Município de Famalicão: Notícias e Informações Úteis http://www.vilanovadefamalicao.org Últimas 10 notícias 15 asdad asdasd dasdad <![CDATA[Renovação urbana é nota de destaque em orçamento “equilibrado e responsável”]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_renovacao_urbana_e_nota_de_destaque_em_orcamento_equilibrado_e_responsavel_2 </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=115823&h=226bb" width="303px" height="202px" border="0"/></p> A Câmara Municipal aprovou esta quinta-feira, 7 de dezembro, as Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2018 do município de Vila Nova de Famalicão. O arranque das obras de renovação da cidade, a partir da requalificação e revitalização do Mercado Municipal e da construção de uma rede urbana pedonal e ciclável estruturada, funcionando como canal de ligação entre os núcleos urbanos periféricos, as estações de transportes públicos e o centro urbano, é um dos grandes destaques do documento, apreciado hoje em reunião extraordinária do executivo municipal.

Um orçamento que, segundo o Presidente da Câmara, Paulo Cunha, "materializa as opções que o executivo considera serem as mais acertadas para o concelho".

"Vamos dar sequência a um plano de investimentos, nomeadamente a um plano ambicioso de recuperação da centralidade de Vila Nova de Famalicão, ao qual somamos um outro conjunto de atividades das mais diversas áreas de governação, que também têm consagração orçamental e que merecem um cuidado permanente por parte do executivo", explicou o edil, para quem "o conceito de investimento municipal significa fazer aquilo que é fundamental para que a nossa comunidade possa ser bem-sucedida".

Com um orçamento global de 83 milhões de euros, o executivo liderado por Paulo Cunha coloca a renovação urbana na ordem do dia e avança para a execução do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) do concelho, que pretende transformar Vila Nova de Famalicão numa cidade amiga das pessoas, moderna e acessível. Renovação que vai também fazer-se sentir com particular incidência em Riba de Ave com o arranque das obras de reabilitação do Teatro Narciso Ferreira.

O processo de execução do PEDU vai ter início em 2018 e deverá prolongar-se até 2020, prevendo-se um investimento global de cerca de 27 milhões de euros, dos quais 17,5 milhões serão financiados pela União Europeia através do Portugal 2020. Para 2018, o investimento municipal previsto neste âmbito é de 6,1 milhões de euros.

Para além da novidade sobre o início do processo de renovação urbana, o Orçamento da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão desenvolve-se sobre a nota do equilíbrio e da responsabilidade.

“Na elaboração deste documento estratégico fomos fieis a nós próprios e aos nossos compromissos com os famalicenses. Assumimos a dimensão infraestrutural como prioritária, com novos investimentos nas mais variadas áreas, mas nivelamos pelo mesmo grau de importância as políticas de apoio às famílias famalicenses, com programas particularmente pensados e ajustados às necessidades das várias gerações”, explica o presidente Paulo Cunha na nota de abertura do documento.

Do bolo global do orçamento, 21 milhões de euros correspondem a investimento direto em setores como a educação, ambiente, cultura, urbanismo, habitação, desporto e mobilidade. Mas o investimento da autarquia far-se-á continuar a sentir por via da despesa corrente, que chega praticamente aos 62 milhões de euros, mas que assegura o desenvolvimento e funcionamento de todos os serviços e programas municipais de apoio às famílias famalicenses, assim como a autonomia financeira das juntas de freguesia do concelho.

São despesas projetadas e assumidas para “alimentar a nossa seiva comunitária, dar condições às pessoas para o seu crescimento e realização pessoal e para o seu amadurecimento social”, refere o presidente da Câmara Municipal que quer continuar a dar força à imagem que Famalicão conquistou nos últimos anos como um concelho bom para viver, para trabalhar, para estudar e para investir.

“Nos últimos cinco anos, o Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis, uma entidade independente da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas, reconheceu Vila Nova de Famalicão como um município amigo das famílias”, realça Paulo Cunha lembrando que “este reconhecimento acontece porque as nossas políticas, o nosso orçamento, as nossas atividades, estão direcionadas de forma equilibrada para todos os famalicenses”. E conclui: “com as nossas propostas de atividades, projetos e com a gestão que fazemos do nosso orçamento criamos alavancas para o futuro de Vila Nova de Famalicão, um futuro que ambicionamos ainda mais forte, mais coeso e com mais qualidade de vida”.]]>
<![CDATA[Famalicenses celebram o Natal com rabanadas e vinho do Porto]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicenses_celebram_o_natal_com_rabanadas_e_vinho_do_porto </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=115838&h=c0f9d" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Uma rabanada e um cálice do vinho do Porto. À primeira vista parece ser apenas mais uma combinação perfeita de sabores natalícios, mas em Vila Nova de Famalicão esta conjugação de paladares é o principal motivo para sair à rua, conviver e celebrar.

“Famalicão Porto de Encontro” é a iniciativa promovida pela Associação Comercial e Industrial de Vila Nova de Famalicão durante a quadra natalícia que pretende dinamizar o centro urbano e o comércio da cidade famalicense promovendo o convívio e a amizade. Sob o lema “coma a rabanada, oferecemos o Porto”, a campanha que acontece pelo segundo ano foi apresentada esta quarta-feira, no Museu Bernardino Machado, com as presenças dos presidentes da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha e da ACIF Fernando Xavier.

Ao todo 35 restaurantes e 11 bares aderiram à campanha oferecendo o cálice de vinho do Porto a quem solicitar a rabanada como sobremesa.

“É uma simbiose fantástica”, afirmou Paulo Cunha, salientando que o objetivo desta campanha “é trazer as pessoas para o espaço público, fortalecendo os laços de pertença à comunidade, revisitando amigos de longa data, celebrando a quadra natalícia”.

“Queremos, sem artifícios, mas usando as ferramentas que estão à nossa disposição, criar condições para que os valores da amizade, da compreensão e da tolerância façam parte do nosso quotidiano. E não há período melhor do que o Natal para que possamos investir energia de forma a ajudarmos a nossa comunidade a ser tocada por esses mesmos valores”, acrescentou Paulo Cunha. O autarca elogiou ainda o impulso que a ACIF conseguiu dar a esta iniciativa abrindo o evento à comunidade.

Por sua vez, Fernando Xavier lembrou o sucesso da iniciativa em 2016 e salientou que o objetivo é promover a amizade e o bem-estar coletivo dos famalicenses.

Paralelamente decorre na noite de 24 de dezembro, a campanha “Porto Seguro” com o objetivo de apelar à moderação no consumo de bebidas alcoólicas. O Clube Motard “Escorpiões” vai percorrer o concelho levando aos profissionais de 21 instituições de serviço nessa noite bolo-rei e vinho do Porto.
]]>
<![CDATA[Bacalhau, azeite e aletria não vão faltar na mesa de Natal dos famalicenses]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_bacalhau_azeite_e_aletria_nao_vao_faltar_na_mesa_de_natal_dos_famalicenses </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=115798&h=6ad7a" width="135px" height="202px" border="0"/></p> As tradicionais iguarias da noite de Consoada – bacalhau, azeite e aletria – não vão faltar na mesa de Natal dos famalicenses. Estes são alguns dos bens alimentares que compõem o cabaz de Natal oferecido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão a todas as famílias carenciadas do concelho. O gesto foi assinalado simbolicamente esta quarta-feira, com o presidente da autarquia, Paulo Cunha, a entregar cabazes aos autarcas da União das Freguesias de Calendário e Vila Nova de Famalicão, Estela Veloso, e de Gavião, António Emídio.

Ao todo, serão distribuídos até ao final desta semana cabazes por quatro mil famílias do concelho. A distribuição é realizada através das Juntas de Freguesia que, na maior parte dos casos acrescentam outros bens alimentares.

É o caso de Gavião que conta com o apoio de “várias empresas da freguesia que se aliaram à iniciativa enriquecendo os cabazes com outros produtos alimentares”, como explicou António Emídio. Também na União das Freguesias de Calendário e Famalicão, onde “serão distribuídos cerca de 300 cabazes, são acrescentados outros bens alimentares como o arroz, a massa, o atum, entre outros”.

Por sua vez, Paulo Cunha assinalou a importância desta ação de caráter social, referindo que o objetivo “é corresponder às necessidades das famílias carenciadas do concelho”. O autarca sublinhou ainda que esta é uma iniciativa a somar a muitas outras, que decorrem durante todo o ano. “Não é só no Natal, que apoiamos estas famílias, durante todos os dias do ano, há uma resposta social e vários apoios”.

Refira-se que a sinalização das famílias carenciadas é feita pelas Juntas de Freguesia em colaboração com as comunidades vicentinas e a Rede Social de Famalicão. A entrega dos cabazes resulta de um investimento municipal de cerca de 60 mil euros.
]]>
<![CDATA[‘Improbabilidades Criativas’ regressam com estilista Maria Gambina]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_improbabilidades_criativas_regressam_com_estilista_maria_gambina </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=115763&h=b8673" width="304px" height="202px" border="0"/></p> As ‘Improbabilidades Criativas’ estão de volta e vão ter como convidada a aclamada estilista portuguesa Maria Gambina. A iniciativa regressa na próxima quarta-feira, 13 de dezembro, para uma sessão dedicada ao Design de Moda que terá como palco o Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave, em Vila Nova de Famalicão.

A designer, que é também professora e coordenadora do curso de Moda da Escola Superior de Artes e Design, em Matosinhos, estará em Famalicão na próxima semana para explicar as várias etapas do processo criativo de uma coleção de moda.

Nascida em Oliveira de Azeméis, em 1969, Maria Gambina criou a sua marca em 1992 e desde então tem vindo a apresentar as suas coleções em Portugal e no estrangeiro, participando em inúmeros projetos e desafios lançados por marcas, empresas e instituições. Formada no CITEX, desde 1992 que a sua carreira é preenchida por coleções, vestuário personalizado para serviços, figurinos para televisão e teatro, guarda-roupa para músicos e apresentações.

Dotar os formandos de uma maior autonomia no desenvolvimento de projetos de Design de Moda é o principal objetivo desta que é a sétima edição da iniciativa, promovida desde 2015 pelo Gabinete das Indústrias Criativas da Câmara Municipal de Famalicão e que já dedicou sessões à música, fotografia, ilustração, pintura, cinema e dança.

A iniciativa decorrerá entre as 10h00 e as 17h00 e os interessados poderão efetuar inscrição através do email industriascriativas@vilanovadefamalicao.org. As inscrições são gratuitas e limitadas a vinte participantes. Aos formandos apenas é solicitado que tragam o seu computador com o software Adobe Photoshop instalado.
]]>
<![CDATA[Museus de Famalicão apresentados sob o traço e risco de ilustradores conceituados]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_museus_de_famalicao_apresentados_sob_o_traco_e_risco_de_ilustradores_conceituados </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=115774&h=1d485" width="303px" height="202px" border="0"/></p> André Carrilho, Alex Gozblau, Marta Madureira e Tiago Manuel são alguns dos conceituados ilustradores que foram convidados para apresentar através do traço e da imagem cada um dos treze Museus que compõem a Rede Museológica de Vila Nova de Famalicão. O resultado é a exposição “Ligados em Rede” que está patente na Fundação Cupertino de Miranda, até 30 de dezembro, com entrada livre.
São treze ilustrações que “fazem uma leitura dos espaços através da força da imagem e de pequenos textos de caráter poético num claro convite à visita dos espaços” salientou a João Paulo Cotrim, editor da Arranha Céus e um dos coordenadores do projeto, na inauguração da exposição que decorreu na semana passada.

Na altura, foi também lançado o livro homónimo numa sessão que contou ainda com as presenças do vereador da Cultura da Câmara Municipal, Leonel Rocha e de António Gonçalves, diretor artístico da Fundação Cupertino de Miranda e também coordenador do projeto.
Para Leonel Rocha, “este projeto cultural é uma mais-valia para Famalicão, já que tem o enorme mérito de conseguir projetar os museus de uma forma atrativa e cativante”.

O livro e a exposição “Ligados em Rede – Museus de Vila Nova de Famalicão” serão apresentados no próximo ano no espaço da Abysmo, em Lisboa, ficando depois em itinerância por vários Museus da Rede da cidade de Famalicão ou outros espaços museológicos no país. O livro encontra-se à venda na Livraria da Fundação Cupertino de Miranda.

Leonel Rocha lembrou que o projeto “Ligados em Rede” é o resultado da primeira edição do concurso “Programar em Rede” lançado pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão em 2016 com o objetivo de desafiar os agentes culturais do concelho para a criação de um evento marcante para Famalicão colocando-os a trabalhar em rede em prol da cultura e dos famalicenses, contando para isso, com o financiamento da autarquia em 50 por cento, num valor máximo de dez mil euros.

Entretanto, na próxima segunda-feira, 11 de dezembro, Em Conselho Municipal da Cultura serão apresentados e votado o projeto vencedor do Programar em Rede 2017.
]]>
<![CDATA[A magia de “O Lago dos Cisnes” chega a Famalicão]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_a_magia_de_o_lago_dos_cisnes_chega_a_famalicao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=115767&h=0e794" width="312px" height="176px" border="0"/></p> A Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão recebe esta sexta-feira, 8 de dezembro, uma das maiores obras-primas do ballet clássico mundial. A Russian Classical Ballet regressa a Portugal para apresentar “O Lago dos Cisnes” e promete voltar a encantar o publico famalicense com um espetáculo para toda a família, repleto de romantismo e beleza.

Composto por dois atos e quatro cenas, o bailado “O Lago dos Cisnes” narra um conto de amor, traição, do triunfo do bem sobre o mal, numa produção clássica com elementos cenográficos de um realismo incrível, figurinos manufaturados com detalhes sumptuosos e um leque de melodias encantadoras.

“O prestígio e a notoriedade intemporal alcançados pela obra são motivados pela música inspirada de Pyotr Tchaikovsky, mas também pela coreografia inventiva e expressiva de Marius Petipa que, relacionando o corpo humano com os movimentos de um cisne, revela a sua genialidade, o seu potencial coreográfico e criatividade artística”, pode ler-se na apresentação do bailado.

Atualmente a Russian Classical Ballet é dirigida por Evgeniya Bespalova e composta por um elenco de bailarinos graduados pelas mais conceituadas escolas coreográficas, conciliando a mestria e experiência de bailarinos Internacionais, com a irreverência de jovens talentos emergentes no panorama da dança clássica.

“O Lago dos Cisnes” sobe ao palco do grande auditório da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão esta sexta-feira à noite, pelas 21h30. O bailado tem a duração de 140 minutos com intervalo de 20 minutos. Para o público geral os bilhetes têm o custo de 18 euros, reduzindo para 9 para estudantes e portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

Mais informações em www.casadasartes.org.
]]>
<![CDATA[Há “Teatro n’Aldeia” em Famalicão]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_ha_teatro_naldeia_a_partir_de_amanha_em_famalicao </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=115664&h=3928f" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Nos dois primeiros fins-de-semana do mês dezembro, o município de Vila Nova de Famalicão vai levar o teatro a vários palcos do concelho. A iniciativa “Teatro n’Aldeia” arranca amanhã, sexta-feira, para a sua terceira edição, com a apresentação de espetáculos nas freguesias de Arnoso Santa Maria, Vale São Martinho, Riba d’Ave e Vilarinho das Cambas.

A comédia “Cabeça com dois cabritos”, uma adaptação de Catarina Gomes do original “O Juíz de Paz da Roça”, do dramaturgo brasileiro Martins Pena, é a primeira peça a ser apresentada no âmbito da edição deste ano da iniciativa. Interpretada pelo Núcleo de Teatro da Associação Cultural de Vermoim, o espetáculo vai estar em cena esta sexta, dia 1, na sede da Banda Marcial de Arnoso, em Arnoso Santa Maria, e no sábado, dia 2, no auditório do Grupo Recreativo e Cultural de Vale São Martinho.

Segue-se, nos dias 8 e 9 de dezembro, a apresentação da peça “Os Brilhantes do Brasileiro”, de Camilo Castelo Branco, pelo GRUTACA – Grupo de Teatro Amador Camiliano. A primeira apresentação decorrerá no Salão Paroquial de Riba de Ave, no dia 8, e a última, no Salão Paroquial de Vilarinho das Cambas, no dia 9.

Promovido desde 2015 pela autarquia famalicense, através do pelouro da Cultura e Turismo e com o apoio das várias juntas de freguesia de concelho, o “Teatro n’Aldeia” é para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “um belo exemplo da política de descentralização das atividades culturais promovida pelo executivo municipal”. O edil convida ainda os famalicenses a assistirem aos espetáculos agendados, “até para conhecerem o enorme talento dos grupos de teatro amador do nosso concelho”.

Todos os espetáculos começam às 21h30 e têm entrada gratuita.
]]>
<![CDATA[Vila Nova de Famalicão reafirma compromisso de Cidade Educadora]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_vila_nova_de_famalicao_reafirma_compromisso_de_cidade_educadora </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=115708&h=ef479" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Vila Nova de Famalicão reafirma esta quinta-feira, 30 de novembro, o seu compromisso de Cidade Educadora, associando-se às comemorações do Dia Internacional das Cidades Educadoras, com um conjunto de atividades que arrancam pelas 10h00, nos Paços do Concelho, com a presença do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

As atividades arrancam com uma declamação do manifesto sobre o compromisso da autarquia com o Direito à Cidade Educadora realizada com a participação da Escola de Artes de Famalicão. Segue-se um aplauso coletivo e hastear da bandeira (todas as cidades que fazem parte da Associação Internacional das Cidades Educadoras realizarão, à mesma hora – 10h15, o aplauso coletivo, com a duração de 1 minuto). Por fim, irá decorrer a atuação da TUSEFA – Tuna Sénior Famalicão.

Este ano, as comemorações decorrem sob o lema “O Direito à Cidade Educadora”, tendo como pressuposto que o direito à Educação deve garantir-se a toda a população, sem discriminação por motivos de idade, género, origem étnica e cultural e estrato socioeconómico; as oportunidades de formação não se limitam à formação regulada, mas incluem as múltiplas oportunidades educativas ao longo da vida; oportunidades que os governos locais oferecem junto à multiplicidade de entidades, organizações, clubes, associações de índole educativa, desportiva, cultural, social, etc., o tecido empresarial, meios de comunicação, etc.

Neste sentido, “Vila Nova de Famalicão orgulha-se de ser uma Cidade Educadora e assume-se como um dos concelhos mais empreendedores do país. O dinamismo da sua juventude, a eficiência, a diversidade e qualificação dos recursos humanos, a qualidade de vida e o crescimento sustentado fazem de Vila Nova de Famalicão um concelho com futuro”, refere a propósito Paulo Cunha.

O autarca salienta ainda que “uma cidade educativa é uma cidade que respira educação, isto é, tem presente em todas as suas dinâmicas e ações a vertente educativa. É para isso que trabalhamos com as nossas escolas, mas é também esse sempre um dos objetivos principais da nossa política cultural, desportiva e social.”

Refira-se que o município de Vila Nova de Famalicão aderiu em 2010 à Associação Internacional das Cidades Educadoras (AICE), passando a integrar também a Rede Territorial Portuguesa de Cidades Educadoras, organismos que promovem a troca e partilha de experiências, no âmbito da Educação em toda a sua abrangência, e que entendem a cidade como um espaço de oferta de importantes elementos para uma formação integral do indivíduo.
]]>
<![CDATA[Famalicão é município amigo das famílias]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_famalicao_e_municipio_amigo_das_familias </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=115651&h=2ab20" width="303px" height="202px" border="0"/></p> O Município de Vila Nova de Famalicão esteve esta quarta-feira, 29 de novembro, em Coimbra, para receber pela sexta vez, a bandeira de “Autarquia Mais Familiarmente Responsável”.

A cerimónia de entrega do galardão decorreu esta tarde no Auditório da Fundação CEFA, em Coimbra, onde Vila Nova de Famalicão se fez representar pela responsável do pelouro da Família, Sofia Fernandes.

Para a vereadora da autarquia famalicense, este “é mais um reconhecimento que nos enche a todos de orgulho, sobretudo porque premeia a aposta da autarquia na promoção de medidas de apoio às famílias”, medidas essas que, refere, “contribuem para uma maior qualidade de vida dos nossos concidadãos”.

Recorde-se que esta é a quinta vez consecutiva que Vila Nova de Famalicão é reconhecido pela Associação Portuguesa de Famílias Numerosas pelas políticas municipais amigas das famílias e por isso o município vai voltar a receber a “Bandeira com Palma”, símbolo maior da organização que distingue não só a prática referente ao ano de atribuição do prémio, mas igualmente a permanência ao longos dos anos no território de políticas amigas das famílias.

O alargamento da gratuitidade de manuais escolares aos alunos do segundo ciclo, a construção de espaços de brincadeira mais inclusivos, o programa Famalicão em Forma e a criação de um serviço de transporte urbano público destinado a facilitar a mobilidade dos cidadãos dentro da cidade, possibilitando viagens gratuitas, foram alguns dos novos argumentos apresentados por Vila Nova de Famalicão que valeu ao município a renovação do título de Autarquia Mais Familiarmente Responsável.

Na candidatura apresentada, o município destaca as várias vertentes de intervenção, nomeadamente as políticas orientadas para todas as famílias do concelho, no apoio à sua função de suporte aos filhos, mas também aos pais e avós, e ainda às ações destinadas a agregados familiares mais desfavorecidos económica e socialmente, através de ajudas específicas e personalizadas a vários níveis.
Assim, no domínio da educação, para além da oferta dos manuais escolares gratuitos ao 1. E 2.º ciclo sobressai a existência de um terceiro escalão social de apoio às famílias com crianças no pré-escolar e 1.º Ciclo de Ensino Básico (que acresce aos dois escalões nacionais), o Banco de Livros Escolares, os transportes gratuitos, o apoio à aquisição de material didático por parte das famílias mais carenciadas e as bolsas de estudo aos estudantes universitários do concelho.

Na área social destaca-se o Programa Municipal “Casa Feliz” que ajuda as famílias mais carenciadas do concelho a realizarem obras de renovação das suas habitações e que apoia as famílias que mais precisam no pagamento das rendas, assim como os descontos e isenções nas tarifas de água e saneamento para as famílias numerosas e para as mais necessitadas.

Em matéria fiscal, é uma reconhecida mais-valia para as famílias a estabilidade fiscal do município ao longo dos anos, a fixação da taxa do IMI próxima do mínimo legal (0,35%) e a existência de um IMI familiar, que atribui um desconto no pagamento do imposto de 40 euros para as famílias com dois filhos e de 70 euros para as famílias com três ou mais dependentes.

O acesso das famílias à fruição cultural e à prática desportiva tem também merecido uma atenção especial da autarquia que tem instituído o Cartão Jovem Municipal, o Cartão Sénior Feliz e o Cartão do Voluntário com descontos significativos em diversas atividades e no acesso aos transportes públicos no concelho, para além de outros benefícios.

Recorde-se que o Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis é uma iniciativa da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas, em parceira com Instituto da Segurança Social, tendo como principais objetivos acompanhar, galardoar e divulgar as melhores práticas das autarquias portuguesas em matéria de responsabilidade familiar.
]]>
<![CDATA[“Um por Todos” sobe ao palco da Casa das Artes]]> http://www.vilanovadefamalicao.org/_um_por_todos_sobe_ao_palco_da_casa_das_artes </p><img src="http://www.vilanovadefamalicao.org/op/image/?co=115633&h=e106c" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Meia centena de jovens e adultos famalicenses, portadores de deficiência, sobem ao palco da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, no próximo dia 5 de dezembro, para apresentarem um espetáculo de circo único, carregado de simbolismo e magia. “Um por Todos” é o título do espetáculo que resulta do projeto Envolv’arte, promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão em parceria com o Instituto Nacional das Artes do Circo (INAC) e várias instituições sociais do concelho. O espetáculo realiza-se pelas 11h00 e é de entrada livre até à lotação da sala.

Desde o passado mês de maio que todas as quartas-feiras, decorrem os ensaios nas instalações do INAC, sitas no Lago Discount, em Ribeirão. O espetáculo final insere-se no âmbito das comemorações municipais do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, que se assinala a 3 de dezembro.

Superação, partilha, descoberta e surpresa são os conceitos associados ao espetáculo que promete conquistar a atenção e o coração do público do primeiro ao último minuto.

Os sorrisos, a boa-disposição, a descontração e o empenho com que encararam as várias sessões de atividades são desde já um bom sinal do sucesso deste projeto que segundo o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, pretende “quebrar a rotina destas pessoas, desafiando-as para arte, a cultura e o circo, valorizando-as e motivando-as a chegar mais longe”.

As sessões são coordenadas por dois formadores do INAC, Ana Dora Borges, que trabalha a dança e o movimento, e Fábio Constantino, que trabalha os movimentos aéreos, durante mais ou menos 1h30.
Para Ana Dora Borges este é um projeto de grande importância na inclusão de pessoas com deficiência porque “em primeiro lugar, estamos a sensibilizá-los para a arte e depois estamos a envolve-los no próprio processo de criação artística, envolvendo-os também com os alunos do INAC. É um projeto que se vai construindo passo-a-passo através de diversas atividades e desafios até ao grande final, que é o espetáculo”.
Para a formadora, o projeto trabalha essencialmente “a auto-confiança, a capacidade de superação e valorização de cada pessoa envolvida, amplificando caraterísticas que já detêm, mas que muitas vezes estão escondidas”.
O projeto conta com a participação das seguintes instituições; APPACDM, a ACIP, a AFPAD, a Associação Teatro Construção, o Centro Social de Landim e o Centro Social e Paroquial de Ribeirão.

Assista aqui ao vídeo das atividades
]]>