concretização de um sonho de várias gerações”. Foi devido “ao trabalho, ao empenho e à persistência de toda uma comunidade que este sonho se tornou realidade”. Mas Carlos Aranha lembrou que “o jogo está apenas no intervalo e que na segunda parte há mais obras para fazer”. O responsável agradeceu à Câmara Municipal o apoio concedido e também à multinacional alemã sediada na freguesia, Continental Mabor.

O dia era de grande alegria e o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, disse ser “um enorme privilégio fazer parte desta festa e da concretização deste sonho”.

O autarca elogiou a grandeza do Grupo Desportivo de Lousado e destacou a convergência de forças em torno do clube. “Estas obras são o resultado da ambição de uma comunidade e da concertação dos vários intervenientes: o clube, a freguesia, a câmara e a empresa Continental Mabor”.

De resto, Paulo Cunha referiu que “esta coesão de esforços é um símbolo daquilo que queremos para todo o concelho”. “Queremos envolver todos os agentes das 49 freguesias do concelho, para que contribuam para a concretização de mais sonhos”.

O autarca salientou ainda a importância das obras inauguradas “na melhoria da qualidade de vida dos lousadenses”.

Sob o lema “o desporto é para os bravos”, o Clube Desportivo de Lousado integra cerca de 200 atletas, em várias modalidades. Fundado em 1976, tem as modalidades de futebol, futsal feminino, BTT, montanhismo e bilhar para os escalões seniores, juniores, juvenis, iniciados, infantis, benjamins e traquinas.
]]>
<![CDATA[Cinema ao ar livre junta famílias inteiras]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_cinema_ao_ar_livre_junta_familias_inteiras </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=87895&h=484c8" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Pode-se trazer a família toda não importa que as crianças sejam barulhentas. Pode-se falar durante o filme e fazer barulho a comer as pipocas. E o melhor de tudo: a entrada é grátis. O ciclo de cinema ao ar livre arrancou, esta quarta-feira, no Parque da Devesa, em Vila Nova de Famalicão, e não podia ter começado de melhor forma. Centenas de pessoas preencheram o anfiteatro e assistiram à película “Golpada Americana”. As noites quentes de Verão são o melhor convite para este “Cinema Paraíso”, que vai trazer até ao público os últimos êxitos da sétima arte.

O cenário vai repetir-se todas as quartas feiras, pelas 22h00, com sessões gratuitas no anfiteatro ao ar livre da Devesa, numa iniciativa co-produzida pelo Município de Famalicão e pelo Cineclube de Joane.
A próxima sessão é “O Fantástico Homem-Aranha 2” (23 de julho), seguindo-se “Gravidade” (30 de julho), “A Gaiola Dourada” (6 de agosto), “Marretas Procuram-se” (13 de agosto), “Noé” (20 de agosto) e “Blue Jasmine” (27 de agosto).

Refira-se que este é o segundo ano do “Cinema Paraíso” no Parque da Devesa. O presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, espera que o sucesso do ano anterior se repita nesta nova edição da iniciativa, lançando o convite aos famalicenses para que “não percam esta oportunidade de assistirem gratuitamente, e com um cenário diferente, a todos os filmes agendados”.




]]>
<![CDATA[Famalicão vai bulir a 1, 2 e 3 de agosto]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_vai_bulir_a_1_2_e_3_de_agosto </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=87888&h=900dd" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Nos próximos dias 1, 2 e 3 de agosto, a freguesia de Oliveira Santa Maria, em Vila Nova de Famalicão, volta a acolher um evento que irá mexer com as suas gentes. Trata-se da iniciativa “Bulir em Terra de Santa Maria”, uma feira com características muito próprias, que irá permitir uma dinamização cultural e económica invulgares naquela zona do concelho. Nestes dias, uma plêiade de mercadores vai disponibilizar um misto de produtos e artigos que só nestas feiras se podem encontrar. Mas não se trata apenas de um mercado para trocas comerciais. Oliveira Santa Maria é uma terra pejada de história, é uma localidade que ajuda Vila Nova de Famalicão a ter uma identidade própria.
À feira é indissociável a realidade dos sons dos instrumentos tradicionais, dos pregões, das coscuvilhices e das brincadeiras. Mas o “Bulir em Terras de Santa Maria” não pretende ser uma feira comum e integra elementos modernos que permitirão conceber um mosaico cultural diversificado.

CONCURSO DE LICORES

No dia 3, domingo, terá lugar a 2ª edição do Concurso de Licores Tradicionais Famalicenses. Este concurso de licores tradicionais pretende ser uma forma de motivar os produtores para continuarem a respeitar as receitas e o uso dos ingredientes genuínos que permitem manter a qualidade, a genuinidade e a diferença dos licores tradicionais e ao mesmo tempo divulgar os genuínos licores tradicionais famalicenses.
Os interessados em participar podem solicitar a ficha de inscrição até ao dia 25 de julho, para o seguinte e-mail pci@vilanovadefamalicao.org.

Programa
Dia 1 – sexta-feira
19h00 – Abertura da feira
19h30 - Arruada e espetáculo de música tradicional
21h30 – Grupo de Dança Estela Novais
01h00 – Encerramento da feira

Dia 2 – sábado
10h00 – Abertura da feira
10h30 – Cantares ao Desafio
15h00 – Folk in Santa Maria
21h30 – Desfile de moda e Los Bandidos
01h00 - Encerramento da feira

Dia 3 – domingo
10h00 – Abertura da feira
10h30 –Concurso de Licores de Famalicão – 2ª edição
16h00 – Entrega de prémios do Concurso de Licores de Famalicão
17h00 – Banda Mundo Latino [Cuba]
22h00 - Encerramento da feira
]]>
<![CDATA[Famalicão celebra Dia dos Avós segunda-feira com festa para a família]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_celebra_dia_dos_avos_segundafeira_com_festa_para_a_familia </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=87899&h=24cc7" width="304px" height="202px" border="0"/></p> O Dia Mundial dos Avós é o argumento perfeito para o Município de Vila Nova de Famalicão enaltecer uma vez mais o importante papel de todos os seniores famalicenses na sociedade, proporcionando-lhes uma tarde de festa e confraternização com as suas famílias.

A Festa dos Avós vai realizar-se na tarde da próxima segunda-feira, 28 de julho, no espaço exterior ao Santuário de Nossa Senhora do Carmo, em Lemenhe, a partir das 15h00. O evento será participado por várias centenas de seniores do concelho que, acompanhados por filhos e netos, vão gerar uma grande festa da família, um importante e ímpar convívio intergeracional.

Promovida em conjunto pelos pelouros municipais da Família, Ação Social e Desporto, a iniciativa tem início com a celebração de uma missa campal, seguindo-se um lanche/convívio oferecido pela autarquia com animação musical.

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, vai marcar presença nesta iniciativa que considera “uma justa e merecida homenagem aos avós famalicenses que muito trabalharam e contribuíram para uma sociedade qualificada como a atual e que nos tempos difíceis que o país atravessa são também muitas vezes o pilar das suas famílias”.

Paulo Cunha realça ainda que a Festa dos Avós visa “fomentar a proximidade existente entre avós e netos”, pelo que “esta interação geracional é muito importante para a qualidade de vida dos nossos seniores”.

A Festas dos Avós conta com o apoio das Instituições Particulares de Solidariedade Social do concelho e da União das Freguesias de Lemenhe, Mouquim e Jesufrei.
]]>
<![CDATA[“Verão na Devesa” com múltiplas atividades para crianças e jovens]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_verao_na_devesa_com_multiplas_atividades_para_criancas_e_jovens </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=87836&h=a3047" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Que o Parque da Devesa, em Vila Nova de Famalicão, esconde tesouros de rara beleza já toda a gente sabe, mas a novidade agora é que esconde realmente tesouros e cabe às crianças e jovens encontra-los. A partir de um mapa e de várias pistas, os participantes percorrem o parque conhecendo os cantos e recantos em busca do tal tesouro. Esta é apenas uma das muitas atividades que preenchem o “Verão na Devesa”, uma iniciativa que está a decorrer nos meses de Julho e Agosto, envolvendo várias dezenas de crianças e jovens.

Com a atividade “Caça ao Tesouro”, as crianças conhecem o parque, praticam exercício físico e, ao mesmo tempo, desenvolvem o sentido de orientação e adquirem conhecimentos nas áreas da botânica, biologia, matemática ou história. Mas há mais, muito mais e as atividades estendem-se também às famílias.

É o caso da “Visita às Estrelas”, uma ação promovida em parceria com o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto, que vai decorrer nos dias 25 de Julho e 29 de Agosto, entre as 22h00 e as 24h00. Com os pés bem assentes na terra e os olhos postos no céu será possível observar as estrelas e as constelações. Dependendo da noite, poderá ser possível observar a Lua, Saturno e Marte.

“Herbário da Devesa” é outra das actividades propostas, onde através das folhas de várias árvores e arbustos, as crianças aprendem a identificar e classificar as folhas e as espécies. “À Descoberta da Biodiversidade” leva os participantes num passeio pelo parque abordando temas como o ciclo de vida de plantas e animais.

Nas atividades, todos os sentidos são explorados, assim para além da observação, as crianças são ainda convidadas a sentir os “Aromas da Devesa”, numa iniciativa que os leva a tocar, cheirar e comer algumas ervas aromáticas, explicando as propriedades e as suas utilizações.

Tocar a terra e descobrir como se geram as frutas e os legumes é o que se pretende com a atividade “Da semente para a terra”, que decorre nas hortas urbanas. No que diz respeito a este tema existe ainda o desafio “A Minha Horta é uma Lagarta”, onde a partir de um pequeno tubo, se constrói uma “lagarta” plantada com hortícolas.

Aqui a criatividade também é posta à prova com o projeto “Ser + Criativo na Devesa”, onde as crianças preenchem uma tela com elementos naturais, com folhas, ramos e pedras.

Em Setembro, os vários trabalhos serão expostos na Feira de Artesanato e Gastronomia, que vai decorrer entre 29 de agosto e 7 de setembro, no centro da cidade famalicense.

Outra das atividades propostas para estes dias quentes é o Percurso Interpretativo do Parque da Devesa, organizada pelos serviços educativos do município, onde os participantes fazem uma visita guiada ao parque, apresentando-lhes os exemplos de fauna e flora existente.

São cerca de uma dezena as atividades sugeridas. As informações e inscrições estão disponíveis no site oficial do município em www.vilanovadefamalicao.org.
]]>