Município de Famalicão: Notícias e Informações Úteis http://www.vilanovadefamalicao.org Últimas 10 notícias 15 asdad asdasd dasdad <![CDATA[Município vai saber tudo o que se passa em tempo real ]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_municipio_vai_saber_tudo_o_que_se_passa_em_tempo_real </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=124498&h=0179c" width="303px" height="202px" border="0"/></p> A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai avançar para a criação de um Centro de Operações Global que vai permitir ao município ter acesso em tempo real a vários indicadores de leitura de ocorrências no concelho ao nível dos resíduos, dos consumos e falhas energéticas, mobilidade e trânsito, proteção civil, infraestruturas, entre outros, e que vai poder ser inclusivamente alimentado com as informações e os contributos dos cidadãos.

O primeiro passo para a entrada em funcionamento do Smart Center Famalicão foi dado hoje, sexta-feira, 15 de fevereiro, com a assinatura do contrato de aquisição de uma Plataforma de Inteligência Urbana, celebrado entre o Município de Vila Nova de Famalicão, na pessoa do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, e a NOS, pelo seu administrador Manuel Ramalho Eanes, estabelecendo o compromisso de partilha de informação e de conhecimento, bem como a implementação de iniciativas conjuntas para agilizar a aplicação de soluções tecnológicas no âmbito da inteligência urbana, otimizando a qualidade de vida dos cidadãos que residam ou trabalham no concelho.

O Smart Center Famalicão será instalado no novo edifício que a autarquia adquiriu recentemente na Rua Dr. Francisco Alves, nas imediações dos Paços do Concelho, e vai permitir dotar a autarquia de melhores ferramentas de planeamento, gestão e previsão assente em informação credível, coerente e atualizada, promover a integração de atividades, aplicações e serviços relacionados com as cidades e minimizar os custos de operação da autarquia e maximizar a eficiência operacional dos diferentes prestadores de serviço.

Esta cooperação entre a operadora e a autarquia possibilitará alavancar a inovação tecnológica dos serviços municipais, nomeadamente nas áreas da mobilidade, colaboração, eficiência energética e processos, tornando a cidade mais eficiente, próxima dos cidadãos e das suas necessidades, ao mesmo tempo que se contribui para um projeto consolidado de desenvolvimento local. A plataforma de inteligência urbana será um integrador dos diferentes verticais de gestão da cidade/território de Vila Nova de Famalicão para suporte às operações e ao dia a dia do funcionamento do território.

Vai ser possível perceber, por exemplo, em tempo real, as fugas de água no ramal de abastecimento, os congestionamentos de tráfego, e as anomalias nas vias de comunicação e na iluminação pública.

“Tudo o que pudermos fazer para melhorar a eficiência da nossa gestão, permitindo intervenções mais rápidas e eficazes no espaço público é, para nós, um objetivo superior a prosseguir e a utilização das novas tecnologias pode ser uma grande alavanca para a melhoria dos nossos serviços e das nossas respostas ao cidadão”, refere Paulo Cunha, Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão
Manuel Ramalho Eanes, administrador da NOS, refere “que o caminho da modernização de serviços através da otimização tecnológica que as plataformas colaborativas de inteligência urbana possibilitam é hoje incontornável. Com projetos em desenvolvimento nos municípios de Oeiras e Lagoa, com esta nova parceria com o município de Vila Nova de Famalicão, pretendemos dar continuidade à nossa missão de expansão da rede de Smart Cities em todo o país, aliando a robustez e convergência das nossas soluções à ambição das autarquias de agilizar o relacionamento com os cidadãos, melhorando a prestação dos seus serviços e a sustentabilidade dos seus recursos”.
]]>
<![CDATA[Espaço Empresa já atraiu cerca de 150 empresários]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_espaco_empresa_ja_atraiu_cerca_de_150_empresarios </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=124420&h=0a511" width="303px" height="202px" border="0"/></p> São já 141 os empresários e empreendedores que recorreram ao Espaço Empresa do Município de Famalicão. Este balcão único de atendimento integrado, inaugurado em junho de 2018, presta cerca de uma centena de serviços diretos às empresas, facilitando a resolução de procedimentos burocráticos e providenciando um atendimento personalizado.

Até ao final de janeiro, foram efetuados 141 atendimentos presenciais. Entre os principais serviços requisitados destacam-se a criação da chave móvel digital, a exploração de estabelecimento e comunicações prévias e o apoio a vendedores ambulantes e a projetos de alojamento local.

Para estes resultados contribui a atitude de proximidade que a Câmara Municipal, através do Famalicão Made IN, vem cultivando junto das empresas. Empresários e empreendedores sentem que têm no Município um parceiro para o desenvolvimento dos seus negócios.

No Espaço Empresa é ainda possível registar uma empresa na hora, pedir uma certidão permanente e um certificado de admissibilidade, solicitar informação sobre legislação correspondente à atividade económica, efetuar a assinatura digital de documentos e conhecer os passos inerentes à criação de negócio próprio, entre outros serviços.

O Espaço Empresa funciona nas instalações do Famalicão Made IN, de segunda a quinta-feira, das 9h00 às 18h00, e às sextas, das 9h00 às 12h00, sem necessidade de marcação prévia. Por estar instalado no Gabinete de Apoio ao Empreendedor, quem a ele recorre tem acesso simultâneo ao conjunto de serviços municipais direcionados para o universo empresarial.

O Espaço Empresa resulta de um protocolo assinado entre a autarquia famalicense, o IAPMEI - Agência para a Competitividade e Inovação, a AMA - Agência para a Modernização Administrativa e a AICEP - Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal.
]]>
<![CDATA[ “Dias à Mesa” apelam aos sentidos e atraem turistas]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_dias_a_mesa_apelam_aos_sentidos_e_atraem_turistas </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=124436&h=e3256" width="303px" height="202px" border="0"/></p> São oito fins-de-semana gastronómicos que conjugam os melhores paladares com uma agenda cultural e desportiva animada, proporcionando aos visitantes uma experiência completa dos sentidos, com sabores únicos e muitos divertimentos. São assim os “Dias à Mesa”, a nova iniciativa gastronómica promovida pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, que foi apresentada esta quarta-feira, num dos restaurantes mais antigos do concelho, a “Cozinha Sara”, em conferência de imprensa.

Trata-se de “um novo projeto turístico com dimensão horizontal, que junta a gastronomia com outros atrativos, chamando até Vila Nova de Famalicão mais visitantes e com maior permanência”, explicou o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha. “São oito momentos que decorrem ao longo do ano em que existe um conjunto de acontecimentos que achamos perfeitamente conciliáveis com a dimensão gastronómica”, acrescentou o autarca.

Para Paulo Cunha, o objetivo é “fazer desta iniciativa uma atividade permanente e não ocasional. Não queremos que seja uma atividade do inverno ou do verão, queremos que seja do ano inteiro.”
Para já, a iniciativa conta com a adesão de mais de três dezenas de restaurantes, mais de uma dezena de estabelecimentos e alojamento turístico e um conjunto de produtores e fornecedores locais.

Neste âmbito, o presidente da Câmara Municipal salientou ainda a associação dos produtores locais à iniciativa, nomeadamente os produtores de vinhos verdes e dos frutos, completando a gastronomia.
Os primeiros “Dias à Mesa” decorrem já entre 28 de fevereiro e 3 de março com o Cozido à Portuguesa, conjugando-se com o Carnaval. Nesta altura, será também apresentada a nova estratégia de desenvolvimento Famalicão Turismo 2020 e paralelamente irá decorrer o mercado dos fornecedores, com a apresentação da indústria da carne regional e os produtores de fumeiros e enchidos.

Em Maio, por altura da Festa da Flor serão os Rojões a comandar as cozinhas famalicenses. Durante a Feira Medieval e Viking, em Julho, o rei será o Bacalhau e os petiscos. O mês de setembro divide-se em Francesinhas para acompanhar com o Beer Fest e Street Food e em Cozinha Vegetariana para com o melhor dos produtos regionais biológicos, a complementar a Feira Grande de S. Miguel. Em outubro, é tempo de celebrar a Cozinha Internacional, com o International Week. A castanha é quem mais ordena em novembro, acompanhado as festas em honra de S. Martinho. Mas, durante este mês há ainda tempo e espaço para as massas, que se conjugará com a Meia Maratona.

Ainda durante a conferência de imprensa, o vereador do Turismo da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Augusto Lima, destacou o facto do ‘Dias à Mesa’ integrar a nova estratégia para o turismo do concelho. “Esta iniciativa vem recuperar e reanimar uma tradição que já existiu no passado também ligada à gastronomia, mas agora surge com outros atores, envolvendo-se os restaurantes, a indústria agro-alimentar e os novos produtores locais”, explicou o vereador do Turismo, realçando a valorização da cozinha regional em harmonização com os melhores vinhos.
]]>
<![CDATA[ANQEP reconhece Centro Qualifica de Famalicão como um dos melhores do país ]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_anqep_reconhece_centro_qualifica_de_famalicao_como_um_dos_melhores_do_pais </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=124404&h=b0525" width="303px" height="202px" border="0"/></p> O Centro Qualifica de Vila Nova de Famalicão “é um dos que apresenta melhor execução em todo o país”. Quem o diz é a presidente da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional (ANQEP), Filipa Jesus, que esta terça-feira, elogiou os números “muito superiores à média nacional” do centro de formação e qualificação da autarquia famalicense. A responsável pela ANQEP esteve ontem em Famalicão para participar na cerimónia de entrega de diplomas e certificados do processo de reconhecimento, validação e certificação de competências (RVCC) escolar e profissional a mais de uma centena de adultos que concluíram recentemente o nível básico, secundário e profissional.

Em 2018, o Centro Qualifica de Famalicão superou largamente o objetivo de atingir os 900 inscritos, registando a inscrição de 1175 pessoas. No ano passado foram encaminhadas para ofertas formativas 760 pessoas e para processos de RVCC 383 pessoas. No total foram certificadas 180 pessoas, alcançando uma taxa de execução de cerca de 93%.

Filipa Jesus fala em “provas dadas” e aponta como chave do sucesso “o modelo de organização e funcionamento deste Centro Qualifica, baseado no trabalho em rede”.
“Não se trata apenas de um envolvimento vertido na celebração de protocolos. Trata-se de um real compromisso assumido pelas entidades, expresso em parcerias de sucesso que efetivamente se traduzem na implementação das medidas e ações previstas e que se refletem nos resultados alcançados”, acrescentou.

O presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, não escondeu a sua satisfação pelos números ontem apresentados, deixando uma palavra de agradecimento e felicitação a todos quantos se envolverem neste processo.

“A melhoria da qualidade de vida de uma comunidade consegue-se através da valorização dos seus recursos humanos e é fundamental que cada um de nós assuma a Educação como uma prioridade. Se assim não fosse, hoje não estariam aqui como diplomados”, disse.

O edil adiantou ainda que para 2019 estão disponíveis cerca de 80 mil horas de formação gratuita através do Centro Qualifica de Famalicão, que poderão atingir cerca de 25 mil pessoas, e deixou o desafio aos famalicenses para que “não deixem escapar esta oportunidade de aumentarem as suas qualificações”.

Recorde-se que o Centro Qualifica tem a missão de aumentar a qualificação de adultos com vista a melhorar os seus níveis de educação e formação, contribuindo para o aumento dos níveis de qualificação da população e da empregabilidade dos indivíduos.

O Centro Qualifica de Famalicão é coordenado pela Câmara Municipal em estreita colaboração com as escolas da Rede Local de Educação e Formação. Conta atualmente com sete polos no concelho: Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco, Agrupamento de Escolas D. Sancho I, Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado, Escola Profissional CIOR, Didáxis Cooperativa de Ensino de Vale São Cosme e Riba de Ave e Escola Profissional FORAVE.

Os interessados em apostar num futuro melhor e mais qualificado podem inscrever-se através da internet em www.famalicaoeducativo.pt/_centro_qualifica_inscricao e obter informações através do telefone 252 320 931 ou pelo email centroqualifica@vilanovadefamalicao.org.
]]>
<![CDATA[Cinco dias para foliar no Carnaval de Famalicão]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_cinco_dias_para_foliar_no_carnaval_de_famalicao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=124410&h=1e65a" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Não há noite de Carnaval como a de Vila Nova de Famalicão. A sua fama já atravessou as fronteiras e chega cada vez mais longe. Por isso, não é de estranhar que, de ano para ano, sejam cada vez mais os foliões que escolhem a cidade para se divertirem e darem largas à imaginação.

A noite de segunda para terça-feira de Carnaval é o ponto alto da folia, mas a festa arranca três dias antes, na sexta-feira, 1 de março, com as crianças das escolas do concelho a desfilar pelas ruas da cidade, a partir das 14h30, num cortejo infantil, carregado de cor, criatividade e muita alegria.

No sábado há Baile de Máscaras em Delães, a partir das 20h00, e no domingo, a folia atravessa todo o concelho. Enquanto na Devesa, as famílias participam no workshop “eco-máscaras” a partir das 15h00, em Arnoso Santa Eulália mostra-se as máscaras no 35.º desfile de Carnaval da freguesia. Em Riba de Ave, festeja-se com o V Circuito de foliões a percorrer a vila, e em Ribeirão sai às ruas o 15.º desfile de Carnaval. Todas as iniciativas arrancam pelas 14h30.

Na segunda-feira de Carnaval a cidade agita-se a partir das 14h00, com os seniores a mostrarem o que valem no Pavilhão Municipal. Alegria, convívio, boa-disposição e muita brincadeira marcam habitualmente o Carnaval sénior.

À noite, o programa já é sobejamente conhecido. Sem hora, nem lugar marcado, mas com a garantia que a festa será de arromba. A animação fica a cargo dos milhares de foliões que serão acompanhados pela banda Famashow. Destaque ainda para o Desfile e Concurso de Mascarados, a partir das 22h30.

No dia de Carnaval, 5 de março, há desfile de mascarados em Delães e em Fradelos. A encerrar as festividades, à noite entre as 22h00 e as 24h00, realiza-se a já tradicional Queima dos Galheiros, em vários locais da freguesia de Fradelos. A tradição – que consiste em amontoar numa fogueira os restos das sementeiras, os galhos velhos das árvores e o silvado, colocando no topo um boneco a quem se chama entrudo e pegando-se fogo – assinala, assim, o final das festividades carnavalescas e o início da quaresma pascal.

A contribuir para todo o ambiente de folia carnavalesca, decorre paralelamente o V Concurso de Montras de Carnaval em várias freguesias do concelho. Este ano, há ainda uma novidade gastronómica a acompanhar os festejos, trata-se da iniciativa Dias à Mesa, que durante o Carnaval irá promover o Cozido à Portuguesa, em vários restaurantes do concelho.

Consulte aqui toda a programação

]]>
<![CDATA[Museu Bernardino Machado conta a história do parlamentarismo]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_museu_bernardino_machado_conta_a_historia_do_parlamentarismo </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=124377&h=7a780" width="303px" height="202px" border="0"/></p> É na casa de um dos maiores defensores do parlamentarismo, eleito por duas vezes Presidente da República, que os famalicenses vão poder conhecer um pouco mais sobre a história deste órgão de soberania nacional.

Os visitantes do Museu Bernardino Machado podem desde ontem apreciar a exposição “Assembleia da República: Imagens do Parlamentarismo”, que ficará pelo museu famalicense até ao final deste mês de fevereiro.

Composta por 25 painéis que retratam as evoluções políticas, desde o liberalismo até à atualidade, esta mostra itinerante do Museu da Assembleia da República recua à origem do Palácio de São Bento, que começou como um mosteiro, em 1598, até à transformação em Palácio das Cortes, em 1833. Descreve também as adaptações e acrescentos ao atual edifício, e dedica especial atenção à história do Parlamento, a partir de 1976, com a referência aos partidos políticos representados, mostrando ainda o seu modo de funcionamento.

“Estamos a trazer o Parlamento até às pessoas”, diz o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha. “Trazemos a memória, a história, a identidade, o traço arquitetónico e o percurso deste edifício, conhecido como a Casa da Democracia”, referiu.

E acrescenta: “É também uma forma de darmos um contributo para o aprofundamento da democracia, da intervenção cívica, do sentimento de pertença das pessoas a uma comunidade”.

O coordenador científico do Museu Bernardino Machado também marcou presença na inauguração desta segunda-feira. Norberto Cunha manifestou o seu agrado por ver este tema exposto no museu que dirige, sobretudo por se tratar de um tema que tanto diz a Bernardino Machado, que considerou ser “um exigente parlamentarista”.

A exposição é de entrada gratuita e estará patente até 28 de fevereiro, na Sala Júlio Machado Vaz, podendo ser visitada de terça a sexta-feira das 10h00 às 17h30 e aos sábados e domingos das 14h30 às 17h30.


]]>
<![CDATA[“Anima Mea” de Alexandre Conefrey para ver até maio na Ala da Frente]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_anima_mea_de_alexandre_conefrey_para_ver_ate_maio_na_ala_da_frente </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=124355&h=0051c" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Depois da Fundação Calouste Gulbenkian, do Centro Cultural de Belém, da Fundação de Serralves ou da Andrew Mummery Gallery, em Londres, os trabalhos de Alexandre Conefrey chegam agora à Ala da Frente, em Vila Nova de Famalicão.

O artista lisboeta esteve no passado sábado, dia 9, no concelho famalicense para inaugurar “Anima Mea”, uma exposição que vai estar patente na galeria de arte contemporânea até dia 18 de maio.

Comissariada por António Gonçalves, a exposição explora o confronto do artista com uma cadeia de impossibilidades do mundo interior e exterior, material e espiritual. Composta por 28 desenhos, a mostra remete para um universo da pintura de Brueghel, pintor Flamengo do Séc. XVI.
Segundo António Goncalves, “o uso da linguagem do desenho e a exploração das expressividades do carvão suscitam uma particular atenção para as formas que surgem e se organizam em cada plano da folha de papel. Formas que partem das estruturas da torre e dos moinhos. Alusões, parecenças, revelações, aproximações, são repostas que se propõem nas manchas, nas linhas, nas texturas que Alexandre Conefrey plasma na folha de papel. É partir das quais que somos levados ao universo da simbologia, da presença do fazer histórico, em que cada autor deu por meio da imaginação sentido às formas que nos são familiares, mas nem sempre percetíveis.”

Alexandre Conefrey nasceu em Lisboa em 1961, onde vive e trabalha. Fez o curso de desenho no Ar.Co, em Lisboa entre 1993 e 95 e foi bolseiro no Royal College of Art, em Londres. As suas obras estão presentes em diversas coleções: AR.CO; Caixa Geral de Depósitos, Lisboa; CAM, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa; Coleção António Cachola; Ministério dos Negócios Estrangeiros; Fundação Carmona e Costa; Coleção de Arte Fundação EDP; e diversas coleções privadas.

A exposição propõe, assim, uma atenção à simplicidade do gesto e às suas potencialidades de expressão e investigação enquanto meio para reter as possibilidades da representação.

Com entrada livre, as portas estão abetas de terça a sexta-feira, das 10h00 às 17h30 e aos fins-de-semana das 14h30 às 17h30.

]]>
<![CDATA[Cardeal Cerejeira regressa a Gavião]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_cardeal_cerejeira_regressa_a_gaviao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=124364&h=cf9f2" width="303px" height="202px" border="0"/></p> “Um exercício de respeito pela história”. Foi desta forma que o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, classificou a decisão da Junta de Freguesia de Gavião em repor o padrão de homenagem ao Cardeal Cerejeira que foi erigido na freguesia no ano de 1947, no decorrer da inauguração do Bairro Cardeal Cerejeira, um conjunto de casas sociais conhecidas como Casa dos Pobres inauguradas nesse dia com a presença do próprio Cardeal Patriarca de Lisboa, e que entretanto foi retirado do espaço na década de 70 do século passado.

“A nossa história é um dos nossos maiores patrimónios e é nossa obrigação criar condições para a preservarmos nos moldes em que aconteceram”, acrescentou o Presidente da Câmara Municipal, falando no dia como a devolução à população de um “marco identitário e histórico que faz parte de Gavião.”

A cerimónia de requalificação do Largo Cardeal Cerejeira, junto ao Bairro de S. Vicente, decorreu ontem, domingo, 10 de fevereiro, com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, do Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga e do presidente da Junta de Freguesia, António Emídio, entre muitos populares e amigos e familiares do Cardeal Cerejeira.

Localizado no topo nascente da Rua de S. Vicente, que foi também alvo de requalificação no decurso desta intervenção, a praceta posiciona-se para ser “um ponto de encontro entre as pessoas, para que possam estar, partilhar circunstâncias atuais mas também a reviver a história”, como referiu Paulo Cunha. No conjunto (rua e largo) a autarquia famalicense investiu cerca de 50 mil euros. “Este é o propósito da câmara municipal: articulando esforços com as juntas de freguesia, respeitar a memória e a identidade da nossa comunidade e valorizar o nosso território”.

O autarca da freguesia, António Emídio, falou na abertura de “uma janela da nossa história que se encontrava fechada de há uns anos para cá” e destacou que “nunca é tarde para corrigir as injustiças da nossa história”.

Recorde-se que D. Manuel Gonçalves Cerejeira nasceu em Vila Nova de Famalicão, na freguesia de Lousado. Foi Cardeal Patriarca de Lisboa durante mais de 40 anos (1929 -1972), tendo sido uma das mais destacadas figuras da Igreja Católica Portuguesa. Participou em três conclaves dos quais saíram eleitos o Cardeal Engenio Pacelli (Pio XII, 1939), o Cardeal Roncalli (João XXIII) e o Cardeal Montini (Paulo VI, 1963), bem como no Concílio Vaticano II (1962–1965). Mais nenhum Cardeal terá participado em tantos Conclaves.
]]>
<![CDATA[Projeto de economia circular permite aquecer escolas com resíduos florestais]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_projeto_de_economia_circular_permite_aquecer_escolas_com_residuos_florestais </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=124342&h=2aaef" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Os doze radiadores que aquecem o jardim-de-infância de Requião, em Vila Nova de Famalicão, são alimentados, desde o início do ano letivo, com pellets produzidos a partir do material vegetal resultante da limpeza de terrenos e matas do concelho, uma nova fonte de energia, que surge no âmbito de um projeto-piloto de economia circular.

Através da recolha de sobrantes do material vegetal decorrente da limpeza da floresta e terrenos, efetuada pelos serviços municipais, a empresa famalicense Tec Pellets produz os pellets que são depois empregues na alimentação das caldeiras de aquecimento desta escola, proporcionando conforto e bem-estar às crianças, poupando o ambiente e os encargos financeiros do município. Só no caso do Jardim de Infância de Requião, a câmara poupa seis mil euros por ano.

O projeto-piloto intitulado “Escola Circular” foi apresentado na passada sexta-feira, em Requião, com a celebração do protocolo entre o município e a empresa Tec Pellets, que se compromete a entregar uma tonelada de pellets, por cada 12,5 toneladas de resíduos fornecidos pela câmara. Desde o arranque do projeto, foram já entregues na empresa 150 toneladas de sobrantes, sendo que, neste momento o município tem um saldo positivo de 12 toneladas. A estimativa é que cada escola tenha um consumo anual de cerca de três toneladas de pellets.

A fonte de energia utilizada até agora no jardim-de-infância de Requião era o gás propano, mas depois de uma avaria na caldeira, a autarquia decidiu adquirir uma caldeira adaptada para pellets, através de um investimento de cerca de 4 mil euros, que permitiu iniciar o projeto de economia circular.

O Jardim de Infância de Mouquim é o próximo estabelecimento de ensino a usar este tipo de aquecimento e, à medida que haja necessidade de renovar as caldeiras de aquecimento, outras escolas serão aquecidas de forma totalmente ecológica, com custos perto do zero.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, com este projeto inovador, “estamos a diminuir o impacto ambiental nocivo dos comportamentos humanos, para além de ser mais económico e mais eficiente”.

Trata-se de “valorizar e proteger a nossa floresta, através da limpeza, e de criar condições para que os resíduos florestais tenham uma utilidade”, acrescentou o autarca sublinhando ainda o “caráter pedagógico da iniciativa”.

De resto, para Paulo Cunha “esta imagem de economia circular, que tem ganho dimensão fruto das políticas comunitárias, pode ter lugar numa empresa, numa família, como em qualquer circunstância da vida, em que aquilo que são chamados sub-produtos ou resíduos podem ser recolocados no processo produtivo e criar um novo produto útil para a nossa economia com menor custo ambiental e financeiro”.
Por sua vez, o responsável da Tec Pellets, Avelino Reis, adianta que se trata “de uma parceria perfeita, com vantagens para toda a comunidade”.

Refira-se que o único custo deste novo método de aquecimento é o valor da caldeira, que ronda os 4 mil euros, sendo que a poupança anual chega aos 6 mil euros.

Este projeto de economia circular está integrado numa estratégia de desenvolvimento inteligente mais ampla que o município de Famalicão quer desenvolver nos próximos anos no âmbito da instauração do programa Famalicão Smart, cujo o objetivo é criar uma comunidade mais eficiente e mais sustentável.
]]>
<![CDATA[Famalicão e Liverpool celebram memorando de entendimento]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_e_liverpool_celebram_memorando_de_entendimento </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=124320&h=7b8d9" width="303px" height="202px" border="0"/></p> O município de Vila Nova de Famalicão e a cidade de Liverpool, em Inglaterra, vão aprofundar um programa de cooperação económica e social que vai gerar parcerias entre centros tecnológicos, empresas, estudantes e os municípios das duas cidades. A aproximação entre as duas localidades vem sendo ensaiada desde há uns tempos a esta parte com a realização de um conjunto de visitas e reuniões bilaterais e vai ser assumida como uma aposta estratégica pelas duas cidades no próximo dia 19 de fevereiro, em Inglaterra, com a assinatura pelos presidentes das duas cidades, Paulo Cunha e Joe Anderson, do memorando de cooperação que foi ontem, 7 de fevereiro, aprovado em reunião do executivo municipal.

O documento prevê a promoção e o desenvolvimento de atividades e a realização de eventos relacionados com a atividade económica de interesse municipal e vai ser assumido pelo Município de Vila Nova de Famalicão, Liverpool City Council, Universidade do Minho, Hope University, Associação Têxtil e do Vestuário de Portugal, Liverpool John Moores University, CITEVE, Sensor City, Baltic Creative, CENTI, Fashion Hub e Liverpool Chamber of Commerce.

O processo teve origem com a participação de Vila Nova de Famalicão, em junho de 2018, no International Business Festival na cidade de Liverpool, altura em germinou uma vontade conjunta das duas cidades em aprofundarem uma cooperação que permita um intercâmbio transnacional de oportunidades e conhecimentos para as duas comunidades. Em outubro de 2018, uma missão inversa de uma comitiva de empresas e universidades de Liverpool, liderada pelo Deputy Mayor Gary Millar, a Vila Nova de Famalicão, no âmbito do International Day, reforçou esta aproximação.

Já reconhecida em Liverpool como cidade de grandes empresas da indústria têxtil, de importantes marcas e conceituadas infraestruturas tecnológicas e de inovação, Vila Nova de Famalicão procura novos exemplos de sofisticação da tecnologia, de qualidade organizativa, de qualificação de recursos humanos e novas tendências de mercados e de setores.

Para Vila Nova de Famalicão, “Liverpool, pela sua dimensão socioeconómica, pelo seu lastro cultural e pelo seu alto enquadramento ao nível do ensino e inovação tecnológica, afigura-se como uma cidade de inegáveis recursos, proporcionando novas tendências de setores e grande abrangência internacional”. Para Liverpool, “Vila Nova de Famalicão é um concelho iminentemente industrial e exportador, a sua localização numa região de maior relevância para a indústria torna esta cidade no epicentro dos clusters têxtil e agroalimentar, oferecendo grandes oportunidades para recursos humanos qualificados e de mercado.”

Esta ligação de Vila Nova de Famalicão com Liverpool faz parte de uma ampla estratégia de internacionalização do município famalicense, que visa a cooperação institucional e de parceria com entidades transnacionais, públicas ou privadas, tendo em vista o desenvolvimento comunitário.

“Temos que saber capitalizar para o território o fenómeno da globalização e a nossa circunstância europeia, aproveitando a cada vez maior facilidade ao nível de circulação de informação e de mobilidade de pessoas”, assinala o Presidente de Câmara Municipal, Paulo Cunha, a propósito da estratégia de internacionalização do concelho.

Dentro desta mesma estratégia de internacionalização, o município participa neste momento no Encontro Empresarial das Astúrias, tem confirmada uma missão à Export Food Sudoe na Alemanha, ainda em fevereiro, e programada para março a participação no Encontro Empresarial País de Gales, entre outras iniciativas em programação.

Para além disso, integra seis projetos internacionais de cooperação (Urbact, Interrreg Sudoe, Interreg Atlantic Area, Horizon 2020, Erasmus, International Urban Cooperation) envolvendo mais de 30 parceiros de 9 países (Espanha, França, irlanda, Reino Unido, Roménia, Áustria, Bélgica, Itália, Eslováquia) e de 9 cidades (Sevilha, Gijon, Gers, Limoges, Preston, Pamplona, Génova, Bilbao, Bratislava).
]]>